Depois de primeiro tempo dominante, seleção brasileira permite reação, sofre derrota na prorrogação e dá adeus à competição

O Brasil está fora da briga pelo título do Mundial Sub 19. A seleção precisava de uma vitória diante da Argentina nesta quarta-feira para seguir viva na competição. Depois de ter dominado o início do confronto, permitiu a reação do rival durante a segunda metade, sofreu uma bola de três pontos no último segundo do tempo regulamentar e acabou sendo derrotada na prorrogação por 71 a 69.

Com o resultado, a Rússia se garante na próxima fase do Mundial . Os europeus já haviam batido a Letônia nesta quarta e dependiam de um triunfo argentino sobre o Brasil para avançarem.

A Argentina ficou com a terceira colocação do Grupo E e vai enfrentar nas quartas de final a Croácia . Ao Brasil, resta a disputa pelo nono lugar da competição.

Felipe Taddei foi o principal anotador do Brasil na partida. O ala-armador marcou 15 pontos, sendo 13 deles no primeiro quarto. O armador Raulzinho Neto somou 11 pontos, oito pontos e oito rebotes. O pivô Lucas Bebê, que iniciou a partida no banco de reservas, também teve atuação positiva e registrou “double-double”: 13 pontos e 13 rebotes.

O armador Luciano Massarelli, autor da cesta que levou a partida para a prorrogação, marcou 15 pontos pela Argentina. O ala-pivô Franco Giorgetti contabilizou 13 pontos e seis rebotes. Já o pivô Marcos Delia contribuiu com oito pontos e oito rebotes.

O jogo

O Brasil começou muito melhor e rapidamente assumiu o controle da partida. O sistema ofensivo mostrou-se bastante equilibrado e contou com desempenho inspirado de Felipe Taddei. A defesa adotou postura ofensiva e dificultou ao máximo as investidas ofensivas do ataque adversário, que não conseguia acertar o alvo.

O primeiro quarto terminou com a seleção brasileira à frente por 19 a 8. A vantagem chegou a atingir os 13 pontos após os dois lances livres certeiros de Raulzinho no princípio do segundo período. A partir daí, o rival começou a reagir. As bolas de três passaram a cair e a Argentina cortou a desvantagem para apenas seis pontos ao término da primeira metade: 30 a 24.

Nem mesmo a pausa no intervalo interrompeu o bom momento dos argentinos no jogo. Decorridos exatos três minutos na segunda metade, Patrício Garino converteu uma bola de longa distância e colocou a Argentina à frente por 33 a 32. Deste momento em diante, as duas equipes se alternaram algumas vezes na liderança do marcador.

O Brasil entrou no último quarto ganhando por 43 a 42 e ameaçou disparar novamente com pouco menos de sete minutos por jogar, quando a enterrada de Lucas Bebê deixou a equipe com superioridade de sete pontos: 53 a 46. Mas os argentinos não ficaram para trás e rapidamente voltaram a se aproximar.

Após dois lances livres convertidos por Raulzinho a 12 segundos do fim, a equipe brasileira ganhava por 62 a 59 e estava bem próxima da vitória. A Argentina, no entanto, aproveitou a última posse de bola e empatou o jogo com um arremesso de três no estouro do cronômetro de Massarelli, mandando a partida para a prorrogação.

O equilíbrio prevaleceu ao longo do tempo-extra. A Argentina vencia um ponto a seis segundos do fim e tinha a chance de estender a liderança, pois Patrício Garino iria cobrar dois lances livres. O atleta, no entanto, acertou apenas um dos dois arremessos que cobrou.

O Brasil tinha a última posse de bola do confronto e precisava de uma cesta simples para novamente empatar a disputa. Mas o passe de Raulzinho para Lucas não resultou em cesta e a derrota acabou se concretizando.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.