iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

10/06 - 18:19

Presença de Pelé deixa “Medina” e companheiros incrédulos
Os jogadores do Santos ficaram incrédulos ao olhar para o banco de reservas enquanto treinavam nesta segunda-feira. “Ficamos meio constrangidos quando vimos que era o Pelé que estava ali”, confessou o zagueiro Betão.

Gazeta Esportiva

Entre os que não esconderam a tietagem a Pelé, estava o meia colombiano Maurício Molina, cujo nome o Rei do Futebol. “O Medina falou para mim: ‘Jo no creo’. Mas pode crer que é verdade”, comentou o maior ídolo do Santos.

Na semana passada, Pelé já havia se confundido publicamente em Santos, no lançamento do projeto “Campus Pelé”. Ao analisar a final entre Corinthians e Sport, pela Copa do Brasil, ele chamou o time pernambucano de Vitória, clube também Rubro-negro e com um leão como mascote.

Na ocasião, Pelé viu um senhor grisalho ao fundo da sala onde concedia entrevista coletiva, e animou-se: “Não fique aí atrás, escondidinho, não, Corró”, sorriu, achando que falava com o ex-companheiro Clodoaldo.

Clodoaldo acompanhou Pelé nesta segunda-feira, no Centro de Treinamento do Santos. Mas ficou ofuscado. “Todos os jogadores vieram me cumprimentar. É gratificante ter essa admiração. Espero que tenham a sorte de levantar o nosso Santos”, desejou o Rei do Futebol, que chamou os jogadores de “netos”.

Trocar o nome de Molina, no entanto, não foi a única gafe cometida por Pelé nesta segunda. “É complicado jogar com o Quito, ou a Venezuela”, corrigiu, quando falava sobre o último adversário da seleção brasileira.

Leia também:
Pelé não arrisca palpite na final entre “Corinthians e Vitória” (02/06/2008)

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo