Tamanho do texto

Locaute completa, nesta quinta, 133 dias. Novamente nenhum acordo foi fechado entre nenhum das partes

Mais uma rodada de negociações em torno do impasse trabalhista envolvendo a NBA foi realizada na última quarta-feira. No entanto, depois de 12 horas de conversas, novamente nenhum acordo foi fechado entre nenhum das partes e a liga segue paralisada.

O locaute completa, nesta quinta, 133 dias. David Stern, comissário da NBA, tinha estipulado como data limite para que os jogadores aceitassem a proposta dos donos das franquias - que 51% dos lucros obtidos fosse revertido a eles. Porém, eles não aceitaram a medida e concordaram em continuar as negociações a partir desta tarde.

"Não posso definir a situação com pessimismo ou otimismo porque vamos continuar na mesa de negociação. Nada foi decidido na reunião de hoje", disse Stern. "A cada dia que perdemos, aumenta a necessidade de um acordo. As partes estão cientes dos danos que estão causando".

Já o presidente do sindicato dos jogadores, o atleta Derek Fisher, mostrou pessimismo em relação ao andamento das conversas. "Não posso dizer que tivemos grande progresso. Mas vamos voltar a nos falar. Vamos ver se vale a pena o esforço. Concessões foram feitas, mas não o movimento que necessitamos dos proprietários", ressaltou.

O locaute da NBA se caracteriza como uma greve às avessas. Os jogadores são proibidos usar qualquer instalação ligada a algum clube da liga, bem como se relacionar com qualquer dirigente integrante de alguma franquia.

    Leia tudo sobre: nba