iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

11/06 - 09:16

Dunga desconversa, mas tende a repetir time que bateu Canadá
Júlio César; Maicon, Lúcio, Juan e Gilberto; Mineiro, Josué, Júlio Baptista e Diego; Robinho e Luis Fabiano. É bem provável que seja a escalação do Brasil para encarar o Paraguai no domingo, em Assunção, pelas Eliminatórias.

Gazeta Esportiva

Apesar das críticas, Dunga mantém sua política de não alterar a base e deve entrar em campo com o mesmo time que venceu o amistoso com o Canadá por 3 a 2 há 11 dias.

Depois de um leve treino físico no primeiro dia da delegação na Granja Comary, o técnico não confirmou se comandará um coletivo nesta quarta-feira. Avisou apenas que analisará todos os aspectos para escolher seus titulares. O ex-volante, entretanto, admite privilégio a quem vem com seqüência com a camisa amarela, principalmente após o corte do lesionado Kaká.

“Vou observar os treinos. Mas os jogadores com tempo maior no time, sem dúvida nenhuma, levam vantagem”, comentou o treinador, sem, no entanto, descartar mudanças. Principalmente para o clássico contra a Argentina no dia 18, no Mineirão.

“Como tenho sempre feito quando venho à Granja com um tempo maior, planejo o trabalho, vejo o condicionamento físico e o que cada um necessita. Já estamos visando esses dois jogos, vendo as características dos nossos adversários e a característica do futebol brasileiro para saber o que precisamos fazer em campo”, explicou.

Se tenta fazer mistério, Dunga deixa escapar que o “triângulo mágico” formado por Adriano, Pato e Robinho, titular na derrota para a Venezuela por 2 a 0, está praticamente fora dos planos. A decisão se deve muito ao apático desempenho em especial do atacante do Real Madrid, que atuou mais recuado, ajudando na armação.

“Fizemos essa experiência com o Robinho, mas não é ideal. Ele é atacante, e vindo de trás perde um pouco de sua força. Mais perto do gol ele é bem mais perigoso”, elogiou o técnico ao falar de sua principal esperança, para depois negar que haja alguma formação já vetada.

“Tudo é viável. Depende do adversário, do momento, como a gente vai treinar, como vamos nos colocar em campo, como vai ser a colocação do adversário...”, enumerou o comandante da equipe que ocupa atualmente o terceiro lugar nas Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010, atrás exatamente de Paraguai e Argentina.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo