Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Nacional feminino estreia neste sábado com clássico paulista

Americana e Santo André reeditam a final do Campeonato Paulista. Time do interior venceu torneio regional

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860196759&_c_=MiGComponente_C

A rodada inaugural da Liga de Basquete Feminino (LBF) será aberta neste sábado com um clássico regional. Santo André e Americana reeditam a final do Campeonato Paulista no Complexo Esportivo Pedro Dell'Antonia, a partir das 17 horas. O jogo será transmitido ao vivo pelo canal SporTV.

O técnico Luiz Augusto Zanon, que conquistou o título com Americana, espera uma partida dura fora de casa. Para ele, o fato de seu time ter vencido o título estadual e o troféu dos Jogos Abertos do Interior pouco quer dizer.

"Essa estreia na Liga de Basquete Feminino vai ser complicada, porque o time do Santo André tem um elenco estruturado, manteve a base do ano passado e ainda trouxe a Micaela, que tem experiência e qualidade", lembra Zanon, treinador de jogadoras importantes como Helen Luz, Karen Gustavo, Karla e Mamá. "Todo mundo fala da Helen, que é mais experiente, mas esquece que nosso time é jovem", ressalta.

Rafael Amadei/Divulg.
Veterana armadora Helen Luz é o destaque de Americana no campeonato

Na final do Paulista, Americana levou o título ao vencer a série por 3 a 2, depois de ter perdido os dois primeiros jogos. Foi uma virada que as jogadoras do Santo André não esperavam, mas que pode ser amenizada agora com uma vitória sobre Americana no batismo da LBF. A técnica Laís Elena não encara o duelo como uma vingança, mas acredita que suas atletas têm chances de conquistar o triunfo.

"Eu não vejo sentido de revanche nesse jogo, que tenho certeza que será muito difícil, avaliou. Claro que as meninas estão motivadas, até porque perdemos o Paulista daquele jeito depois de sairmos na frente, mas é um início de trabalho. A Liga tem tudo para ser um sucesso, porque as equipes estão bem niveladas", conta a treinadora do Santo André. "Considerando tudo isso, começar a Liga com o pé direito seria excelente.

O outro jogo das 17 horas será em Santa Catarina, onde o Joinville fará as honras da casa contra o Basquete Clube (Araçatuba) no ginásio Ivan Rodrigues. "Nossa cidade tem certa história no basquete feminino, e agora estamos retomando um trabalho, de forma modesta, mas buscando nos superar para podermos nos firmar no cenário nacional", diz Rose Alfarth, técnica do Joinville. "Esperamos que a torcida nos dê uma força nesse início."

A lateral Cléia Crepaldi, do Basquete Clube, ficou quatro anos jogando na Itália. Aos 33 anos, espera reencontrar um basquete competitivo. "Estou voltando agora e já estou muito contente porque senti que o campeonato tem algumas ideias parecidas com as que vi na Europa, disse. Vamos tentar fazer o nosso papel, jogar com força, com garra. A equipe é jovem, mas buscaremos evoluir nesse torneio que tem tudo para ser um sucesso."

Rafael Amadei/Divulg.
Liga Feminina de Basquete foi apresentada na última terça-feira na capital paulista

Os dois jogos que fecham rodada inicial da LBF começam às 18 horas. No Rio de Janeiro, Mangueira receberá Catanduva, atual campeão nacional. "Estou tendo uma oportunidade que poucas meninas da minha idade tiveram, acho que sou a mais nova do campeonato. Com certeza eu vou aprender muito desde o primeiro jogo", imagina a lateral Isabela Ramona, a caçula da Liga com apenas 16 anos de idade.

Em São Caetano do Sul, o quinteto local orientado pelo técnico Norberto Borracha medirá forças com Ourinhos, uma das equipes mais fortes do campeonato. O time da 'Capital do Basquete' tem o comando do treinador Urubatan Paccini e conta no elenco com jogadoras do calibre da armadora Bethania e da ala Fernanda Belling, integrante do selecionado brasileiro no Mundial da República Checa, mês passado

Leia tudo sobre: basquete - lbf

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG