Tamanho do texto

Em entrevista após derrota para o Miami Heat, técnico do Chicago Bulls aponta que time precisa jogar com mais intensidade

Tom Thibodeau, treinador do Chicago Bulls
Getty Images
Tom Thibodeau, treinador do Chicago Bulls
O treinador Tom Thibodeau não gostou da atuação do Chicago Bulls na segunda partida das finais da Conferência Leste. Na entrevista concedida depois da derrota para o Miami Heat, o técnico elogiou a atuação do adversário, mas disse que seu time permitiu que os visitantes crescessem no decorrer do jogo e poderia ter atuado com maior intensidade.

Confira a entrevista de Thibodeau após a derrota do Bulls para o Heat por 85 a 75 :

Pergunta – Treinador, a defesa de Miami esteve muito bem hoje ou foram os jogadores de Chicago que tiveram uma noite ruim arremessando?
Resposta – Tenho que dar o crédito ao Heat. A defesa deles foi espetacular. Achei que eles realmente nos limitaram. Lutaram conosco. A pressão na bola que fizeram foi ótima. Contestaram os arremessos. E eles lutaram pelos rebotes.

Pergunta – Tom, o Heat teve 13 pontos em contra-ataques, mas parece que uns 10 deles vieram em um mesmo período do terceiro quarto. O que aconteceu e quão importante é evitar que deslanchem dessa maneira?
Resposta – Isso é crítico. Se eles disparam com a quadra aberta – depois de forçarem erros, arremessos ruins ou de bloqueios –, você está em desvantagem, em particular se eles saem em velocidade. Esta é a forma como eles conseguem a maioria dos seus lances livres. Não podemos deixar que isso aconteça.
Quando você vê que LeBron pegou dez rebotes, Wade pegou nove, Mike Miller teve sete em poucos minutos, Haslem também esteve bem, percebe que quando os rebotes aconteciam, eles brigavam por eles. Eles estavam brigando.

Pergunta – Tom, mesmo com vários lances livres e arremessos errados, vocês estavam bem próximos no placar com poucos minutos para o fim. Isso tem algum valor para o terceiro jogo ou uma derrota é uma derrota?
Resposta – Não, precisamos fazer as correções, aprender com isso e fazer um trabalho muito melhor dentro de quadra. Defensivamente, precisamos jogar muito melhor. Temos muito para melhorar.

Pergunta – Treinador, existe algo diferente que você viu que poderia ter feito nos pick and rolls, a forma como eles defenderam Derrick [Rose]?
Resposta – Tudo foi muito parecido com a forma como marcaram ele no primeiro jogo. Então, temos que fazer um trabalho melhor. Temos que melhorar nesse quesito. Quando começamos a errar arremessos, achei que isso tirou muitas de nossas qualidades. Jogamos com pouca intensidade no ataque e na defesa. E o resultado não foi bom. Penso que no terceiro período, quando Ronnie [Brewer], Omer [Asik] e Taj [Gibson] entraram, tivemos um bom momento quando nós melhoramos nossa marcação e, assim, voltamos para o jogo.

Mas, novamente, temos que ser mais consistentes. Temos que iniciar o jogo bem na defesa e sustentar este esforço por toda a partida. Achei que o início foi muito fácil para Miami. Eles conseguiram ganhar confiança cedo, tiveram um ótimo segundo quarto e isso empurrou-os.
No terceiro período, tiveram a disparada. E isso começou com nossa defesa. Nossa defesa e rebote são duas coisas com as quais precisamos contar constantemente.

Pergunta – Você teve a sensação que o que você conseguiu de Taj no primeiro jogo, talvez eles tenham conseguido de Udonis Haslem nesta noite?
Resposta – Ah, sim. Haslem é um excelente jogador porque ele é um desses caras que você não consegue medir pelas estatísticas. Ele traz muita competitividade para o seu time, joga com altíssima energia, espetacular defensor. É assim que joga. Ele teve um ano complicado por causa da lesão, mas é um excelente jogador. Acho que fez um ótimo trabalho. Não só ele, mas o time inteiro do Heat. Eles lutaram o tempo inteiro.

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.