Kobe Bryant usa lesão como desafio para voltar e evitar dinastia do Heat

Por Luís Araújo - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em recuperação de cirurgia no tendão de Aquiles, astro do Lakers torce por permanência de Dwight Howard no time para ajudá-lo a destronar os campeões

Divulgação
Kobe Bryant durante entrevista coletiva em São Paulo

O Miami Heat se sagrou campeão da temporada 2012/13 da NBA depois de vencer o San Antonio Spurs na decisão, em uma série definida somente após o sétimo jogo. Foi o segundo título consecutivo do time liderado pela dupla LeBron James e Dwyane Wade, que já ameaça construir uma nova dinastia na liga. Se depender de Kobe Bryant, isso não vai acontecer.

Você acha que algum time da NBA consegue impedir uma dinastia do Heat? Opine 

“Eu não quero isso”, disse o ala-armador do Los Angeles Lakers, durante evento em São Paulo nesta sexta-feira. “É algo totalmente possível por causa do talento e dos jogadores que possuem. Eles jogam muito bem juntos nos dois lados da quadra. Mas a nossa ideia no Lakers é dar um basta nisso”, completou.

Leia também: Fãs de Kobe Bryant apostam em retorno em alto nível do astro 

Antes de entrar em quadra para tentar ajudar o Lakers a acabar com o reinado do Heat na NBA, há uma etapa a ser percorrida: a recuperação de uma cirurgia no tendão de Aquiles. A lesão aconteceu em uma partida contra o Golden State Warriors no último mês de abril, na reta final da fase classificatória da temporada da NBA. O tempo estimado para voltar ao basquete é de seis a nove meses.

Veja ainda: Após encontrar Kobe Bryant, Oscar revela preocupação do fã ilustre com doença 

Aos 34 anos, Kobe admitiu que a possibilidade de não conseguir voltar a jogar em alto nível após a lesão passou pela sua cabeça, mas tratou rapidamente de usá-la como motivação. “Eu tive dúvidas, como acredito que qualquer pessoa teria naquela situação, se poderei voltar a jogar com qualidade. Mas essas dúvidas desapareceram. Pensei que começaria a ouvir todo mundo duvidar de mim, e isso virou um desafio. Agora, penso em voltar para mostrar às pessoas que elas estão erradas”, declarou.

E mais: Kobe Bryant não se assusta com protestos e pede para Neymar manter foco

A motivação é tanta que nem mesmo a disputa das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, está descartada. “Essa lesão está me dando muito mais força para continuar. Eu realmente me vejo jogando por mais três ou quatro anos”, afirmou o ala-armador, medalha de ouro com a seleção norte-americana nas duas últimas edições dos Jogos.

AP
Dwight Howard pode deixar o Lakers

A recuperação do principal atleta não é a única dúvida do Lakers com relação ao futuro. O contrato do pivô Dwight Howard termina ao final do mês. Isso significa que ele será agente livre e poderá negociar um novo acordo com qualquer outra equipe da liga.

Segundo Kobe, o planejamento do Lakers para a próxima temporada depende da definição da situação de Howard. “Estamos esperando a decisão dele. Espero que ele fique conosco. Se decidir ir para um outro time, a diretoria do Lakers vai precisar se mexer para arrumar uma solução”, comentou.

Além de Howard e Kobe, o Lakers na última temporada contou com o ala-pivô Pau Gasol e com o armador Steve Nash. A reunião destas quatro estrelas da liga colocava o time como um dos favoritos ao título antes do campeonato, mas a campanha de 45 vitórias e 37 derrotas não correspondeu às expectativas. Classificada para os playoffs apenas na sétima colocação da Conferência Oeste, a equipe foi eliminada pelo Spurs logo na primeira fase.

Leia tudo sobre: kobe bryantlos angeles lakersmiami heatnba

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas