Participação com a seleção dos EUA nas Olimpíadas do Rio de Janeiro não está nos planos do ala-armador do Miami Heat

Dwayne Wade, ala-armador do Miami Heat
Alexandre Loureiro/ Inovafoto
Dwayne Wade, ala-armador do Miami Heat

A passagem desta semana pode não ter sido a última de Dwyane Wade pelo Rio de Janeiro. Mas os planos do ala-armador do Miami Heat de retornar à cidade brasileira no futuro não estão relacionados ao basquete.

Leia mais: "Tive de me controlar para não chorar", admite Varejão após jogo no Brasil

Após a derrota no jogo de pré-temporada deste sábado contra o Cleveland Cavaliers, Wade foi questionado se pretende voltar ao Rio em 2016 para defender a seleção norte-americana nas Olimpíadas.

"Talvez como um fã, ao lado dos meus filhos", respondeu o ala-armador, que fez parte do elenco que conquistou o ouro olímpico em Pequim, em 2008. "Essa foi uma semana especial, mas de trabalho para mim. Minha mulher aproveitou bem o Rio de Janeiro, mas eu não tanto. Espero voltar para aproveitar melhor, sem nada relacionado ao basquete", completou.

Dono de 12 pontos e sete assistências no confronto deste sábado diante do Cavaliers, Wade aprovou a experiência de jogar sob os olhares do público brasileiro.

"Não é um país no qual o basquete é o esporte número um. Mas jogamos para um público que esgotou os ingressos em poucas horas e que demonstrou clima festivo, o que demonstra animação", declarou o ídolo do Heat.

    Leia tudo sobre: nba
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.