Publicidade
Publicidade - Super banner
Basquete
enhanced by Google
 

Com grande atuação de Alex, Brasília derrota Minas e é líder

Time da capital federal conta com as derrotas de Pinheiros e Flamengo e assume a liderança do NBB

Thiéres Rabelo, em Belo Horizonte |

O Brasília assumiu a liderança do NBB, ao bater o Minas por 101 a 91 em Belo Horizonte. O campeão nacional tem campanha de 19 vitórias em 26 jogos (73% de aproveitamento), enquanto Pinheiros e Flamengo, que perderam na rodada, têm 18 vitórias em 25 jogos (72% de aproveitamento). No domingo, o confronto direto contra o Flamengo pode ser definitivo para saber qual equipe terminará a primeira fase na ponta da tabela. O Minas tem agora campanha de 12 vitórias e 13 derrotas (48% de aproveitamento), mas não vê ameaçada sua classificação para as oitavas de final.

Cadu Gomes/Divulgação
Alex Garcia, ala do Brasília, foi o cestinha do jogo
Alex Garcia, do Brasília, foi o cestinha da partida, com 33 pontos. Arthur Belchor e Guilherme Giovannoni, com 21 e 20 pontos respectivamente, completaram a grande atuação brasiliense. Pelo Minas, Raulzinho Togni foi o cestinha com 25 pontos, seguido do pivô Michel Nascimento, com 17.

Arthur falou da vitória de sua equipe e também do clássico de domingo. “Nosso time veio muito concentrado para este jogo”, afirmou o ala.”Sabíamos que o Minas vem em má fase, mas o nosso ataque conseguiu anotar várias bolas fáceis, nos possibilitando abrir uma pontuação boa, nos deixando à vontade”.

Ele continuou e mencionou o duelo com os rubro-negros. “O jogo contra o Flamengo é um clássico, sabemos a qualidade dos jogadores que o time tem, mas vamos novamente concentrados para conseguir manter a liderança”.

O ala-pivô Brett Winkleman, do Minas, que teve 16 pontos e sete rebotes, comentou a derrota do time, ainda acreditando que a equipe consiga melhorar até os playoffs: “Obviamente o ataque deles foi o grande responsável pela nossa derrota. Só conseguimos vitórias quando a nossa defesa funciona, sofrendo pontuação na casa dos 80 pontos. Hoje, isso não ocorreu”. Ele também fala do clássico contra o Uberlândia no domingo. “Precisamos conseguir moral para entrar nos playoffs embalados e o clássico é essencial”.

Apoiado por sua torcida, o Minas deu trabalho ao campeão nacional logo de início. Os minas-tenistas forçaram muitos erros dos brasilienses na primeira metade do quarto. Mas, ao mesmo tempo, não mostraram muita competência para acertar seus próprios arremessos no ataque. Comandados por sua boa dupla de alas – Alex (6) e Arthur Belchor (11) – os visitantes conseguiram tomar a liderança dos mineiros nos dois minutos finais, através dos contra-ataques. Os dois combinaram para 17 dos 25 pontos da equipe no quarto.

No segundo quarto, pesou a inexperiência dos mineiros: afobada, a equipe errou os cinco primeiros ataques do período. Em oposição, o time da capital federal esbanjava sua experiência e abriu 8 a 0 nos primeiros minutos. Após uma tímida reação dos anfitriões na metade do quarto, o jogo se equilibrou. Os brasilienses não conseguiram ampliar tanto a sua vantagem, que foi de cerca de dez pontos por alguns minutos. Mas, nos minutos finais, foram 14 pontos quase que de maneira consecutiva, através dos contra-ataques rápidos. Alex continuou jogando em alto nível, acertando duas bolas de três no quarto, no qual fez dez pontos (16 no total). Na ida aos vestiários, 55 a 39 marcava o placar, em favor de Brasília.

Os mineiros voltaram ligados no terceiro período. A defesa zona implantada pelo treinador argentino Nestor Garcia funcionou e Raulzinho, no ataque, comandou o time para 14 a 7 na primeira metade do período. O técnico brasiliense José Carlos Vidal se viu obrigado a queimar dois pedidos de tempo seguidos, pois os donos da casa cortavam para nove a vantagem adversária. Os pedidos surtiram efeito no primeiro momento. A vantagem voltou a ser de 13, mas Raulzinho tratou de trazer o Minas de volta para o jogo, com 11 pontos no quarto, além de uma roubada de bola e duas faltas cavadas. Com a vitória por 25 a 20, os donos da casa chegavam ao último quarto com 11 pontos de déficit.

No último quarto, voltou a prevalecer a experiência e o entrosamento dos visitantes. O time soube fazer o básico no período para não deixar a confortável liderança escapar. Raulzinho ainda tentou, com oito pontos, mas, do outro lado, Alex respondeu, terminando o período com nove. No quarto, o placar foi equilibrado (28 a 27 para Brasília), mas foi apenas a forma de o Brasília administrar a vantagem construída.

No domingo, nova rodada de grandes clássicos ao redor do país. Para se manter na ponta, o Brasília vai até o Rio de Janeiro, enfrentar o arquirrival Flamengo, no maior clássico do basquete nacional. O Minas, por sua vez, permanece na capital mineira, onde realiza o principal clássico do estado, recebendo o Uberlândia.

Leia tudo sobre: nbbbrasíliaminas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG