Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Em busca da artilharia, Neto Berola precisa suportar 90 minutos

Artilheiro do Atlético-MG em 2011, Berola só conseguiu completar uma partida desde que chegou ao clube

Victor Martins, iG Belo Horizonte* |

Sem Diego Tardelli, o posto de artilheiro do Atlético-MG em 2011 é do atacante Neto Berola, que já marcou seis gols na temporada. Apesar do bom momento e da confiança de Dorival Júnior, que o confirmou como titular para domingo, o jogador atleticano tenta apagar a imagem de que só suporta jogar um tempo. Os números, no entanto, jogam contra ele. Das 37 partidas que disputou pelo Atlético-MG, somente uma Neto Berola ficou em campo durante os 90 minutos, na derrota por 2 a 0 para o Palmeiras, pela Copa Sul-Americana.

Em 2010 o jogador sofria com um problema crônico de câimbras. Depois de passar por um trabalho especial, Neto Berola tem suportado o ritmo das partidas, mas ainda sem ficar em campo o tempo todo. Contra o Ipatinga ele vai ter mais uma oportunidade e quer mostrar que pode ser útil ao Atlético-MG durante os 90 minutos.

“Sempre é bom começar jogando. Em todas as partidas, independentemente, se vou entrar jogando ou no segundo tempo, procuro dar o meu melhor, ajudar a equipe e fazer os gols. Então não tem esse negócio de segundo tempo. Procuro fazer o melhor, sempre aprimorando a forma física nos treinamentos, para chegar ao ideal. Eu vou até onde dá, quando chego no meu máximo, aviso ao professor”.

Berola carrega ainda a responsabilidade ser o principal goleador atleticano na temporada. São seis jogos marcados nas sete partidas oficiais do time alvinegro em 2011. Ele sabe que a responsabilidade aumentou com a saída de Diego Tardelli, mas o atacante garante que o peso está sobre todos os jogadores do elenco.

“A responsabilidade é grande, mas não só minha, como de todos os atacantes. Temos de procurar fazer os gols e ajudar o Atlético. O importante é sair com a vitória e acho que vai dar tudo certo”.

Com gols Neto Berola espera conquistar o espaço que tiveram Tardelli e Obina no Atlético-MG. Ambos foram artilheiros durante uma temporada atleticana, em 2009 e 2010, respectivamente, e se tornaram ídolos dos torcedores. Seguindo a mesma trilha, o atacante baiano espera consolidar o seu lugar no time e o prestígio junto aos torcedores atleticanos.

“É uma grande chance ser o titular. Tardelli e Obina fizeram muitos gols aqui no Atlético e se tornaram ídolos. Quem entrar, se for eu, o Ricardo ou o Magno ou Jobson, vai dar o melhor para tentar fazer o que o Tardelli e o Obina fizeram enquanto estiveram aqui”.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG