Franca, Pinheiros, Brasília, Flamengo, Bauru, Uberlândia, Joinville e São José são os oito times que seguem na luta pelo título

Das 15 equipes que compõem o NBB, apenas oito ainda sobrevivem. As quartas de final do NBB terão início neste sábado com a realização de duas partidas, ambas com transmissão ao vivo do SporTV: o Uberlândia recebe a visita do Brasília às 18h30 e o Joinville encara dentro de casa o Pinheiros às 20h30.

As outras duas séries começarão às 11h do domingo. O São José mede forças no seu ginásio contra Franca. Também como mandante, Bauru enfrenta o Flamengo.

O regulamento do NBB prevê que os times que terminassem a primeira fase nas quatro primeiras posições já se classificariam direto para as quartas de final. Foi o que aconteceu com Franca, Pinheiros, Brasília e Flamengo.

As demais equipes que compõem as quartas de final tiveram que disputar as oitavas. Bauru e Uberlândia não tiveram muito trabalho diante de Paulistano e Araraquara, respectivamente, e avançaram em três partidas. Nesta fase, terão pela frente os finalistas da última edição do NBB (Flamengo e Brasília).

A situação de Joinville e São José foi bem mais complicada. Os catarinenses precisaram de cinco jogos para despachar o Minas. O time do Vale do Paraíba também ganhou a série contra Limeira por 3 a 2.

Confira abaixo os confrontos das quartas de final do NBB, com informações de cada um dos times.

(1º) FRANCA x SÃO JOSÉ (8º)
Confronto direto na temporada: 2 a 0 para Franca

Helinho Garcia, armador de Franca, arrisca arremesso durante partida contra São José
Divulgação
Helinho Garcia, armador de Franca, arrisca arremesso durante partida contra São José

Franca
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Helinho Garcia, Fernando Penna, Márcio Dornelles, Ricardo Probst e William Drudi.
Técnico: Hélio Rubens
Destaque: Helinho Garcia, com médias de 10,6 pontos e 4,4 assistências por jogo.

São José
Campanha na primeira fase: 15 vitórias e 13 derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Limeira por 3 a 2
Quinteto inicial: Fúlvio de Assis, Mateus Costa, Renato Pinto, Rafael Mineiro e Murilo Becker.
Técnico: Régis Marrelli
Destaque: Murilo Becker, com médias de 19,1 pontos e 7,3 rebotes por jogo.

Prognóstico: O ótimo retrospecto como mandante justifica o favoritismo de Franca na série. A equipe venceu 13 dos 14 jogos que disputou dentro de casa na fase classificatória. A força de São José é a defesa, a segunda melhor do campeonato com média de apenas 76,2 pontos sofridos.

(2º) PINHEIROS x JOINVILLE (7º)
Confronto direto na temporada: 2 a 0 para o Pinheiros

O ala do Pinheiros Shamell Stallworth encara a marcaçao de Manteguinha, armador do Joinville
Divulgação
O ala do Pinheiros Shamell Stallworth encara a marcaçao de Manteguinha, armador do Joinville

Pinheiros
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Juan Pablo Figueroa, Shamell Stallworth, Marquinhos Vieira, Olivinha Nascimento e Morro dos Santos.
Técnico: João Marcelo Leite
Destaque: Olivinha Nascimento, com médias de 17,9 pontos e 8,9 rebotes por jogo.

Joinville
Campanha na primeira fase: 17 vitórias e 11 derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Minas por 3 a 2
Quinteto inicial: Manteguinha Rodrigues, Paulinho Boracini, Audrei Parisotto, Luis Gruber, Shilton dos Santos.
Técnico: Alberto Bial
Destaque: Manteguinha Rodrigues, com médias de 17,1 pontos e 2,9 assistências por jogo.

Prognóstico: O Pinheiros leva vantagem. O time da capital paulista conta com três representantes na lista dos dez maiores cestinhas do NBB: Marquinhos é o segundo (20,4 pontos de média), Shamell aparece na quarta posição (19,2) e Olivinha está em sétimo lugar (17,9). No entanto, possui a pior defesa dentre os oito times que ainda seguem vivos na competição, com 79,9 pontos sofridos por partida.

(3º) BRASÍLIA x UBERLÂNDIA (6º)
Confronto direto na temporada: 1 a 1

Alex Garcia comanda ataque do Brasília observado por Robby Collum, do Uberlândia
Divulgação
Alex Garcia comanda ataque do Brasília observado por Robby Collum, do Uberlândia

Brasília
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Nezinho dos Santos, Alex Garcia, Arthur Belchior, Guilherme Giovannoni e Lucas Tischer.
Técnico: José Carlos Vidal
Destaque: Guilherme Giovannoni, com médias de 17,9 pontos e 7,6 rebotes por jogo.

Uberlândia
Campanha na primeira fase: 19 vitórias e nove derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Araraquara por 3 a 0
Quinteto inicial: Valtinho Apolinário, Robby Collum, Robert Day, Lucas Cipolini, Estevam Ferreira.
Técnico: Chuí
Destaque: Robert Day, com média de 17,9 pontos e 4,5 rebotes por jogo.

Prognóstico: A série coloca frente a frente o melhor ataque (Brasília, que anota 87,9 pontos por partida) e a melhor defesa (Uberlândia, com 75,5 pontos sofridos por jogo). Além disso, são as duas equipes que mais pegam rebotes no NBB. São números que sugerem uma disputa bastante equilibrada. O fato de jogar mais vezes dentro de casa representa discreto favoritismo do time da capital federal.

(4º) FLAMENGO x BAURU (5º)
Confronto direto na temporada: 2 a 0 para o Flamengo

Larry Taylor, armador de Bauru, parte para a infiltração no meio da defesa do Flamengo
Divulgação
Larry Taylor, armador de Bauru, parte para a infiltração no meio da defesa do Flamengo

Flamengo
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Hélio Lima, David Teague, Marcelinho Machado, Guilherme Teichmann e Bábby Araújo.
Técnico: Gonzalo Garcia
Destaque: Marcelinho Machado, com médias de 25,6 pontos e 5 rebotes por jogo.

Bauru
Campanha na primeira fase: 19 vitórias e nove derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Limeira por 3 a 0
Quinteto inicial: Larry Taylor, Fernando Fischer, Alex Oliveira, Douglas Nunes e Jeff Agba.
Técnico: Guerrinha
Destaque: Larry Taylor, com médias de 14,2 pontos e 5,8 assistências por jogo.

Prognóstico: Outra série que deverá apresentar muito equilíbrio. O Bauru é o melhor time do NBB em bolas de três pontos (40,4% de aproveitamento) e subiu de produção no segundo turno ao vencer 11 vezes em 14 rodadas. Mas o Flamengo tem a vantagem de jogar mais vezes dentro de casa e é o time que mais faz pontos como mandante (94,1 por jogo). Por isso, carrega leve favoritismo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.