Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Violência no Rio de Janeiro atrapalha treinos da Mangueira

Time feminino, que representa a cidade na LBF, mal pôde treinar para os compromissos contra Ourinhos e Americana

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237859892116&_c_=MiGComponente_C

A violência no Rio de Janeiro, onde forças de segurança e bandidos vêm entrando em choque desde o final da semana passada, está afetando não apenas a rotina do cidadão carioca como também do esporte na cidade. Prova disso é a dificuldade que o técnico Guilherme Vos, da Mangueira, vem encontrando para treinar a equipe que pega o Ourinhos neste sábado pela LBF (Liga de basquete feminino).

A gente só conseguiu treinar duas vezes esta semana, justamente porque várias atletas não tiveram condições de comparecer (aos treinamentos), disse Vos. Ontem (quinta-feira) foi bem complicado".
 
A Mangueira conquistou uma emocionante e importante vitória diante do São Caetano na última segunda-feira. As jogadoras, no entanto, nem tiveram como comemorar o triunfo. "Nem foi preciso trabalhar o lado psicológico, aquela coisa de segurar a empolgação das meninas, porque infelizmente estamos enfrentando esse problema de segurança aqui no Rio, disse o treinador.

Apesar do momento difícil vivido pelo Rio de Janeiro, o treinador disse que a equipe está bem focada. "A gente sabe que serão dois jogos muito difíceis contras dois times de tradição no basquete feminino, disse Vos sobre os compromissos contra Ourinhos e na segunda-feira diante de Americana. Vamos atuar na base da disposição, tentar fazer boas partidas e seguir caminhando bem na competição".

Mangueira até agora tem 50% de aproveitamento na primeira edição da LBF (Liga de Basquete Feminino). Na estreia, perdeu para Catanduva (96 a 55), depois venceu o Basquete Clube, de Araçatuba, por 67 a 64, e foi derrotada na terceira rodada pelo Santo André (78 a 57). Na última segunda-feira, ganhou de São Caetano (61 a 55), após ter passado praticamente todo o jogo atrás no placar.

Leia tudo sobre: basquete - nacional femininolbf

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG