Além de San Antonio x Cleveland e Denver x Charlotte, dois outros jogos chamam a atenção: Atlanta x Chicago e Boston x Phoenix

Uma dezena de partidas está reservada para a rodada desta quarta-feira à noite na NBA. Dos brasileiros, dois estarão em ação. O San Antonio Spurs, do catarinense Tiago Splitter, enfrenta o Cavaliers, em Cleveland, enquanto que o Denver Nuggets, do paulista Nenê Hilário, recebe o Charlotte Bobcats. Além desses, dois outros jogos também atraem na rodada: Atlanta Hawks x Chicago Bulls e Boston Celtics x Phoenix Suns.

Mas o certo é que os olhos da NBA estarão fixos na partida do San Antonio contra o Cleveland, marcada para as 21h de Brasília. Nesta terça-feira que passou, o time texano, jogando pela primeira vez em o armador Tony Parker, lesionado, foi batido pelo Memphis Grizzlies por 109 a 93. A diferença, de 16 pontos, ultrapassou a casa dos 20. Em nenhum momento do jogo o Spurs foi páreo para o Grizzlies.

Sem Parker o alvinegro cometeu 21 erros na partida e marcou muito mal — prova disso foram os 109 pontos marcados em uma defesa que sofre cerca de 96 por partida. “Não foram apenas os erros, mas também a falta de rebotes e concentração durante o jogo”, afirmou o técnico Gregg Popovich.

Manu Ginobili falou sobre a ausência de Parker: “Ele é o nosso líder em quadra. É um dos que tomam decisões e cantam as jogadas. Ele lida muito bem com a pressão e é muito criativo. Por isso, é uma parte muito grande do que somos”.

George Hill, substituto de Parker, anotou no jogo contra o Memphis apenas seis pontos e cometeu seis erros.

Este confronto colocará frente a frente o melhor time da NBA (San Antonio) e o lanterninha da competição (Cavs). Além de ter um elenco fraquíssimo, o Cleveland não poderá contar com o ala-pivô Antawn Jamison, contundido.

Depois de ter perdido Carmelo Anthony e Chauncey Billups, o Denver prova para seus torcedores que ainda há vida no Colorado. Sem a dupla foram quatro partidas: três vitórias e uma derrota. É certo que os três triunfos foram e casa e o único revés no campo inimigo, mas o time tem jogado bem sem Melo e Billups.

O problema do Denver para esta partida contra o Charlotte (23h) é a ausência de Danilo Gallinari. O ala italiano fraturou o dedão da mão esquerda e está fora de combate. Além de titular, Gallinari vinha pontuando como Carmelo (anotou 30 na derrota para o Portland Trail Blazers). Sem ele, entra Wilson Chandler, bom na defesa, mas sem a mesma eficiência ofensiva.

“Várias formações podem funcionar”, disse Raymond Felton. O armador tenta minimizar a ausência do italiano. “Temos uma equipe com muitas opções. Nosso treinador pode levar um tempo para achar a melhor formação, mas ele é muito bom e saberá como fazer isso”.

O Charlotte perdeu Gerald Wallace, trocado com o Portland. Perdeu seu melhor reboteiro e seu segundo cestinha. Em troca, recebeu jogadores de qualidades discutíveis: Joel Przybilla, Dante Cunningham e Sean Marks.

Além disso, o Cats, quando joga no Colorado, não costuma se dar bem. Até hoje, venceu apenas uma vez. Vem de três derrotas consecutivas. Chance para o Denver e Nenê saírem vencedores.

Brigando pela segunda posição no Leste, o Chicago terá um compromisso bem complicado nesta rodada: pega o Hawks, em Atlanta, às 21h. Será o terceiro compromisso seguido do Bulls fora de casa. Anteriormente, venceu Milwaukee Bucks e Washington Wizards.

O histórico recente deste confronto, quando jogada na Geórgia, não tem sido nada bom para o Chicago. Dos últimos cinco jogos, cinco vitórias do Atlanta. E elas aconteceram com uma vantagem média de 16,2 pontos. Pior ainda: dos últimos oito confrontos entre os dois contendores, o Bulls ganhou apenas uma vez. Isso foi em 19 de dezembro de 2009, única vitória, diga-se, de Derrick Rose sobre o Atlanta.

De qualquer maneira, o cartel recente de jogos do Chicago é muito bom. O time venceu sete de seus últimos oito confrontos. Nas três últimas vitórias, limitou seus adversários a uma média de 80,3 pontos e não possibilitou aproveitamento superior a 38% nos arremessos de três pontos.

O Atlanta volta à sua Philips Arena depois de uma excursão de sete partidas. Perdeu quatro delas. Mas em casa, o time venceu 14 de seus últimos 16 jogos. O único problema do técnico Larry Drew é o ala-pivô Josh Smith, que se contundiu na derrota passada diante do Denver.

Nenê Hilário e Kevin Garnett no jogo passado entre Denver Nuggets e Boston Celtics realizado no Colorado
Getty Images
Nenê Hilário e Kevin Garnett no jogo passado entre Denver Nuggets e Boston Celtics realizado no Colorado

Quem também volta ao conforto do lar é o Boston. Dono da melhor defesa do campeonato (91,3 pontos sofridos), líder da Conferência Leste e vice-líder no geral, o Celtics pega o Phoenix às 21h30 com transmissão ao vivo para o Brasil pela ESPN internacional.

O time de Massachusetts quer ir à forra na derrota sofrida no Arizona. Na ocasião (28 de janeiro passado), o Phoenix goleou o Boston por 88 a 71. Foi uma das piores exibições do Celtics nesta temporada.

Teoricamente, por jogar em casa e por ter mais time, o Celtics é o favorito. Mas o jogo do Phoenix se encaixa com o do adversário e o Suns vem num bom momento na competição. Venceu seus últimos quatro jogos, sendo que três deles foram “on the road”.

O jogo desta noite vai reprisar também o duelo entre Kevin Garnett e Channing Frye. No confronto do Arizona, Garnett foi expulso após ter dado um soco na região da virilha de Frye quando este fazia um arremesso de três.

Os outros jogos desta quarta-feira são:

Washington x Golden State (21h)
Detroit x Minnesota (21h30)
New York x New Orleans (21h30)
Oklahoma City x Indiana (22h)
Sacramento x Portland (0h)
Clippers x Houston (0h30)

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.