Técnico do time paulista ressalta ainda evolução nos rebotes em relação às partidas anteriores e minimiza mudança nos titulares

Ao bater Brasília dentro de casa neste domingo por 93 a 92, Franca garantiu sobrevida na decisão do NBB. Para o treinador Hélio Rubens, o controle mental dos jogadores durante a partida e a boa postura defensiva foram fundamentais para que a equipe conquistasse a vitória.

“Tivemos equilíbrio emocional para saber enfrentar diferentes situações e até mesmo momentos de irregularidade”, disse o comandante francano. “Tivemos também disposição e disciplina tática para fazer o que tinha sido programado e explorar a individualidade no momento apropriado. A defesa foi bem agressiva na medida do possível, provocando o improviso do ataque adversário”.

A equipe entrou em quadra neste domingo com uma formação diferente em relação às partidas anteriores. Fernando Penna e William Drudi deixaram o quinteto titular. Em seus lugares, entraram o jovem Vitor Benite e o veterano Rogério Klafke.

“Eu andei mantendo nos últimos jogos um quinteto inicial, mas costumo fazer sempre essas mudanças”, explicou Hélio Rubens. “São experiências que você faz no começo, para ter durante o jogo a definição do quinteto mais consistente para terminar a partida”.

O quinteto titular não foi a única mudança da equipe em relação aos dois jogos anteriores. Na partida deste domingo, Franca pegou 31 rebotes, um a mais do que o oponente. Foi a primeira vez na série que os francanos não foram dominados no fundamento, fator importantíssimo para a vitória de acordo com a análise de Hélio Rubens.

“A garantia de rebote defensivo, impedindo que o adversário tenha segunda chance de atacar, é fundamental para querer ganhar o jogo”, afirmou. “E quando a gente tem essa garantia, não só evita uma segunda chance como também tem a bola na mão para contra-atacar e fazer o seu jogo ofensivo. Por isso, o rebote de defesa é fundamental”.

O quarto jogo da série será realizado em Brasília nesta terça-feira. Para manter vivas as chances de título e forçar a realização da quinta partida, que seria disputada no seu ginásio, Franca terá que triunfar na casa do rival.

Questionado sobre o que será necessário para que isso ocorra, Hélio Rubens respondeu: “Entrar com absoluto equilíbrio emocional, disposição física anormal, equilíbrio tático e técnico. A gente tem que saber valorizar a posse de bola para arremessar sempre muito equilibrado. Se a bola não cair, tem que lutar pelo rebote ofensivo. É preciso também ficar atento com a volta na defesa para evitar o contra-ataque, que é uma das forças do time adversário”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.