O ex-jogador da seleção elogiou o familiar, que tem uma média de quase 13 pontos por partidas no Pré-Olímpico

O ex-ala da seleção brasileira de basquete, Marcel de Souza, comentou a vitória da equipe nacional sobre a Argentina (obtida na quarta-feira por 73 a 71) de forma fria e coerente. No entanto, abandonou o discurso imparcial quando a questão foi o desempenho de seu genro Guilherme Giovannoni.

"O Giovannoni? É o melhor do mundo. Não é porque ele é meu genro ou porque eu treinei ele no juvenil. Ele é mesmo. Acima dele, apenas Michael Jordan, Magic Johnson, Oscar e alguns mais", afirmou, um pouco antes de cair risada.

"É claro que estou preso aos laços familiares. O Guilherme é muito bom jogador e está sendo muito importante para a seleção. Além disso, como ele é meu genro, eu não posso falar que ele não é bom e que tem muita gente melhor", disse o descontraído Marcel, que virou fenômeno na Internet com o "funk do basqueteiro".

No vídeo caseiro, o campeão pan-americano em Indianápolis-1987 criticou a perda da vaga para os Jogos Olímpicos de Pequim-2008. Na época, o Brasil era comandado pelo espanhol Moncho Monsalve.

Melhor do mundo ou não, Giovannoni é atual bicampeão do NBB (Liga Nacional de Basquete) pelo Brasília e foi MVP (melhor jogador) da última edição. O ala/pivô também não vem fazendo feio em Mar del Plata. Em sete jogos, anotou 90 pontos: uma média de 12,9 pontos por partida.  

Veja como foi a vitória do Brasil sobre a Argentina no Pré-Olímpico:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.