Cúpula da liga e sindicato dos atletas continuarão as negociações e buscam evitar que a próxima temporada seja comprometida

Um novo encontro entre jogadores, donos de franquias e dirigentes da NBA está marcado para esta terça-feira, em Nova York. A reunião será mais uma tentativa para que as partes cheguem a um novo acordo coletivo de trabalho.

O presidente da liga, David Stern, julga que o encontro desta terça será decisivo para saber que rumo as negociações irão tomar. “Será a hora de ter uma visão otimista ou pessimista”, disse.

Derek Fisher, presidente da associação de jogadores, não parece muito otimista. “Há um senso claro de urgência nas negociações, mas não temos certeza se conseguiremos superar o abismo que há entre o que as duas partes estão desejando”, declarou o armador do Los Angeles Lakers.

Na última reunião, ocorrida na sexta, a cúpula da NBA concordou em desistir de exigir o fim dos contratos garantidos . Ainda assim, ainda existem grandes obstáculos de ordem financeira para que um novo acordo de trabalho seja concretizado.

A liga quer implementar um teto salarial rígido para as equipes e busca reduzir o ordenado dos atletas em aproximadamente US$ 75 milhões para a próxima temporada. Os jogadores, em contrapartida, não concordam com as mudanças propostas.

“Ainda estamos bem longe de concordarmos em algumas questões, sejam elas grandes ou pequenas, mas não estamos dispostos a desistir das negociações”, afirmou Fisher. “Nosso compromisso ainda é o de tentar resolver as coisas até o dia 1º de julho”.

O atual acordo coletivo trabalhista chega ao fim no dia 30 de junho. Se não houver acerto até esta data, estará instalado o locaute – que impedirá os jogadores de ter acesso às instalações das suas respectivas equipes.

    Leia tudo sobre: nba
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.