Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Colômbia demite técnico após pressão de presidente

Federação local anunciou a saída de Hernán Darío Gómez horas depois que Juan Manuel Santos pediu isso, por um caso de agressão

AE |

selo

A Federação Colombiana de Futebol comunicou nesta segunda-feira que aceitou o pedido de demissão do técnico Hernán Darío Gómez, que foi flagrado agredindo uma mulher em frente a um bar de Bogotá. A informação foi confirmada poucas horas depois do presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, pedir a demissão do treinador da seleção.

A polêmica começou há cerca de duas semanas, quando o treinador agrediu uma mulher que reclamou do seu desempenho na frente da seleção colombiana. Muito criticado pelo ato violento, ele pediu demissão apenas três dias depois, mas a federação alegou que as Eliminatórias da Copa de 2014 estavam próximas e, assim, não aceitou a renúncia. Até que nesta segunda-feira, Juan Manuel Santos afirmou que a atitude do treinador foi "muito reprovável" e pediu a contratação de um técnico estrangeiro.

Embora o comunicado tenha sido divulgado pouco depois da declaração do presidente colombiano, a federação afirmou que a decisão tinha se tornado irrevogável na noite de domingo. "O Comitê Executivo da Federação Colombiana de Futebol informa à opinião pública que, na noite de domingo de 21 de agosto, o professor Hernán Darío Gómez ratificou sua denúncia, adicionando o caráter irrevogável".

Gómez assumiu a seleção colombiana pela primeira vez em 1995 e permaneceu até a Copa do Mundo na França, em 1998. Voltou ao cargo em maio do ano passado com a missão de classificar a equipe para a Copa de 2014, mas acabou demitido por conta de mais um envolvimento em confusões - antes, havia atacado um jornalista e agredido um torcedor. A federação ainda não definiu o novo treinador.

Leia tudo sobre: futebol mundialcolômbia

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG