Imagens da pancadaria em quadra foram retiradas de sites e agêncuas de comunicação oficiais não noticiaram o fato

Reuters
Jogadores do Bayi Rockets e de Georgetown começaram a briga no último quarto do amistoso
Uma violenta briga em Pequim entre duas equipes de basquete , uma da China e outra dos Estados Unidos, foi censurada nesta sexta-feira pelo país asiático devido a seu simbolismo político. O jogo foi organizado pelos governos dos dois países e ocorreu durante a semana em que o vice-presidente norte-americano, Joe Biden, visita a capital chinesa.

As imagens da briga, que alguns torcedores registraram em vídeo e divulgaram na internet, foram retiradas dos sites chineses, embora ainda possam ser vistas no YouTube. Além disso, os meios de comunicação oficiais da China, como a agência Xinhua, não informaram nada sobre a confusão. E as notícias sobre o fato em portais de notícias, como o Sina e o 163.com, foram apagadas.

Fábio Sormani: Brasileiros já haviam sofrido com violência na China

Após uma rasteira de um jogador chinês em um norte-americano, quando as equipes estavam empatadas em 64 pontos, a menos de 10 minutos do fim da partida, as equipes se envolveram em uma briga com murros e lançamento de cadeiras. Alguns veículos de imprensa dos Estados Unidos retrataram a pancadaria como símbolo da rivalidade entre Pequim e Washington.

A equipe norte-americana da Universidade de Georgetown, que disputa a liga universitária dos EUA, tem identificação com o governo, já que sua sede fica próxima à Casa Branca. Já o time chinês que participou do jogo, o Bayi Rockets, é propriedade do Exército de Libertação Popular.

O vice-presidente Joe Biden assistiu a outro amistoso do time de Georgetown, também em Pequim, na quarta-feira passada. Nesse encontro, contra a equipe chinesa Shanxi Zhongyu, não foram registrados incidentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.