Joakim Noah, do Chicago Bulls, e Bradley Beal, do Washington Wizards, fazem planos para passagem pelo Brasil e prometem amistoso competitivo

Joakim Noah: pivô do Chicago Bulls quer conhecer inspiração de 'Garota de Ipanema'
Getty Images
Joakim Noah: pivô do Chicago Bulls quer conhecer inspiração de 'Garota de Ipanema'

No próximo dia 12, o Brasil receberá pela primeira vez uma partida da NBA. Chicago Bulls e Washington Wizards estarão frente a frente na HSBC Arena, no Rio de Janeiro, em jogo de pré-temporada. A chegada das equipes ao país está prevista para a próxima quarta-feira, e os atletas já fazem planos sobre como aproveitar a viagem. Foi o que disseram Bradley Beal, ala-armador do Wizards, e Joakim Noah, pivô do Bulls, que participaram de uma vídeo-conferência com jornalistas brasileiros nesta quinta.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Quero ver o que o Brasil tem a nos oferecer, acredito que será uma viagem ótima para todos nós. Estou esperando grandes coisas", declarou Noah. O atleta de 28 anos contou que já visitou a Bahia quando criança e que gostaria de acompanhar uma partida de futebol no estádio neste retorno ao país, mas admitiu uma ansiedade especial para conhecer no Rio de Janeiro a fonte de inspiração de um clássico da MPB.

Bradley Beal: ala-armador do Washington Wizards quer conhecer praias e monumentos do Rio
Getty Images
Bradley Beal: ala-armador do Washington Wizards quer conhecer praias e monumentos do Rio

"Adoro a música 'Garota de Ipanema'", revelou o camisa 13 do Bulls, referindo-se à composição de Vinícius de Moraes e Tom Jobim. "Quero muito ver como é essa praia e as garotas de lá. Vou com os braços abertos para sentir essa cultura inacreditável e as ótimas pessoas do país", completou.

Ao contrário de Noah, Beal nunca esteve no Brasil, mas não por falta de vontade. "Sempre quis visitar. Nos quatro ou cinco dias que estaremos no país, quero aproveitar para ver monumentos, as praias e conhecer as pessoas do Brasil. Talvez até aprender um pouco de português, também", afirmou o jogador de 20 anos do Wizards.

O fato de também não dominar o português não impediu Noah de elogiar o idioma. "Acho lindo o sotaque de vocês quando os vejo conversando, mesmo sem saber de nada do que estão falando", disse.

Competitividade
Nas partidas de pré-temporada, os principais atletas dos times costumam ficar em quadra menos tempo do que estão acostumados durante o campeonato. Apesar de o duelo no Brasil ser um destes de exibição da NBA, Beal acredita não faltará competitividade em quadra.

"Teremos tempo suficiente antes do jogo para descansar depois que chegarmos de viagem. A diferença dos horários é de apenas uma hora. Vamos estar prontos, eu espero. Nossa comissão técnica se encarrega de fazer tudo para nos deixar na melhor condição possível", disse o jovem ala-armador do Wizards. 

Noah também acredita que os atletas vão levar o duelo a sério, mas faz uma ressalva. "Não é um jogo de campeonato ou dos playoffs. É um amistoso, mas que é importante para os times ficarem melhores. Além disso, Nenê deve jogar animado pelo fato de estar em casa. Vai ser competitivo, mas sem aquele sentimento de jogo de campeonato", declarou o pivô do Bulls.

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.