Norte-americano não poderá defender a Seleção Brasileira no Pré-Olímpico, pois documentação não vai ficar pronta a tempo

A CBB (Confederação Brasileira de Basquete) e a seleção brasileira, que já está treinando visando à disputa do Pré-Olímpico, receberam uma má notícia nesta quinta-feira. O Ministério da Justiça brasileiro impossibilitou a naturalização do armador norte-americano Larry Taylor.

Desta forma, o atleta do Bauru não poderá defender o Brasil na competição que dará duas vagas nas Olimpíadas de Londres, em 2012. Nascido em Chicago , o norte-americano entrou com o pedido no ano passado, teve o visto de permanência concedido, porém o processo da naturalização foi negado.

O jogador de 30 anos lamentou o fato e se colocou à disposição do técnico Ruben Magnano para continuar realizando atividades com o grupo. "Não há como negar que a notícia me abalou um pouco", disse o armador. "Porém, eu sabia que essa possibilidade existia. Não vou me deixar abater com esse acontecimento e continuarei treinando com o grupo. Ficarei aqui até quando o Ruben quiser".

Magnano também não escondeu a frustração . "Fiquei extremamente triste pela Seleção Brasileira e pelo profissional Larry que conheço há pouco tempo, mas o suficiente para admirá-lo", afirmou. "Na parte técnica perdemos bastante, pois nos treinos ele vinha se mostrando um jogador muito útil e inteligente, com incrível capacidade de captar o que lhe peço".

Apesar de não poder contar com Taylor no torneio em Mar del Plata (na Argentina), os trâmites do processo não cessarão. É o que garante Vanderlei Mazzuchini, diretor da seleção: "O processo continua. Nós da CBB faremos sempre o que for possível para orientar o atleta".

Larry foi eleito o melhor armador da temporada 2010/11 do NBB e comandou o time de Bauru ao quinto lugar da competição. Suas médias na liga nacional foram de 14,0 pontos, 5,9 assistências e 4,9 rebotes por partida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.