Presidente do Miami Heat diz não concordar com vários dos comentários da mídia especializada sobre o ala e a equipe da Flórida

O presidente e gerente geral do Miami Heat, Pat Riley, aproveitou a sua última entrevista oficial na temporada 2010/11 para sair em defesa de vários dos integrantes do elenco vice-campeão da NBA . Além de expressar o seu apoio ao técnico Erik Spoelstra , o dirigente afirmou que as críticas da imprensa ao ala LeBron James nos jogos decisivos dos playoffs foram exageradas.

Depois de liderar o Heat no caminho até o título da Conferência Leste , o astro teve atuação decepcionante nas finais e sua passividade foi tema de várias discussões na mídia especializada. “Isso se tornou um tipo de destaque da história toda e eu acho que não está certo”, disse. “É totalmente errado jogar tudo em cima dele”.

Alguns dos comentaristas sugeriram que LeBron precisaria reinventar seu jogo e desenvolver movimentos característicos, jogadas de segurança, com as quais pudesse contar em qualquer momento de uma partida. Riley discorda radicalmente desta posição.

“Ele não precisa ter uma jogada característica”, falou o veterano, que logo após disparou contra os analistas. “Quero dizer, eu amo ler todos estas pessoas que nunca treinaram em suas vidas e, de repente, se tornam especialistas sobre o que ele precisa”.

O único ponto do jogo do duas vezes MVP que Riley aconselha a desenvolver é sua capacidade de criar o próprio arremesso de média distância. “(Diria para treinar) Como criar espaço em relação ao defensor para pular e fazer cestas, assim como Wade já fez no passado”.

Depois de ter deixado claro que não pretende trocar nenhum dos integrantes do “Big Three” (LeBron, Wade e o ala-pivô Chris Bosh), o executivo fechou sua entrevista dizendo não concordar também com a noção divulgada na imprensa de que o Heat não foi um time.

“Uma coisa com a qual eu, na posição de ex-técnico, fico chateado é dizerem que nós não éramos um time”, revelou. “É comum que se diga que quem venceu foi mais ‘time’ do que o outro. Mas nós nunca teríamos chegado tão longe sem sacrifícios, funções e os veteranos aceitando papéis na rotação”.

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.