Discussão sobre sistema de tetos salariais dos jogadores é um dos problemas a serem resolvidos na liga de basquete norte-americana

J

ogadores da NBA e donos de franquias seguem longe de um acordo para pôr fim à greve que paralisa a liga norte-americana de basquete. Neste sábado, mais de sete horas de conversas não foram suficientes para atenuar o conflito que envolve principalmente as faixas salariais dos atletas. 

As duas partes vão voltar a se encontrar na segunda-feira, em mais um esforço para tentar salvar a temporada da NBA, que está marcada pra começar no dia 1.º de novembro. Boa parte do cronograma da pré-temporada já foi cancelado e os jogadores sequer podem realizar atividades físicas em seus clubes. 

"Ainda estamos a milhas de distância de um acordo", disse Billy Hunter, representante dos jogadores. "Há uma lacuna enorme que não sei se seremos capazes de fechar." 

A reunião deste sábado foi a mais longa realizada desde o anúncio da greve, em 1.º de julho. Nela discutiu-se apenas a mudança no sistema de tetos salariais. Nem se entrou no outro tema que paralisa a NBA: a divisão de lucros. 

Comissário da NBA, David Stern disse, ao fim da reunião, que não havia nenhuma novidade quanto ao cancelamento de mais jogos da pré-temporada. Nada também sobre a temporada regular. "O nosso desejo seria o de não cancelar. Tínhamos a esperança de que este fim de semana seria produtiva mas, por razões que entendemos, os jogadores sugeriram retomar na segunda-feira", explicou.

    Leia tudo sobre: nba
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.