Tamanho do texto

Relatório da amostra "B" da norte-americana também deu positivo para estimulante. Atleta pode ficar fora das Olimpíadas de 2012

Diana Taurasi fez parte da conquista dos EUA no Mundial da República Tcheca
Site oficial
Diana Taurasi fez parte da conquista dos EUA no Mundial da República Tcheca
A imprensa turca noticiou nesta segunda-feira que a contraprova do exame de doping da estrela da WNBA Diana Taurasi deu positivo para uma substância proibida e a atleta pode enfrentar até dois anos de banimento das competições.

A federação turca de basquete não confirmou o resultado informado pela agência de notícias Dogan e pelo canal de televisão fechado NTV e nem os veículos citaram suas fontes.

Um funcionário do Fernebahce, clube turco onde Taurasi joga, também não quis confirmar o relatório e disse que a equipe não foi notificada sobre os exames.

O teste antidoping da ala-armadora, dezembro passado, após partida válida pela liga turca, deu positivo para modafinil. A substância é usada para cuidar de sonolência excessiva e narcolepsia, além de outros distúrbios do sono.

A equipe turca suspendeu temporariamente a atleta até o resultado da amostra “B”, contraprova, que segundo noticiários turcos saiu nesta segunda-feira, também com o resultado positivo para o fármaco proibido.

Na WNBA, Taurasi atua pelo Phoenix Mercury desde 2004 e já foi quatro vezes seguidas cestinha da liga, cinco vezes parte do time das estrelas, duas vezes campeã e uma vez jogadora mais valiosa da temporada..Durante o recesso da temporada estadunidense, a atleta fazia seus primeiros jogos pelo Fernerbahce. Até então, a estrela norte-americana havia atuado pelo Spartak Moscow, da Rússia, nas férias anteriores.

A jogadora pode ficar de fora das olimpíadas de 2012, pois pode receber uma punição de até dois anos de afastamento das competições. O Comitê Olímpico Internacional penaliza em pelo menos seis meses qualquer atleta pego no exame antidoping.

As colegas de Taurasi, Penny Taylor, da Austrália e Hana Horáková, da Republica Tcheca, realizaram os testes somente após a federação turca aceitar enviar as amostras para um laboratório de Colônia, na Alemanha. As duas jogadoras foram testadas depois do confronto entre Fernerbahce e Besiktas, no domingo.

O estimulante, supostamente usado pela ala-armadora esteve envolvido em outros casos de doping, como o do velocista Kelli White. Ele foi campeão das corridas de 100 e 200 metros, no campeonato mundial em Paris, 2003. As medalhas foram retiradas após os exames.

Modafinil está na lista de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada).