Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Confira os confrontos das quartas de final do NBB

Franca, Pinheiros, Brasília, Flamengo, Bauru, Uberlândia, Joinville e São José são os oito times que seguem na luta pelo título

Luís Araújo, iG São Paulo |

Das 15 equipes que compõem o NBB, apenas oito ainda sobrevivem. As quartas de final do NBB terão início neste sábado com a realização de duas partidas, ambas com transmissão ao vivo do SporTV: o Uberlândia recebe a visita do Brasília às 18h30 e o Joinville encara dentro de casa o Pinheiros às 20h30.

As outras duas séries começarão às 11h do domingo. O São José mede forças no seu ginásio contra Franca. Também como mandante, Bauru enfrenta o Flamengo.

O regulamento do NBB prevê que os times que terminassem a primeira fase nas quatro primeiras posições já se classificariam direto para as quartas de final. Foi o que aconteceu com Franca, Pinheiros, Brasília e Flamengo.

As demais equipes que compõem as quartas de final tiveram que disputar as oitavas. Bauru e Uberlândia não tiveram muito trabalho diante de Paulistano e Araraquara, respectivamente, e avançaram em três partidas. Nesta fase, terão pela frente os finalistas da última edição do NBB (Flamengo e Brasília).

A situação de Joinville e São José foi bem mais complicada. Os catarinenses precisaram de cinco jogos para despachar o Minas. O time do Vale do Paraíba também ganhou a série contra Limeira por 3 a 2.

Confira abaixo os confrontos das quartas de final do NBB, com informações de cada um dos times.

(1º) FRANCA x SÃO JOSÉ (8º)
Confronto direto na temporada: 2 a 0 para Franca

Divulgação
Helinho Garcia, armador de Franca, arrisca arremesso durante partida contra São José

Franca
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Helinho Garcia, Fernando Penna, Márcio Dornelles, Ricardo Probst e William Drudi.
Técnico: Hélio Rubens
Destaque: Helinho Garcia, com médias de 10,6 pontos e 4,4 assistências por jogo.

São José
Campanha na primeira fase: 15 vitórias e 13 derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Limeira por 3 a 2
Quinteto inicial: Fúlvio de Assis, Mateus Costa, Renato Pinto, Rafael Mineiro e Murilo Becker.
Técnico: Régis Marrelli
Destaque: Murilo Becker, com médias de 19,1 pontos e 7,3 rebotes por jogo.

Prognóstico: O ótimo retrospecto como mandante justifica o favoritismo de Franca na série. A equipe venceu 13 dos 14 jogos que disputou dentro de casa na fase classificatória. A força de São José é a defesa, a segunda melhor do campeonato com média de apenas 76,2 pontos sofridos.

(2º) PINHEIROS x JOINVILLE (7º)
Confronto direto na temporada: 2 a 0 para o Pinheiros

Divulgação
O ala do Pinheiros Shamell Stallworth encara a marcaçao de Manteguinha, armador do Joinville

Pinheiros
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Juan Pablo Figueroa, Shamell Stallworth, Marquinhos Vieira, Olivinha Nascimento e Morro dos Santos.
Técnico: João Marcelo Leite
Destaque: Olivinha Nascimento, com médias de 17,9 pontos e 8,9 rebotes por jogo.

Joinville
Campanha na primeira fase: 17 vitórias e 11 derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Minas por 3 a 2
Quinteto inicial: Manteguinha Rodrigues, Paulinho Boracini, Audrei Parisotto, Luis Gruber, Shilton dos Santos.
Técnico: Alberto Bial
Destaque: Manteguinha Rodrigues, com médias de 17,1 pontos e 2,9 assistências por jogo.

Prognóstico: O Pinheiros leva vantagem. O time da capital paulista conta com três representantes na lista dos dez maiores cestinhas do NBB: Marquinhos é o segundo (20,4 pontos de média), Shamell aparece na quarta posição (19,2) e Olivinha está em sétimo lugar (17,9). No entanto, possui a pior defesa dentre os oito times que ainda seguem vivos na competição, com 79,9 pontos sofridos por partida.

(3º) BRASÍLIA x UBERLÂNDIA (6º)
Confronto direto na temporada: 1 a 1

Divulgação
Alex Garcia comanda ataque do Brasília observado por Robby Collum, do Uberlândia

Brasília
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Nezinho dos Santos, Alex Garcia, Arthur Belchior, Guilherme Giovannoni e Lucas Tischer.
Técnico: José Carlos Vidal
Destaque: Guilherme Giovannoni, com médias de 17,9 pontos e 7,6 rebotes por jogo.

Uberlândia
Campanha na primeira fase: 19 vitórias e nove derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Araraquara por 3 a 0
Quinteto inicial: Valtinho Apolinário, Robby Collum, Robert Day, Lucas Cipolini, Estevam Ferreira.
Técnico: Chuí
Destaque: Robert Day, com média de 17,9 pontos e 4,5 rebotes por jogo.

Prognóstico: A série coloca frente a frente o melhor ataque (Brasília, que anota 87,9 pontos por partida) e a melhor defesa (Uberlândia, com 75,5 pontos sofridos por jogo). Além disso, são as duas equipes que mais pegam rebotes no NBB. São números que sugerem uma disputa bastante equilibrada. O fato de jogar mais vezes dentro de casa representa discreto favoritismo do time da capital federal.

(4º) FLAMENGO x BAURU (5º)
Confronto direto na temporada: 2 a 0 para o Flamengo

Divulgação
Larry Taylor, armador de Bauru, parte para a infiltração no meio da defesa do Flamengo

Flamengo
Campanha na primeira fase: 20 vitórias e oito derrotas
Oitavas de final: não disputou
Quinteto inicial: Hélio Lima, David Teague, Marcelinho Machado, Guilherme Teichmann e Bábby Araújo.
Técnico: Gonzalo Garcia
Destaque: Marcelinho Machado, com médias de 25,6 pontos e 5 rebotes por jogo.

Bauru
Campanha na primeira fase: 19 vitórias e nove derrotas
Oitavas de final: venceu a série contra Limeira por 3 a 0
Quinteto inicial: Larry Taylor, Fernando Fischer, Alex Oliveira, Douglas Nunes e Jeff Agba.
Técnico: Guerrinha
Destaque: Larry Taylor, com médias de 14,2 pontos e 5,8 assistências por jogo.

Prognóstico: Outra série que deverá apresentar muito equilíbrio. O Bauru é o melhor time do NBB em bolas de três pontos (40,4% de aproveitamento) e subiu de produção no segundo turno ao vencer 11 vezes em 14 rodadas. Mas o Flamengo tem a vantagem de jogar mais vezes dentro de casa e é o time que mais faz pontos como mandante (94,1 por jogo). Por isso, carrega leve favoritismo.

Leia tudo sobre: nbbplayoffs

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG