Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Ídolo de Porto Rico é preso por cultivo e posse de maconha

José ''Piculín'' Ortiz tinha mais de 200 pés de maconha em sua casa e pode ser condenado a até 40 anos de prisão

iG São Paulo |

O ex-jogador José “Piculín” Ortiz, ídolo da seleção de Porto Rico, foi preso na manhã desta quinta-feira em sua casa, na cidade de Cayey. De acordo com a fiscal federal Rosa Emília Rodriguez, foram encontrados 218 pés de maconha na residência. A prisão pôs fim a uma investigação que já durava um mês.

Além das plantas, agentes do Escritório de Imigração, Alfândega e polícia local apreenderam manuais de instruções sobre o cultivo da droga e 40 balas de calibre 5,56, compatíveis com rifles AR-15. Se condenado, Ortiz enfrentará período de cinco a 40 anos de prisão.

Rodríguez disse que o ex-jogador admitiu que todos os materiais apreendidos eram seus e a maconha era cultivada para venda externa, não consumo próprio. “Foi notada a experiência que tinha para cultivar”, afirmou a agente.

A notícia do envolvimento de Ortiz com o cultivo de drogas foi encarado com pesar por vários atletas do país. “Não tenho palavras, estou muito triste”, disse o armador Carlos Arroyo. “Eu gosto muito dele. Me sinto chateado”.

Há menos de um ano, o ex-jogador esteve envolvido em uma polêmica quando uma rádio porto-riquenha o acusou de ter relação com drogas. Na época, ele ficou extremamente irritado com a suposição. “Só quero parar o rumor que este tipo de profissional solta chamando de trabalho”, afirmou.

Um dos mais adorados atletas porto-riquenhos, Ortiz chegou a jogar dois anos na NBA, depois de ter sido selecionado pelo Utah Jazz no “NBA Draft” de 1987. O ídolo ainda acumula cinco Campeonatos Mundiais e quatro participações em Jogos Olímpicos com a seleção nacional.

 

Leia tudo sobre: José OrtizPorto Rico

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG