Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Técnicos experientes são os protagonistas da decisão da LBF

Laís Elena e Antonio Carlos Barbosa são dois dos treinadores que estão há mais tempo trabalhando no basquete nacional

iG São Paulo |

A decisão da Liga de Basquete Feminino neste domingo coloca frente a frente dois dos comandantes mais experientes do país. O técnico de Ourinhos é Antonio Carlos Barbosa, que conduziu a seleção brasileira à conquista da medalha de bronze nas Olimpíadas de 2000, em Sidney. Santo André é orientado por Laís Elena, treinadora que está há mais tempo em atividade num mesmo clube do basquete nacional.

Após ter encerrado a carreira como jogadora em 1974, Laís passou oito anos trabalhando nas categorias de base no time de Santo André. Isso até 1983, quando assumiu a equipe principal. Por conta desta longevidade, ela brinca e se compara ao técnico de futebol escocês Alex Ferguson, que está à frente do Manchester United, da Inglaterra, desde 1986.

“Sou uma espécie de Alex Ferguson, me tornei torcedora do Manchester por causa dele”, conta Laís. “Ele é uma referência pra mim. Quando o vejo no banco de reservas, sinto que ele passa muita credibilidade”.

Campeã brasileira em 1999, Laís sonha comandar Santo André à mais uma conquista nacional para presentear a torcida da cidade, que apoiou bastante o time nesta reta final da LBF. “Eles lotaram o ginásio nas semifinais e nos ajudaram demais”, afirmou.

Do outro lado estará Barbosa, que assumiu Ourinhos no decorrer da competição, quando a equipe atravessava momento complicado e vinha de três derrotas consecutivas. E o time teve um salto de qualidade sob o comando do homem que conquistou com a seleção brasileira um dos resultados mais importantes da história do basquete nacional.

Divulgação
Barbosa, comandante de Ourinhos
“Nossos adversários haviam perdido o respeito”, declarou Barbosa. “Todas começaram a achar que poderiam nos vencer. Minha primeira preocupação foi devolver a auto-estima às jogadoras”.

Das quatro equipes que disputaram as semifinais, Ourinhos teve a pior campanha na primeira fase, com sete vitórias e sete derrotas. Mas garantiu a vaga na final deixando para trás Americana, que havia vencido 13 dos 14 jogos fase de classificação.

A pivô Tatiana explica a evolução de Ourinhos na temporada: “Ele (Barbosa) mudou o nosso ritmo de jogo e aproveitou as virtudes de cada uma. É um técnico exigente, que tem suas convicções, mas que também sabe nos ouvir”.

A final da Liga de Basquete Feminino ocorre às 10h deste domingo na cidade de São José dos Campos, no interior de São Paulo. Tanto Laís como Barbosa afirmam que não há favoritos para este jogo único que definirá o campeão.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG