Na maior surpresa da competição até o momento, russos derrotam norte-americanos por 79 a 74 e despacham seleção de melhor campanha

A Rússia foi protagonista da maior zebra do Mundial Sub 19 até o momento ao vencer e eliminar a seleção norte-americana nas quartas de final . Os europeus derrotaram o time de melhor campanha da competição por 79 a 74 e estão entre as quatro melhores seleções do mundo na categoria.

Os russos tiveram como destaque o ala-armador Dmitry Kulagin, que saiu de quadra com 21 pontos e 12 rebotes. O ala Vladislav Trushkin marcou 19 pontos, enquanto o ala Sergey Karasev contribuiu com outros 17.

A seleção norte-americana teve o ala Jeremy Lamb como cestinha, anotando 21 pontos. O pivô Meyers Leonard fez 13 pontos e pegou cinco rebotes. O armador Joe Jackson foi responsável por 12 pontos.

Nesta sexta-feira, a Rússia enfrentará a Lituânia em uma das semifinais do torneio. Os EUA, por sua vez, passam a disputar entre as quinta e oitava posições e jogará contra a Polônia.

O início do jogo deu uma impressão do que seria visto na Arena Riga. Com oito dos primeiros 11 pontos anotados, os norte-americanos ensaiaram disparar no marcador de imediato, mas logo foram contidos pelos russos, liderados por Kulagin.

A mesa virou no minuto final do período, quando foi a vez da Rússia fazer uma série de cestas e assumir a dianteira. Ao fim dos dez minutos iniciais, a seleção europeia vencia por 25 a 18.

Os EUA voltaram melhor para o segundo quarto e chegaram a encostar no placar marcando, novamente, oito dos primeiros 11 pontos. No entanto, os russos a se recuperar e disparar nos minutos finais, indo para o intervalo com vantagem de 40 a 30.

O terceiro período foi o único em que os norte-americanos realmente mostraram o basquete avassalador de rodadas anteriores. Impondo forte defesa, permitiram apenas 12 pontos aos russos e, sob o comando de Lamb, anotaram 23. Com cesta do ala Kyhle Marshall faltando seis segundos para o fim do quarto, os norte-americanos assumiram e foram para os dez minutos decisivos com 53 a 52 no placar.

No entanto, o brilho dos EUA parou por aí e os russos voltaram a tomar o controle da partida. Com Kulagin novamente em quadra, o time europeu alcançou a liderança novamente com sete minutos para o término do confronto e não deixariam mais escapar.

Com 38 segundos no cronômetro, uma bola de três de Trushkin colocou os russos seis pontos na frente (74 a 68) e bastou um bom aproveitamento na linha dos lances livres para que os russos pudessem comemorar a classificação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.