iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

07/06 - 22:44, atualizada às 11:56 08/06

Muricy exalta conjunto e se gaba por Joilson e Hugo

Treinador estava sob desconfiança da torcida e até mesmo da diretoria. Especulava-se que, caso o São Paulo não vencesse, o treinador poderia ser despedido

Gazeta Esportiva

SÃO PAULO - Mais do que dar ao São Paulo a primeira vitória no Campeonato Brasileiro, a goleada por 5 a 1 aplicada no Atlético Mineiro teve como destaque dois jogadores que vinham sendo contestados: Joilson e Hugo. O volante, com um gol, e o meia, com dois, foram alvos de elogios de Muricy Ramalho.

O técnico tricolor exaltou muito a recuperação de Hugo, que chegou a ser colocado à disposição para negociar com outros clubes em 2008. “A gente recuperou o Hugo. Claro que no momento ruim ninguém quer saber de nada. Esquecem o jogador, querem tirar ele. O técnico tem que entender que ele é ser humano, tem problemas particulares. Esperamos isso esfriar e agora está aí. Ele é muito importante para nós”, analisou.

Já em relação a Joilson, o comandante revelou que já esperava pelo melhor desempenho do jogador como volante. “Contra o Audax, no Chile, a gente não ganhou, mas ele se portou bem nessa posição. A parte aeróbica dele é muito boa, porque para quem joga na ala o campo fica muito grande, tem que ter uma condição física excelente. Como ele também tem conhecimento daquele lado, se juntou muito com o ‘Jean’”, comentou, referindo-se ao lateral-direito Jancarlos.

Se pessoalmente praticar um bom futebol faz bem aos dois jogadores, para Muricy é um espaço para se vangloriar. O treinador, pressionado pelos maus resultados, utiliza Joilson e Hugo como exemplos de sua capacidade de lidar com o grupo.

“De vez em quando eu acerto uma. Faz 30 anos que estou acertando, mas de vez em quando descobrem que eu fiz algo diferente. Eu procuro sempre dar muita atenção a esses caras, por isso que de vez em quando recupero alguns deles. Como sou um cara muito concentrado, preparado para ‘caramba’ naquilo que faço, não é novidade nenhuma voltarem a jogar bem”, gabou-se, ressaltando as dificuldades que tem encontrado atualmente no Tricolor.

“O técnico tem que fazer alguma coisa, enxergar alguma coisa no elenco. Não paro em relação a isso. Fico stressado, não durmo, porque é única maneira. Para nós, jogadores e comissão técnica, está sendo duro trabalhar assim”, repetiu.

No São Paulo desde 2006, Muricy dá como receita para sua reabilitação de jogadores em baixa o pensamento coletivo, usando como exemplo os cinco gols marcados nesta noite no Morumbi. “É um trabalho de equipe. Todos os gols foram com trabalho de equipe e ficou bonito por isso”, avaliou.

“Aqui, se não joga bem, no mínimo tem que correr muito e pensar no time. Quem não pensa no time tem dificuldade. Não adianta procurador me ligar, fazer ‘biquinho’, porque não mexe uma palha em mim. Mexe quem trabalha duro, pensa no clube. Como no futebol brasileiro você não tem craque, isso pesa muito. Qualquer time faz diferença se tiver conjunto, senão fica tudo igual”, continuou o treinador, orgulhoso.

Elogios até para Borges – A boa avaliação feita por Muricy após a goleada atingiu até mesmo Borges, O atacante, assim como seu companheiro Aloísio, passou em branco neste sábado. Mas tem sua importância exaltada por seu comandante.

“O Borges nós modificamos um pouquinho a posição dele, porque contra três zagueiros se você abre o jogo, dificulta um pouco. Ele confundiu um pouco o ala deles e entramos bem daquele lado. Tudo bem que ele não fez gol, mas ajudou muito na marcação, deu assistência”, enumerou.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo