Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Dinheiro e atletas: o que oferecer ao Milan por Ronaldinho Gaúcho

Clube italiano quer compensação para liberar o atleta: milhões de euros e jovens promessas são opções para os interessados

iG São Paulo* |

O Milan não aceitou rescindir o contrato de Ronaldinho Gaúcho sem uma compensação financeira. O clube gostaria de receber até 8 milhões de euros (R$ 17 milhões), valor que pode cair para R$ 9 milhões, segundo o Palmeiras, um dos interessados no jogador. O problema é que os quatro pretendentes (Flamengo, Grêmio e Corinthians também o querem) não têm esse dinheiro. Uma opção seria envolver jogadores do elenco profissional e até garotos da categoria da base, dando preferência de compra aos italianos.

“Aceitamos liberá-lo (Ronaldinho), mas não rescindimos o contrato. O Milan vai participar da negociação e a definição será em comum acordo”, disse Adriano Galliani, vice-presidente do Milan que está no Rio de Janeiro tratando do assunto – e aproveitando também o verão, já que tem um apartamento na Zona Sul da cidade. O contrato de Ronaldinho com o Milan vale até junho de 2011.

O Palmeiras ofereceu pouco mais de R$ 2 milhões. O Flamengo tem a Traffic por trás para bancar a compensação ao Milan (talvez por isso Galliani tenha se declarado torcedor rubro-negro durante a entrevista concedida quarta-feira no Rio de Janeiro). O Grêmio vai envolver dinheiro, mas Assis, a princípio, pagaria ao Milan e seria ressarcido. O Corinthians negou que pagaria um centavo ao Milan.

Veja abaixo o que os concorrentes têm a oferecer ao clube italiano. A solução pode ser envolver jogadores, do profissional ou da base. É um bom negócio?

FLAMENGO
Pagaria ao Milan, valor não divulgado, mas inferior ao pedido. O dinheiro seria bancado, segundo membros da diretoria, pela empresa de marketing esportivo Traffic, que usaria a imagem do atleta em eventos promocionais e até mesmo para fechar acordo com empresas que explorem a marca R10. Diretores da Traffic não confirmaram essa informação. A Olympikus, que fornece material esportivo ao clube, pensou em participar, mas o contrato do jogador com a Nike freou a negociação.

O único jogador que a diretoria entende que poderia interessar ao Milan é o garoto Diego Maurício, de 19 anos, mas o clube acha que pode ganhar bastante dinheiro com o jogador e não estaria disposto a colocá-lo em uma negociação. O Porto, por exemplo, já ofereceu mais de R$ 10 milhões pelo atleta e o Flamengo acha que consegue fazer dinheiro com Maurício, que está defendendo a seleção brasileira sub-20, sem envolvê-lo em negócio com o Milan.

GRÊMIO
Não tem dinheiro para arcar com a rescisão, mas na conversa que teve com Assis ficou acertado que Ronaldinho abriria mão de valor que tem a receber do Milan, que consideraria o gesto como parte do pagamento da multa. Esse valor seria acrescido no salário que o jogador receberá em Porto Alegre, que bateria os R$ 2 milhões por mês.

O clube não tem interesse em envolver jogadores na negociação, apesar de ser um clube que nos últimos anos têm tido vendas melhores do que os rivais na contratação de Ronaldinho. Douglas Costa, por R$ 17 milhões, foi negociado com o Shaktar Donetsk, da Ucrânia, e Réver ao Wolfsburg, da Alemanha, por R$ 12,5 milhões. A diretoria do Grêmio não vê atletas com potencial no elenco profissional que possam interessar ao Milan e não tem interesse em dar prioridade para jovens promessas.

CORINTHIANS
No discurso os dirigentes dizem que o clube não entrará na briga para ter Ronaldinho. Alegam que não querem fazer parte deste "leilão" que já têm Palmeiras, Flamengo e Grêmio. A Hypermarcas, empresa que banca maior parte dos patrocínios do clube, nega por meio de nota oficial que esteja forçando uma aproximação do jogador com o clube. Sanchez cogitou oferecer R$ 1,8 milhão por mês para o atleta, mas não quer pagar nada ao Milan.

Se quisesse oferecer algo ao Milan para ter o Gaúcho o Corinthians poderia aproximar alguns de seus jogadores mais promissores ao clube italiano, uma prática comum nas negociações entre clubes nacionais e europeus "Existe isso no futebol. Alguns clubes brasileiros dão preferência de venda para determinados clubes de fora, mas o Corinthians não pensa nisso nesse caso do Ronaldinho porque o Corinthians não fez proposta para ter o jogador", disse o diretor de futebol Roberto de Andrade.
Jucilei, que já recebeu sondagens de dois clubes italianos - Fiorentina e Juventus - é um dos principais nomes do elenco. Para atravessar os rivais, o Milan poderia em caso de acordo com o Corinthians, pedir para ter prioridade numa negociação com o volante, por exemplo.

PALMEIRAS
O clube foi o que procurou primeiro o Milan. Ouviu que os italianos queriam R$ 17 milhões, mas que este valor poderia cair para R$ 9 milhões. Ofereceu inicialmente pouco mais de R$ 2 milhões, que foi a primeira oferta em dinheiro que o Milan recebeu. Galliani elogiou a diretoria palmeirense por ter sido o único a procurar o Milan antes de falar com o jogador.

O Palmeiras procura investidor para bancar o valor a ser pago ao Milan, apesar de já ter empresas dispostas a pagar o salário do atleta, em troca de usá-lo como garoto-propaganda. O salário seria algo em torno de R$ 1,3 milhão. No elenco profissional o clube acredita não ter jogadores que interessem ao Milan. Na base, Gabriel Silva, que está com a seleção brasileira no sul-americano sub-20, no Peru, é o de maior potencial e poderia ser oferecido.

Getty Images
Em 2008 fechou contrato com o Milan, mas não teve sucesso, apesar de Galliani o elogiar por ter marcado gol contra a Inter de Milão

 *Marcel Rizzo, Danilo Lavieri e Bruno Winckler, iG São Paulo, Vicente Seda, iG Rio de Janeiro, e Hector Werlang, iG Porto Alegre

Leia tudo sobre: Ronaldinho gaúchoPalmeirasFlamengoCorinthiansGrêmio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG