Tamanho do texto

José 'Piculín' Ortiz já havia sido preso após ter reconhecido que possuía 218 pés de maconha em sua residência

Getty Images
José Ortiz, o Piculín, se aposentou em 2006
O ex-jogador de basquete portorriquenho José 'Piculín' Ortiz foi preso nesta terça-feira por consumo de cocaína, indicado em uma análise surpresa, depois que a juíza federal Camille Vélez Rivé revogou sua fiança.

Leia também: Ex-jogador de basquete de Porto Rico é preso por cultivo e posse de drogas

Ortiz, que já se encontrava em um processo judicial anterior por terem sido encontradas plantações de maconha em sua casa, se apresentou no Tribunal Federal de San Juan depois de ter sido convocado pela Promotoria a se apresentar nesta terça após o positivo para cocaína, apontado em um teste toxicológico feito na última sexta-feira.

Ainda na sexta, 'Piculín' se declarou culpado após chegar a um acordo com a Procuradoria Federal pelo qual reconhecia a posse em sua residência de 218 plantas de maconha. Por esse delito, ele já havia sido detido em 29 de junho deste ano .

O representante legal de Ortiz, Héctor Ramos, tentou justificar o positivo de seu cliente se baseando em um estudo médico segundo o qual é normal que pessoas que ingressaram em um centro de reabilitação tenham recaídas na dependência.

A juíza disse ao ex-jogador que o mandaria para a prisão por conta da impossibilidade de dar-lhe uma quarta oportunidade de liberdade desde sua detenção inicial por cultivo de maconha.

Antes, Camille havia concedido ao ex-atleta a oportunidade de ingressar em um centro de detenção e de dar treinamentos a crianças e jovens em Cayey, cidade onde ele foi preso na primeira vez.