Partida foi realizada em Uberlândia porque time brasiliense foi punido. Jogo acabou 69 a 67 e decidido só no fim

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860356194&_c_=MiGComponente_C

Franca estreou no NBB nesta segunda-feira em grande estilo: jogando fora de casa, o time paulista superou o atual campeão, Brasília, por 69 a 67. A partida foi disputada em Uberlândia, pois o time da capital federal perdeu dois mandos de quadra por conta de problemas ocorridos na temporada passada.

Alex Garcia e Guilherme Giovannoni, dois dos principais cestinhas do Brasília, mostraram muita timidez na partida diante de Franca. Não fosse o pivô Lucas Tischer, com duas enterradas motivadoras, o Franca poderia ter aberto uma grande vantagem no primeiro quarto. O ala do time paulista, Márcio Dornelles, ditou o ritmo nos primeiros 10 minutos, vencido pelo Franca por 17 a 13.

Tischer, que encerrou o jogo com 14 pontos, continuou sendo a principal referência do ataque brasiliense no início do segundo quarto. Mas aos poucos, Nezinho Santos, Arthur Belchor e Giovannoni foram se aquecendo no jogo e os mandantes viraram o marcador e abriram uma boa vantagem no placar: 39 a 30. Pelo lado do Franca, Helinho Garcia, Dedé Stefanelli e Vitor Benite tiveram um bom aproveitamento nos chutes de fora e conseguiram manter o time no jogo, indo para o intervalo perdendo por 41 a 35.

Divulg.
Helinho Garcia em quadra na partida contra o Brasília; armador fez 12 pontos

Com muita paciência no ataque, os francanos foram recuperando a desvantagem no placar no segundo tempo. Márcio, cestinha do time na partida com 17 pontos, juntamente com Helinho e Rogério Klafke, acertaram bolas importantes na segunda metade do jogo.

No último quarto, com menos de dois minutos para o final, Dedé acertou dois lances livres, colocando Franca na frente do marcador em 67 a 66. No ataque seguinte, Nezinho foi para linha e acertou apenas uma das duas tentativas, empatando o jogo em 67 a 67.

Depois deste ataque, foi a vez de Rogério ir para o lance livre. Diferente de Nezinho, o ala francano acertou os dois chutes. Perdendo por dois pontos e com a última posse de bola na mão, o Brasília tentou uma jogada com Nezinho, que infiltrou no garrafão e assistiu Giovannoni, livre na zona morta, mas o ala não conseguiu acertar o arremesso triplo, que poderia ter dado a vitória aos atuais campeões.

Foi uma vitória excelente, afirmou Helinho. É sempre muito bom vencer uma equipe como o Brasília, atual campeão do NBB. Tivemos disciplina tática durante todo o jogo e, principalmente, o mérito de nos momentos decisivos, a equipe crescer. Helinho terminou o confronto com 12 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.