iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Futebol

06/06 - 18:27, atualizada às 18:40 06/06

Contra diarréia e rojões, Palmeiras muda de hotel em Recife
A polêmica em relação às refeições servidas no hotel em que o Palmeiras se concentrou antes de ser eliminado da Copa do Brasil alterou o planejamento da equipe no retorno a Recife. Como precaução para o reencontro com o Sport, a delegação mudou o local da sua concentração.

Gazeta Esportiva

Na primeira viagem do Palmeiras a Pernambuco em 2008, o técnico Wanderley Luxemburgo insinuou que a comida do hotel provocara diarréia em nove dos seus comandados. “Pode ser coincidência ou não, mas ninguém aqui é mentiroso. Os jogadores correram para o banheiro, mesmo”, disse o gerente de futebol Toninho Cecílio.

O dirigente avisa que o Palmeiras tomará os devidos cuidados não apenas com suas refeições. Mas evita detalhar a estratégia traçada contra eventuais incidentes, como rojões às portas da concentração ou atirados contra o ônibus da equipe. “Tomamos algumas atitudes, que são necessárias de acordo com o que você encontra no local. Mas não vou revelar número de seguranças e coisas do tipo, pois tudo isso é interno”, Cecílio evitou se alongar. “É preciso ter cautela porque o ambiente está tenso.”

Quando esteve no Morumbi, para acompanhar a primeira partida da decisão da Copa do Brasil, o presidente Milton Bivar, do Sport, mostrou-se revoltado com as suspeitas do Palmeiras sobre a diarréia de seus atletas. Classificou, inclusive, o hotel que recebera o adversário como “um dos melhores do Norte-Nordeste do Brasil”.

O curioso é que foi o próprio Wanderley Luxemburgo quem direcionou o Palmeiras ao hotel da polêmica, por gostar de se hospedar lá quando viajava a Recife. Nos tempos em que era comandado por Caio Júnior, o clube escolhia outro local para concentração.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo