Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Leandrinho e Nenê participam da rodada deste sábado da NBA

Barbosa e o Toronto pegam o Nets em Londres; Hilário e o Denver vão a Los Angeles enfrentar o Clippers

iG São Paulo |

Getty Images
Deron Williams conversa com o técnico Avery Johnson durante o jogo de sexta contra o Toronto

Seis jogos movimentam a NBA neste sábado. Novamente New Jersey Nets e Toronto Raptors se enfrentam em Londres e além de Leandrinho Barbosa, que atua no time canadense, Nenê Hilário também estará em quadra: seu Denver Nuggets visita o Los Angeles Clippers no jogo mais atraente da rodada.

O confronto em solo europeu será novamente na Arena O2 e igualmente marcado para as 17h de Brasília. E uma vez mais a atração ficará por conta da presença de Deron Williams. Ex-jogador do Utah Jazz, D-Will, como é chamado o armador do New Jersey, foi envolvido em uma troca com Devin Harris logo após o “All-Star Game”.

Seu contrato, no entanto, encerra-se ao final desta temporada. O dono do Nets, o bilionário russo Mikhail Prokhorov, está em solo britânico acompanhando os jogos. E tem se reunido com Williams na tentativa de estender o contrato do jogador em troca de uma bolada de dinheiro.

Muito da decisão de D-Will passa pela competitividade do time. O New Jersey tem uma comissão técnica muito boa, comandada por Avery Johnson, vice-campeão da NBA em 2066, e que conta também com Sam Mitchel, “Coach of the Year” no ano seguinte, quando dirigia exatamente o Toronto, o adversário deste sábado.

Williams, até o jogo de ontem, tinha acumulado três jogos e três derrotas com sua nova equipe. Diante dos canadenses, entrou no último quarto atrás em quatro pontos. Mas o jogo que o time fez nos 12 minutos restantes foi empolgante: registrou 38 a 22 e fechou a partida em 116 a 103, primeiro triunfo de Deron com a camisa do Nets.

“A gente teve muita garra hoje (sexta-feira)”, disse D-Will, que anotou 16 pontos e deu 11 assistências, tornando-se um dos destaques da partida. “Estávamos preocupados em como a viagem poderia interferir em nosso jogo; o cansaço, essas coisas. Mas tivemos muita energia em quadra. Tivemos momentos de muito brilho e alguns jogadores jogaram muito bem”.

Prokhrov espera que esta declaração empolgada de Williams seja início de que o jogador pode ficar.

O time, no entanto, tem apenas chances matemáticas de se classificar para os playoffs. O mesmo para o Toronto. O New Jersey é o 12º colocado do Leste (18-43, 29,5%), enquanto que os canadenses vêm uma posição abaixo (17-45, 27,4%).

Getty Images
Nenê Hilário é atração neste sábado em LA

Ao contrário de Leandrinho, que dificilmente vai participar dos playoffs, Nenê e o Denver estão bem cotados para participar da fase mais importante do campeonato. O Nuggets é o atual quinto colocado do Oeste (37-26, 58,7%) e mesmo depois da saída de Carmelo Anthony e Chauncey Billups, que foram para o New York Knicks, o time não perdeu força.

Terá um teste importante na noite deste sábado. O time vai a Los Angeles enfrentar o Clippers à 0h30.

Com novos jogadores vindo da “Big Apple”, o Denver passou a jogar em conjunto, o que melhorou o desempenho da equipe em quadra. Sem Melo e Billups o time fez seis partidas e foi derrotado em apenas uma delas. Assim mesmo na prorrogação — Portland, no Oregon.

Nenê terá um trabalhão pela frente neste sábado. Vai ter que cuidar do garrafão com muita atenção, pois o Clippers conta com três jogadores excelentes quando o assunto são os rebotes: Blake Griffin (deve ser eleito o melhor novato da temporada), Chris Kaman e DeAndre Jordan.

O paulista de São Carlos terá de contar com o apoio de Kenyon Martin e Chris Andersen para não perder este duelo.

Desde a saída de Anthony e Billups, Nenê teve duplo dígito na pontuação em todos os seis jogos. Está com média de 13,1 pontos. Poderia estar com mais, mas o técnico George Karl poupa os jogadores o máximo que pode. Nenê tem jogado em média 30 minutos dos 48 disponíveis em uma partida da NBA.

Importante: o Denver tem o melhor ataque da competição com média de 107,5 pontos por partida. Sem Carmelo e Chauncey, a média é de 106,3. Tão importante quanto a pontuação é a atuação da defesa: a equipe colorada, desde a saída dos dois jogadores, passou a sofrer apenas 93,3 pontos por jogo, 10,7 a menos.

“Estamos focados nos dois lados da quadra”, disse Karl, ressaltando o trabalho defensivo do time. “Desde que aqui cheguei, a defesa tem sido a nossa dor de cabeça. Nunca foi o nosso ponto forte. Creio que estamos vendo uma equipe que pode se tornar especial defensivamente falando”.

E neste sábado, mais do que nunca o Denver vai ter que fazer um forte trabalho defensivo. Griffin, além de ótimo nos rebotes, é igualmente forte na pontuação (tem 22,8 de média). Além dele, o Clippers conta com o ala-armador Eric Gordon, medalha de ouro com os EUA no Mundial da Turquia no ano passado.

Gordon ficou ausente 18 partidas por conta de contusão. Voltou no jogo passado diante do Houston. O time californiano venceu por 106 a 103 e Eric anotou 24 pontos, exatamente a sua média no campeonato.

Mo Williams, ex-companheiro de Anderson Varejão no Cleveland Cavaliers, é outro jogador que pontua bem no time de Los Angeles: 13,4 por jogo na competição. Mas nos dois jogos com a camisa do Clippers, acumulou média de 16,5 pontos.

Os outros jogos desta rodada são:

Washington x Minnesota (21h)
Houston x Indiana (22h30)
Utah x Sacramento (23h)
Portland x Charlotte (0h)

 

Leia tudo sobre: Deron WilliamsNew Jersey NetsNBANenê Hilário

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG