Tamanho do texto

Ainda sob a indefinição da questão dos seguros, ala-armador recupera-se de lesão no cotovelo e busca recuperar forma física

O ala-armador Manu Ginobili está em sua cidade natal, Bahia Blanca, e iniciou preparação visando integrar a seleção argentina que disputará em casa o Pré-Olímpico das Américas, a partir de 30 de agosto. O jogador, porém, ainda está se recuperando de uma pequena fratura em um osso do cotovelo direito sofrida no último jogo da temporada regular do San Antonio Spurs.

Embora quase já não sinta dores na região contundida, Ginobili está limitado a trabalhos de musculação. Mas, em alguns dias, o atleta espera voltar às quadras e treinar normalmente. “Eu não estou jogando basquete agora, apenas levantando peso com cuidado”, explicou. “Em breve, eu começarei a arremessar alguns lances livres e vamos ver como as coisas andam”.

Prestes a completar 34 anos, o argentino dá importância extra para o Pré-Olímpico por poder ser uma de suas últimas experiências com a seleção e atuando diante de sua torcida.

“Isso é muito, mas muito importante para mim”, afirmou. “Não apenas por me dar a minha última oportunidade de jogar uma Olimpíada, mas também por ser a primeira vez que vamos jogar na Argentina em uma década. É um período curto, nove jogos, mas será divertido”.

No entanto, a presença de Ginobili ainda não é certa na competição. A questão dos seguros e a provável greve na NBA complicam a situação de vários atletas estrangeiros que pretendem defender suas seleções nos próximos meses. O veterano ala-armador não é exceção e torce para não ser obrigado a decidir entre participar ou não do torneio.

“Se chegarmos neste ponto, será uma decisão realmente difícil”, falou. “Teremos que conversar com nossos companheiros e amigos para tomar uma decisão e não acho que muitos jogadores terão condições de defender seus países se não encontrarmos uma opção para os seguros”.

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.