Time da Flórida recebe o Portland Trail Blazers. Em Atlanta, o Hawks recepciona o Lakers, que busca sua oitava vitória seguida

Seis jogos e novamente nenhum brasileiro em ação nesta terça-feira da NBA. Mas há dois grandes jogos marcados para a rodada.

O que desperta maior atenção acontece às 21h30 de Brasília em Miami, onde o time da casa coloca em quadra toda a sua crise diante do Portland Trail Blazers. O Heat vem de quatro derrotas consecutivas, o técnico Erik Spoelstra revelou em entrevista coletiva intimidades do vestiário do time ao dizer que alguns jogadores choraram depois da derrota para o Chicago e a confiança parece ter desaparecido.

Além disso, nos últimos seis confrontos contra equipes que têm um aproveitamento igual ou superior a 50%, o Heat não conseguiu nenhuma vitória.

Irritado com a situação, Dwyane Wade foi irônico na entrevista coletiva de segunda-feira. Disse o ala-armador: “O Miami está fazendo exatamente o que todo mundo queria, perdendo partidas. O mundo está melhor agora porque o Heat está perdendo”.

Wade e LeBron James têm uma marca bem negativa nesta temporada. Em 17 partidas definidas nos últimos dez segundos, o time não conseguiu levar para a prorrogação ou vencer em 16 delas. Em apenas uma vez conseguiu o seu intento.

De todo o modo, o Miami é o terceiro colocado no Leste e o sexto no geral. Mas seu desempenho recente diante de equipes com recorde superior a 50% é de três vitórias e nove derrotas desde janeiro passado.

E das dez partidas disputadas contra equipes que têm campanha melhor, venceu uma (Lakers) e perdeu nove.

Recuperar-se vai ser tarefa difícil para o Heat, mesmo jogando em Miami. Isso porque o Portland Trail Blazers vem com um cartel recente muito bom: venceu dez de seus últimos 13 confrontos e enfileirou três vitórias seguidas, a última delas diante do Magic, em Orlando. Mas, é bom dizer, o time da Flórida jogou sem Dwight Howard, seu melhor jogador, que estava suspenso.

Se fizer 13 pontos nesta terça-feira, Kobe Bryant torna-se o sexto maior cestinha da história da NBA
Getty Images
Se fizer 13 pontos nesta terça-feira, Kobe Bryant torna-se o sexto maior cestinha da história da NBA

O segundo jogo sedutor desta terça-feira acontece meia hora mais cedo, ou seja, às 21h de Brasília, em Atlanta. O Hawks, time da casa, recebe o Los Angeles Lakers, que vem de uma sequência de sete jogos e sete vitórias depois do “break” do “All-Star Game”. Busca enfileirar o oitavo triunfo ao mesmo tempo em que tenta quebrar uma sequência de três derrotas na Geórgia.

A boa fase do Lakers começou exatamente com uma vitória diante do Atlanta. Foi o primeiro confronto depois do “All-Star”. Em Los Angeles, o time venceu por 104 a 80, em 22 de fevereiro passado.

O jogo pode ter um significado especial também para Kobe Bryant. Com 13 pontos ele ultrapassa Moses Malone e assume a sexta posição entre os maiores cestinhas da história da NBA.

Ao longo de seus 19 anos de carreira, Malone anotou 27.410 pontos. A ressaltar: nesta segunda-feira que passou, Kevin Love, ala-pivô do Minnesota Timberwolves, anotou seu 51º “double-double” seguido e igualou a marca estabelecida por Malone na temporada 1978/79.

Kobe não tem tido bons desempenhos na Philips Arena de Atlanta. Nos três jogos em que o Lakers foi derrotado, Bryant teve média de 18,7 pontos.

Os outros jogos desta terça-feira são:

Cleveland x Golden State (21h)
Indiana x Philadelphia (21h)
Washington x Milwaukee (21h)
Phoenix x Houston (23h)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.