Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Miami chega à final com time bastante mudado em relação a 2010

Veja quais foram as movimentações que Pat Riley, presidente do Heat, fez no elenco da equipe durante os últimos meses

Luís Araújo, iG São Paulo |

A derrota fora de casa por 96 a 86 diante do Boston Celtics no dia 27 de abril de 2010 colocou um ponto final na temporada 2009/10 do Miami Heat. Pelo segundo ano consecutivo, o time caía na primeira fase dos playoffs. Nos meses seguintes à eliminação, o elenco passou por uma profunda reformulação.

O presidente da franquia, Pat Riley, trabalhou bastante para construir a equipe que viria a conquistar a Conferência Leste nesta temporada , tanto que acabou ganhando o prêmio de melhor executivo da liga . Dos jogadores que encerram o campeonato passado, apenas sete permaneceram: Joel Anthony, Carlos Arroyo, Mario Chalmers, Udonis Haslem, James Jones, Jamaal Magloire e Dwyane Wade.

Wade correu sério risco de deixar o Miami. O ala-armador tornou-se agente livre a partir do dia 1º de julho de 2010 e poderia assinar contrato com qualquer outro time da NBA. Muitos apontavam o Chicago Bulls como destino do jogador. Ele próprio admitiu que chegou a pensar em atuar pelo ex-time de Michael Jordan .

No dia 7 de julho, Wade anunciou que renovaria o vínculo com a equipe. Os torcedores ficaram aliviados com a notícia, e tiveram ainda mais motivos para festejar. No mesmo dia, o ala-pivô Chris Bosh, que também era agente livre, revelou que iria se juntar a Wade no Miami.

Wade e Bosh não eram as únicas estrelas que tiveram seus contratos encerrados em julho de 2010. LeBron James, eleito o melhor jogador da liga nas duas temporadas anteriores, também era agente livre. O ala optou por não renovar o contrato imediatamente com o Cleveland Cavaliers e, assim, testar o mercado.

nullNew York Knicks, New Jersey Nets, Chicago Bulls, Dallas Mavericks e Los Angeles Clippers, além do Heat, tentaram seduzir LeBron. O futuro do atleta era uma incógnita. Mas o mistério foi desvendado no dia 8 de julho. Durante um programa especial para a ESPN (veja vídeo ao lado), ele afirmou que também se tornaria jogador do Miami.

A união de três dos maiores jogadores de basquete da atualidade, que integraram a seleção norte-americana campeão olímpica de 2008, colocava automaticamente o Heat como um dos grandes candidatos ao título da temporada. O trio assinou oficialmente o contrato no dia 9 de julho e foi apresentado à torcida com direito a uma grande festa no ginásio do time.

Depois de adquirir os três principais jogadores disponíveis no mercado, a missão de Riley era a de contratar peças de apoio para a equipe. Antes mesmo do mês de julho se encerrar, chegaram os experientes Mike Miller, Eddie House, Zydrunas Ilgauskas e Juwan Howard.

A base estava montada e a equipe iniciou em novembro o período de preparação para a disputa da temporada 2010/11. Poucos dias antes do início do campeonato, mais um atleta foi contratado: o veterano pivô Erick Dampier, que havia sido dispensado do Charlotte Bobcats.

Getty Images
Dwyane Wade, Chris Bosh e LeBron James foram apresentados com festa em Miami
A última peça foi adicionada no decorrer da temporada. Em busca de um armador experiente, Riley foi atrás de Mike Bibby, que acertou uma rescisão contratual com o Washington Wizards em março. A chegada do atleta implicou na dispensa de Carlos Arroyo, que dias depois se juntou ao Boston Celtics.

Depois da última cartada dada por Riley na busca pelo time ideal, o Heat começou a emplacar. Dos 18 últimos jogos da fase classificatória, a equipe venceu em 15 oportunidades. E nos playoffs, foram 12 vitórias e apenas três derrotas ao longo das fases anteriores.

O Dallas Mavericks é o último adversário no caminho do Miami. Uma vitória sobre o time texano na decisão fechará com chave de ouro o trabalho arquitetado por Riley durante um ano todo.

Leia tudo sobre: miami heatpat rileynba

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG