Mavericks reverteu 15 pontos de desvantagem no último quarto, algo que não acontecia na decisão desde o título do Bulls em 1992

O Miami Heat parecia estar com a segunda vitória na série decisiva contra o Dallas Mavericks bem encaminhada no encontro desta quinta-feira. Faltando pouco mais de sete minutos para o fim, vencia por 15 pontos de diferença. No entanto, o time texano reagiu de forma surpreendente e venceu, emplacando uma virada que não se via em finais da NBA havia 19 anos.

nullA última equipe que venceu um jogo na decisão após ter 15 pontos de desvantagem no período derradeiro foi o Chicago Bulls, na sexta partida da série contra o Portland Trail Blazers. A vitória de virada naquele 14 de junho de 1992 acabou definindo o segundo título de Michael Jordan e companhia (veja ao lado) .

O jogo foi realizado no Chicago Stadium, ginásio onde o Bulls mandava os seus jogos antes de se transferir para o United Center, dois anos depois. Por ter feito a melhor campanha da liga na temporada regular, a equipe conquistou o direito de jogar mais vezes dentro de casa durante todas as séries dos playoffs.

O Bulls estava a um passo do bicampeonato, mas o Blazers, que tinha o craque Clyde Drexler como o principal destaque, rapidamente mostrou que estava disposto a estender a série e levar a decisão para a sétima partida. Com uma defesa eficiente,  permitu que Jordan pontuasse apenas no último minuto do primeiro quarto.

Depois de ter chegado à metade da partida em superioridade, o Portland continuou dominante no retorno do intervalo. O ataque do Chicago demonstrava muita dificuldade diante da boa marcação imposta pelo rival, que terminou o terceiro quarto vencendo por 79 a 64.

Os 15 pontos de diferença faziam com que a torcida do Bulls já começasse a se acostumar com a ideia da realização de uma sétima partida para a decisão do título. O treinador Phil Jackson resolveu colocar os reservas em quadra, sacando todos os titulares. Scottie Pippen foi a única exceção.

Pippen foi brilhante nos dois lados da quadra, mas não comandou a reviravolta do time sozinho. Ele contou com a valiosa ajuda de Scott Williams, Cliff Levingston, Stacey King e Bob Hansen, jogadores que geralmente tinham pouca participação nos triunfos do Bulls.

Com uma corrida de 14 a 2 na abertura do último período, o Chicago reduziu bastante o prejuízo e estava a somente três pontos do empate. Isso tudo com nove minutos por jogar. O desempenho reacendeu os torcedores, que empurraram a equipe em busca da virada.

E ela veio. Nos minutos finais, já com Jordan e com os demais titulares em quadra, o Bulls neutralizou o rival, passou à frente e não permitiu mais que a vantagem no marcador escapasse.

Jordan foi o cestinha do confronto com 33 pontos. Pippen fez 26. Drexler e Jerome Kersey foram os destaques do Portland, com 24 pontos cada um.

O jogo terminou com vitória do Chicago por 97 a 93. Foi o segundo título dos seis conquistados pela franquia até hoje, o primeiro comemorado dentro de casa. E foi a última vez que um time conseguiu reverter uma situação tão desfavorável no último quarto antes da virada do Dallas nesta quinta.

    Leia tudo sobre: nba
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.