Tamanho do texto

Mais uma vez os jogadores de basquete não chegaram a um acordo com os proprietários das 30 franquias

selo

Getty Images
David Stern, comissário da NBA, indicou que primeiras semanas da temporada serão canceladas
Está cada vez mais difícil acontecer a temporada 2011/2012 da NBA (liga profissional norte-americana de basquete). Em mais uma rodada de negociações, nesta terça-feira, em Nova York, proprietários das 30 franquias e jogadores não chegaram a um acordo para pôr fim à greve que paralisa a liga. Cerca de quatro horas de conversas não foram suficientes para resolver o conflito que envolve principalmente as faixas salariais dos atletas.

Como resposta a mais uma negociação fracassada, a NBA anunciou, momentos após o término da reunião, no início da noite desta terça, o cancelamento do resto dos jogos prevista para a pré-temporada, que aconteceriam até o próximo dia 27. Anteriormente, a direção da liga já havia cancelado o início dos campos de treinamentos - que aconteceria no último dia 1.º - e os primeiros 43 duelos pela pré-temporada.

"A situação estão tão pessimista que não há agendada qualquer nova reunião para tentar acabar com a greve. Não há discussão sobre novos encontros. Talvez daqui um mês ou dois", afirmou Billy Hunter, representante dos jogadores, que teve a companhia nesta terça de vários astros da NBA como Kobe Bryant e Derek Fisher (ambos do Los Angeles Lakers) e Kevin Garnett e Paul Pierce (ambos do Boston Celtics).

Assim, o comissário da NBA, David Stern, já indica que as duas primeiras semanas da temporada regular, prevista para começar no próximo dia 1.º, sejam canceladas, o que já acarretaria enorme prejuízo para os donos das franquias e para os jogadores. "Tentamos dar um grande passo, mas isso não funcionou. Pensávamos que este era o dia... que teríamos uma real oportunidade de fazer progresso. Mas não foi assim", disse o dirigente.

    Leia tudo sobre: nba
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.