Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Três jogos movimentam a NBA nesta quinta, Nenê estará em quadra

Miami Heat x Los Angeles Lakers, na Flórida, é a melhor partida da noitada. Jogo será transmitido ao vivo para o Brasil

iG São Paulo |

Rodada raquítica da NBA nesta quinta-feira, com apenas três jogos, bem ao contrário das 11 partidas de quarta-feira. Mas os três confrontos são especiais. São eles:

Miami x Lakers – 21h
Dallas x New York – 23h30
Phoenix x Denver – 0h30

Todos os horários são de Brasília.

Destas três partidas, Miami x Lakers é a mais fascinante. Isso porque o time da Flórida está em crise e no foco da mídia, enquanto que a equipe californiana está invicta depois do “All-Star Game” e igualmente no foco da imprensa.

Getty Images
Astros do Miami tentam recuperação
O Heat não vence há cinco jogos. Vem sendo debochado por muitos por conta da revelação do técnico Erik Spoelstra de que alguns jogadores choraram no vestiário depois da partida contra o Chicago Bulls. O episódio foi batizado pela mídia de “Crygate”.

O time está sem confiança. Suas estrelas, LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh estão deprimidas.

Phil Jackson, técnico do Lakers, ao contrário de críticas ácidas ao time da Flórida de há alguns dias, foi mais político nesta quarta-feira. Tentando fazer a cama para não ser hostilizado na American Airlines Arena? Não se sabe.

Ele afirmou que o Miami não tem por que entrar em desespero. Lembrou do time do Lakers que foi montado em 1968, que tinha Jerry West, Elgin Baylor e Wilt Chamberlain.

“Demoraram quatro anos para ganhar um título”, disse P-Jax, como é chamado o treinador. “Três dos maiores cestinhas da história da NBA. Mas eu não acredito que este Miami vá demorar tanto tempo para ganhar um campeonato”.

Outro Jackson, que na terça-feira debochou da situação do Miami e afirmou que na NBA não há lugar para chorões.

Os jogadores do Miami, com certeza, registraram o comentário irônico. Será um combustível a mais para buscar a recuperação. Wade comentou o jogo: “Eles (Lakers) estão jogando um grande basquete. Não tem jogo melhor para você tentar colocar o carro no caminho certo novamente, jogando contra o principal time da NBA”.

Não vai ser fácil. O Miami não ganha há cinco jogos, perdeu seis dos últimos sete e não vence em casa há quatro partidas. O Lakers, ao contrário, vem de oito vitórias consecutivas, entre elas triunfos diante de Portland, San Antonio e Atlanta, todos fora de casa.

Getty Images
Kobe marcado por Dwayne Wade no jogo de Los Angeles; duelo será repetido esta noite
 

Bem diferente do Los Angeles do começo de temporada. “Aqueles (maus) resultados nos ajudaram a identificar nossos problemas”, disse Kobe Bryant. “Talvez não seja tão fácil para o Miami. Isso porque cada um de nós conhece o seu papel e isso ainda não está claro para eles, porque eles ainda estão tentando montar um time”.

O jogo será transmitido ao vivo para todo o território norte-americano. Aqui no Brasil, o canal a cabo Space transmite o confronto.

Dallas x New York é outro jogo chamativo. O time texano é o segundo da Conferência Oeste, à frente do Lakers e atrás do San Antonio Spurs. O New York, depois das contratações de Carmelo Anthony e Chauncey Billups, busca o entrosamento e tenta engrenar na competição.

Oscila demais no campeonato. Perde para o lanterninha Cleveland Cavaliers, em casa, e ganha do Memphis Grizzlies, fora.

De qualquer maneira, o time nova-iorquino vem de três vitórias seguidas. Busca a quarta, fato inédito desde que Melo e Billups chegaram.

Por falar em Chauncey Billups, o jogador está contundido e fará testes antes do jogo desta quinta-feira para ver se tem condições de jogar. É provável que não. “Mas de domingo (contra o Indiana Pacers, em Nova York), não passa”, garantiu o técnico Mike D’Antoni.

Melo entrará em quadra embalado pelo último arremesso da partida contra o Memphis. O jogo estava empatado em 108 pontos e no último ataque da partida a bola caiu na mão de Anthony, na ponta esquerda. Uma gingada, uma finta e o arremesso certeiro: 110 a 108, placar final.

Melo anotou 31 pontos. No jogo anterior, contra o Utah, foram 34 pontos. Amar’e Stoudemire está com média de 29,7 pontos nos últimos seis confrontos. São as referências do time em quadra.

O Dallas vem de uma derrota diante do New Orleans, nesta quarta-feira que passou. Veio no final de uma partida que ele teve praticamente o controle. Dos últimos três jogos, o Mavs perdeu dois, um deles diante do mesmo Memphis que foi derrotado pelo New York.

Shawn Marion é dúvida para a partida: está lesionado. O técnico Rick Carlisle torce para que ele se recupere, pois Marion é o jogador que terá a missão de marcar Melo.

Peja Stojakovic, com dores nas costas, é ausência certa.

Fechando a noitada, o Denver Nuggets vai até o Arizona enfrentar o Phoenix Suns. Sem Melo e Billups, o time do Colorado tenta encontrar sua melhor formação.

Jogando em seu Pepsi Center, depois das trocas (Raymond Felton, Wilson Chandler, Raymond Felton, Danilo Gallinari e Timofey Mozgov chegaram), o Denver fez quatro partidas e venceu todas. Fora de casa, contudo, tem tido dificuldades. Foram três jogos e vitória apenas diante do Utah Jazz; derrotas para Portland Trail Blazers e Los Angeles Clippers.

A boa notícia para o Denver — e má para o Phoenix — é que o ala-pivô Channing Frye, contundido, não joga. Frye é um dos principais jogadores do Suns. Ele deslocou o ombro no último jogo do Phoenix, vitória diante do Houston por 113 a 110.

Há um tabu em jogo: desde 2004 o Denver não bate o Phoenix no Arizona.

Nenê estará em quadra. Será o único brasileiro em ação nesta quinta-feira.

 

Leia tudo sobre: Miami HeatLos Angeles LakersNenê Hilário

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG