iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

09/06 - 10:14

Confiante na permanência, Kléber faz acordo para manter cabelos
O excelente início que Kléber teve no Palmeiras foi interrompido com uma seqüência de problemas disciplinares, seja por suspensão por atitudes em jogos e treinos ou até mesmo por briga em casa noturna. O atacante, entretanto, está certo de que a má fase pessoal já é passado e não deve atrapalhar sua tentativa de renovar com o clube até dezembro.

Gazeta Esportiva

O camisa 30, contratado em 2008 pelo Verdão, tem seus direitos federativos presos ao Dinamo de Kiev. No momento, o jogador está vinculado ao clube do Palestra Itália por empréstimo até 31 de julho, e a esperança é pela prorrogação até dezembro. O que Kléber espera acontecer em breve.

“Liguei para o presidente do Dínamo essa semana e ele disse que, se eu penso em ficar, não vai me prejudicar. Então, acho que vou ficar por empréstimo até dezembro”, apostou o atleta no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

Seguir no Parque Antártica seria uma maneira do parceiro de Alex Mineiro no título paulista apagar a má imagem que deixou principalmente ao entrar forte no zagueiro Maurício em coletivo. Atitude que lhe custou a participação na vitória sobre o Internacional por 2 a 1, na segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Dias depois, Kléber se envolveu em confusão com são-paulinos em uma casa noturna.

“São problemas normais, acontecem com qualquer jogador, aconteceu no Corinthians há um tempo com o Tevez. Infelizmente, os meus problemas foram em seqüência. Mas agora é focar no Palmeiras e buscar as primeiras colocações”, ressaltou o jogador, negando o rótulo de “irritado”. “Não me considero bravo”.

O temperamento do atacante e suas confusões, entretanto, deram margem a especulações sobre o mau ambiente que teria no elenco palmeirense. Os boatos começaram porque o camisa 30 foi o único do plantel que não teve os cabelos raspados após a conquista do Campeonato Paulista. O ex-são-paulino, porém, adota o bom humor para explicar a “exceção”.

“Sai de lá no dia (final do Paulista contra a Ponte Preta) de toalha e fui embora de toalha. Falei: ‘vão cortar o do Valdivia e do Henrique, vou embora’. E o roupeiro me entregou a bolsa lá fora. Depois de dois dias sem treinar, voltei, e o cabeleireiro que fica lá não estava. Aí, falei com os caras para fazer um acordo”, relatou.

E, para compensar sua fuga do visual careca, Kléber não poderá promover “festas” para seus companheiros. “Falei com o Marcos: ‘vocês querem um jantar?’. E ele disse: ‘vamos fazer isso, porque tem cara casado aqui’. Agora é o Marcos que ficou responsável por marcar isso”, revelou, aos risos.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo