Ioannis Bourousis, destaque do Olympiacos, sugere ter se dopado para jogar em conversa telefônica gravada pela polícia da Grécia

A carreira do pivô grego Ioannis Bourousis, uma das principais estrelas do basquete europeu, está bastante ameaçada. Tudo porque o jogador do Olympiacos, da Grécia, está sendo acusado por uso de doping.

A namorada de Bourousis é irmã de Stavros Psomiades, presidente do Kavala – time de futebol que atua na primeira divisão grega. O pai do cartola é Makis Psomiades, acionista da equipe, que está sendo procurado pela polícia do país por envolvimento em escândalo de manipulação de resultados.

O serviço secreto grego afirma ter centenas de gravações telefônicas entre pessoas com participação no caso. Uma das conversas é entre Psomiades e Bourousis. Nela, o pivô conta que está tendo problemas para dormir depois de ter tomado uma certa substância. O acionista do Kavala conta que os atletas que atuam no Kavala também estão passando pelo mesmo problema.

“Ontem, estávamos assistindo o seu jogo e o gerente do hotel me disse que você era o único que jogava com paixão, e isso sem ninguém sabendo de nada do que acontece com você”, disse Psomiades em determinado momento da conversa.

A partida em questão era entre Olympiacos e Panathinaikos, válida pela liga grega. Os dois riram da situação e conversaram mais um pouco sobre o jogo, antes de Bourousis pedir: “Senhor Makis, devo te avisar que o 'remédio' está acabando, preciso de mais para as finais”.

Em fevereiro, o técnico do Olympiacos, Dusan Ivkovic, afastou Bourousis por um mês. Quando perguntado sobre o que o levou a tomar esta decisão, o treinador disse que o atleta estava com o "metabolismo irregular".

Bourousis não chegou a ser pego, pois não há exames anti-doping na liga grega. O atleta será chamado para prestar esclarecimento sobre o que quis dizer com “remédio” na conversa telefônica. A presença do pivô no Eurobasket deste ano está praticamente descartada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.