Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Magnano diz que desafio para Londres é convocar com inteligência

Treinador da seleção de basquete afirma que nenhum jogador tem lugar cativo na equipe e revela detalhes da preparação olímpica

Luís Araújo, especial para o iG, de São Paulo |

O treinador da seleção brasileira masculina de basquete, Rubén Magnano, afirmou que o grande desafio que tem pela frente será montar a equipe que vai às Olimpíadas de Londres com inteligência. O argentino sofre pressão contrária e favorável à convocação do trio Nenê Hilário, Anderson Varejão e Leandrinho, ausentes no Pré-Olímpico de Mar del Plata.

Leia mais sobre basquete no blog do Fábio Sormani

“Meu maior desafio é ter capacidade suficiente para que a convocação seja a melhor possível para o basquete brasileiro e, depois, que a preparação dê confiança para a equipe chegar bem às Olimpíadas,” afirmou o comandante da seleção, em entrevista realizada nesta sexta-feira em um hotel localizado na região dos Jardins da capital paulista.

Leia também: Magnano crê em acerto de Splitter com time espanhol

O recado de Magnano foi para quem imagina que os 12 atletas que participaram da conquista da vaga olímpica na Argentina têm lugar cativo na equipe que vai a Londres. “No time argentino que ganhou o ouro nas Olimpíadas de 2004, eu troquei dois jogadores em relação aos anos anteriores porque achei que eles ajudariam mais. Ninguém está garantido. Muita coisa pode acontecer nos próximos meses e mexer com a minha cabeça. É por isso que digo que meu maior desafio é fazer a melhor convocação possível para a equipe nacional.”

O início da preparação brasileira para as Olimpíadas está previsto para a segunda semana de junho. O objetivo da comissão técnica é fazer com que a seleção realize cerca de dez jogos amistosos no período que antecede a competição em Londres. De preferência, sem que haja grandes deslocamentos.

Leia também: Agora é pegar ou largar para os jogadores após proposta derradeira da NBA

De acordo com o diretor das seleções masculinas do Brasil, Vanderlei Mazzuchini, a CBB (Confederação Brasileira de Basquete) recebeu alguns convites de amistosos e já planeja os possíveis adversários para a preparação olímpica, e a intenção é fazer com que o Brasil enfrente equipes consideradas fortes.

Jogar contra os melhores do mundo é o que comandante mais deseja. “Esse é o meu ideal. Vamos enfrentar seleções muito boas durante a nossa preparação e vamos chegar bem a Londres. Será muito benéfico se enfrentarmos times do leste europeu, pois eles têm uma filosofia de jogo bastante interessante.”

Guilherme Tosetto
Rubén Magnano responde perguntas ao lado de Vanderlei Mazzuchini, diretor da seleção masculina

Questionado sobre o que a seleção pode conseguir em Londres, Magnano evitou fazer prognósticos. “Sempre peço que meus jogadores sonhem com o máximo e que cheguem para competir de verdade, sem pensar nos outros. Sabemos o que teremos pela frente nos Jogos Olímpicos. Nosso pensamento é o de acertar ao máximo, da maneira que sempre fazemos,” afirmou o comandante.

Renovação

Magnano tem contrato em vigor com a seleção brasileira até junho de 2012. Vanderlei contou que a CBB espera acertar o prolongamento do acordo com o treinador já no início do próximo ano. “Ele é uma peça fundamental na reestruturação do basquete brasileiro. É uma pessoa diferenciada como profissional e como homem. Vamos nos esforçar ao máximo para mantê-lo conosco,” disse o diretor.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG