Pivô do Dallas cometeu 20 faltas, sendo três delas técnicas, nas finais de conferência e tenta controlar emoções dentro de quadra

Tyson Chandler, do Dallas Mavericks, teve suas melhores médias nos playoffs de pontos (8,0) e rebotes (10,6) na série final da Conferência Oeste contra o Oklahoma City Thunder . No entanto, as faltas limitaram sua participação nos cinco jogos disputados.

O pivô cometeu 20 faltas na série, sendo três delas técnicas. No último jogo contra o Thunder, foi eliminado após fazer seis faltas em 24 minutos. Nas finais contra o Miami Heat, o jogador sabe que precisa ter maior autocontrole.

“Eu sei que tipo de jogo preciso fazer”, afirmou Chandler. “Vou me manter focado e jogar inteligentemente, mas ainda atuarei com as minhas emoções. Esse sou eu. Foi isso que me trouxe até aqui, não posso parar agora”.

Nos playoffs, o pivô acumula seis faltas técnicas, mas duas foram rescindidas pela liga por julgar terem sido marcações exageradas. Mesmo com as revisões, porém, os lances livres cobrados pelos adversários durante a partida não são cancelados. O atleta entende que o trabalho dos árbitros é complicado, mas teme que possa ficar mal visto pelos juízes.

“Só espero que eles vejam que várias marcações não foram justas e, por isso, foram rescindidas”, disse. “Mas, às vezes, eu entendo que seja difícil para o árbitro. Mas, por já terem visto diversas vezes que não fui quem iniciou os episódios, espero que prestem mais atenção agora”.

O treinador Rick Carlisle não se preocupa com a situação de Chandler e acredita que a série contra o Thunder serviu como um aprendizado para o pivô. “A cada etapa que vencemos, ele fica mais experientes nestes episódios e espero que ele vá jogar seu melhor basquete nas finais”, falou.


    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.