Competição reúne atletas como Maria Silvânia Araújo, que ainda sonha em poder se dedicar só ao atletismo

Fundistas de elite e amadores da região de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, vivem a expectativa de representar bem o estado na etapa local do Circuito de Corridas Caixa. A prova deste domingo (7), com largada no Parque das Nações Indígenas e percursos de 5 e 10km, é considerada um bom desafio para os apaixonados pelas corridas de rua.

Maria Silvânia Araújo estreou como fundista de elite na edição de 2010 do Circuito e já em seu primeiro ano, com a nona colocação, cumpriu o objetivo de terminar a temporada entre as dez primeiras do ranking brasileiro de corredores de rua. Ela conta com a ajuda do patrocinador do Circuito em 2011, mas ainda persegue o sonho de poder se dedicar ao atletismo em tempo integral.

"Esta temporada tem sido melhor para mim. Sou a oitava do ranking brasileiro e estou treinando muito. Mas, ao mesmo tempo, a situação é mais complicada, porque estou no último ano da faculdade de Educação Física. Tenho de dividir os treinos, às 5h30 ou às 19h30, com os trabalhos de conclusão de curso", conta a fundista.

Para Maria Silvânia, natural de Barra dos Garças, em Mato Grosso, ter um bom desempenho em Campo Grande, tão perto de casa, é fundamental na busca pela independência no esporte.

"Quando o atleta está no início da carreira, tem de competir muito para ter resultados. Disputei a Meia Maratona das Cataratas de Foz do Iguaçu, com um frio de nove graus, e logo em seguida corri os 10km de Roraima debaixo de um calor de 40 graus. Mas é sempre importante competir no Circuito em Campo Grande para fazer o Centro-Oeste aparecer na disputa, e ao mesmo tempo conseguir mais visibilidade para o meu trabalho", disse a fundista.

Fundista se jovem carreira quer se superar em casa
Descansar nos dias que antecedem a prova também é a dica do atleta amador Rodrigo Augusto Rodrigues. 'Viciado em corrida de rua', como ele próprio se define, o fundista treina regularmente há quase dois anos no Parque das Nações Indígenas, e busca a superação pessoal na prova deste domingo.

Rodrigo tem no currículo três maratonas - a Volta das Nações, em 2010, e Florianópolis e Rio de Janeiro, este ano. Também disputou a Meia Maratona das Cataratas de Foz do Iguaçu, em julho, e acredita que a experiência recente o fará ter um bom resultado em Campo Grande.

"Fiz os 10km do Circuito no ano passado em 51min15s, e desta vez devo fazer na casa dos 42 minutos. Estou melhorando bem. Em 2009, na minha primeira disputa de 10 km, fiz 58 minutos; na última, em maio, já completei o percurso em 43min33s", diz Rodrigo, que passou algumas recomendações aos demais corredores do seu estado.

"Para quem está começando a dominar a distância dos 10 km, é importante segurar o ritmo até o término das subidas dentro do Parque das Nações Indígenas, o que dá uma distância de uns 4 km. Depois há uma descida onde é possível pegar impulso para o trecho final da prova", completa Rodrigo.

Circuito segue programação pelo Nordeste
Uma semana depois de Campo Grande, o Circuito Caixa segue para a quarta etapa da competição, em Fortaleza. Já no dia 28, a quinta etapa marca a estreia do Recife no calendário de provas. Os atletas interessados podem se inscrever para as duas disputas pela internet . Até o final do ano, o Circuito terá percorrido nove Estados brasileiros, com 11 etapas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.