Recheados de estrelas, Heat e Lakers iniciam temporada da NBA como favoritos

Grupo dos candidatos ao título em 2013 conta ainda com Thunder, Spurs e Celtics. Veja como as 30 equipes da liga chegam para a disputa do campeonato

Luís Araújo - iG São Paulo |

Atual campeão, o Miami Heat começa a temporada 2012/13 da NBA como o time a ser batido. Além de ter mantido a base vencedora, foi buscar no mercado duas peças que reforçam o banco de reservas e aumentam ainda mais o já vasto arsenal ofensivo: o ala-armador Ray Allen e o ala-pivô Rashard Lewis, ambos experientes e especialistas em tiros de três pontos. Entre aqueles que prometem impedir o bicampeonato do Heat, nenhuma ameaça parece ser tão perigosa quanto a que vem do lado oeste dos Estados Unidos. Pelo menos na teoria.

Veja as principais transações que aconteceram na NBA

Quem é o favorito ao título da NBA nesta temoporada? Deixe seu palpite

Essa ameaça é o Los Angeles Lakers, que também tratou de reunir astros no elenco. O time, que já contava com o ala-armador Kobe Bryant e com o ala Pau Gasol, fez duas das principais contratações para esta temporada. Primeiro, chegou o armador Steve Nash, que continua jogando em alto nível apesar dos 38 anos de idade. Pouco depois, quem desembarcou na Califórnia foi o pivô Dwight Howard, que deixou o Orlando Magic após oito anos.

E mais: David Stern anuncia que deixará comando da NBA em 2014

Além de Heat e Lakers, outros três times aparecem entre os favoritos na disputa pelo título da NBA em 2013: Boston Celtics, San Antonio Spurs e Oklahoma City Thunder – atual vice-campeão.

Veja o que esperar de cada uma das 30 equipes e como elas mudaram para a temporada 2012/13 da NBA.

ATLANTA HAWKS

Getty Images
O ala Josh Smith é um dos destaques do Hawks

Nas últimas cinco temporadas, o time ficou entre os oito melhores do Leste, mas não conseguiu passar da segunda fase dos playoffs. A direção, então, decidiu que era necessário mexer no elenco. O ala Marvin Williams e o ala-armador Joe Johnson, principal cestinha da equipe nos últimos anos, foram negociados. Por outro lado, chegaram Devin Harris e Lou Williams, dois armadores que pontuam com facilidade. Os dois são bons complementos para o ala Josh Smith e o pivô Al Horford. As mudanças tiveram como objetivo aliviar a folha salarial da equipe e foram feitas pensando em resultados no futuro. No presente, elas não devem mudar muita coisa. É bem provável que a temporada 2012/13 do Hawks seja parecida com as cinco anteriores.

Principais contratações: Devin Harris, Lou Williams (armadores) e o calouro John Jenkins (armador)
Time base: Devin Harris, DeShawn Stevenson, Anthony Morrow, Josh Smith e Al Horford
Reservas: Jeff Teague, Lou Williams, John Jenkins, Kyle Korver, Anthony Tolliver, Mike Scott, Ivan Johnson, Zaza Pachulia e John Petro
Técnico: Larry Drew
Até onde pode chegar: disputa vaga nos playoffs

BOSTON CELTICS

Getty Images
Rondo: armador é o "maestro" do Celtics

Apesar da saída do ala-armador Ray Allen, o Celtics continua competitivo e pode se consolidar como grande adversário do Miami Heat na briga pelo topo do Leste. Para repor a perda de Allen, o time foi buscar três jogadores da posição que serão muito úteis ao técnico Doc Rivers: Jason Terry, Courtney Lee e o brasileiro Leandrinho. Para o garrafão, setor mais carente de peças de reposição na última temporada, chegaram o experiente Darko Milicic e o calouro brasileiro Fabrício Melo – que se destacou defensivamente na liga universitária. Além disso, o ala Jeff Green está recuperado de um problema cardíaco e volta a integrar o elenco. O banco de reservas mais profundo possibilitará maior tempo de descanso aos veteranos Paul Pierce e Kevin Garnett – que, apesar da idade, mostraram na campanha do último campeonato que ainda são decisivos. O maestro desse grupo, no entanto, é um jogador de 26 anos: o armador Rajon Rondo, que atravessa o melhor momento da carreira.

Principais contratações: Jason Terry, Leandrinho (alas-armadores) e os calouros Fabrício Melo (pivô) e Jared Sullinger (ala)
Time base: Rajon Rondo, Avery Bradley, Paul Pierce, Brandon Bass e Kevin Garnett
Reservas: Jason Terry, Leandrinho, Courtney Lee, Kris Joseph, Jeff Green, Jared Sullinger, Chris Wilcox, Jason Collins, Darko Milicic e Fabrício Melo
Técnico: Doc Rivers
Até onde pode chegar: briga pelo título

BROOKLYN NETS

Getty Images
Deron Williams: armador terá companheiros mais talentosos ao seu lado no Nets

Jogando praticamente sozinho, Deron Williams não conseguiu levar o Nets a lugar algum na temporada 2011/12. Agora, um dos melhores armadores da NBA conta com companhia melhor qualificada e pode levar o time a beliscar uma das oito vagas para os playoffs no Leste. A principal novidade é o ala-armador Joe Johnson, que chegou para se tornar o principal pontuador da equipe, exercendo papel semelhante ao que tinha no Atlanta Hawks. Depois de ter atuado em apenas cinco partidas do último campeonato por conta de uma fratura no pé, o pivô Brook Lopez está saudável e pronto para ajudar o Nets. Quem também pode colaborar é o ala-pivô Reggie Evans, que tem como especialidade justamente aquele que é o principal defeito de Lopez: os rebotes. Há ainda o experiente ala Gerald Wallace, defensor versátil que chegou ao time no final da última temporada. São peças boas o suficiente para que a mudança da franquia para o Brooklyn seja marcada pelo retorno aos playoffs.

Principais contratações: Joe Johnson (ala-armador), Reggie Evans (ala-pivô) e Mirza Teletovic (ala)
Time base: Deron Williams, Joe Johnson, Gerald Wallace, Kris Humphries e Brook Lopez
Reservas: C.J. Watson, Tyshawn Taylor, Keith Bogans, MarShon Brooks, Jerry Stackhouse, Josh Childress, Reggie Evans, Tornike Shengelia, Mirza Teletovic e Andray Blatche
Técnico: Avery Johnson
Até onde pode chegar: para nos playoffs

CHARLOTTE BOBCATS

Getty Images
Ala calouro Michael Kidd-Gilchrist é uma das esperanças do Charlotte Bobcats

Com sete vitórias ao longo dos 66 jogos da temporada 2011/12, o Bobcats teve aproveitamento de 10,6% e registrou a pior campanha da história da NBA. O fraco desempenho, ao menos, resultou na segunda escolha do Draft. Foi dessa maneira que a equipe passou a contar com os serviços do talentoso ala Michael Kidd-Gilchrist, que conquistou o título do torneio da NCAA com Kentucky neste ano. Ele se junta a um outro jogador que foi campeão universitário no ano anterior: o armador Kemba Walker. Os dois jovens são as esperanças do Bobcats de apagar o vexame do último campeonato e se tornar um time competitivo. O projeto pode dar certo um dia, mas ainda é cedo demais para os resultados aparecerem.

Principais contratações: Ben Gordon (ala-armador) e o calouro Michael Kidd- Gilchrist (ala)
Time base: Kemba Walker, Gerald Henderson, Michael Kidd-Gilchrist, Tyrus Thomas e Brendan Haywood
Reservas: Ramon Sessions, Ben Gordon, Cory Higgins, Matt Carroll, Reggie Williams, Jeff Taylor, Bismack Biyombo, Byron Mullens e DeSagana Diop
Técnico: Mike Dunlap
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

CHICAGO BULLS

AP
Derrick Rose: lesionado, armador desfalca o Bulls pelo menos até fevereiro

O time que teve a melhor campanha da liga nas últimas duas temporadas e que aparecia entre os candidatos ao título não existe mais. A contusão de Derrick Rose e o fato de o armador ficar pelo menos até fevereiro afastado das quadras fez o Bulls passar de potência do Leste a força intermediária. Sem Rose, a armação ficará nas mãos de Kirk Hinrich, que retorna a Chicago depois de dois anos. Desta maneira, a forma do time de jogar certamente será modificada. Hinrich não é um definidor de jogadas como Rose. Isso significa que o ataque precisará de contribuições maiores do ala Luol Deng e do ala-pivô Carlos Boozer. Vale lembrar também que o banco de reservas, um dos pontos fortes da equipe nas últimas temporadas, foi reformulado por questões financeiras. Apesar de todas essas mudanças, o Bulls deverá ficar entre os oito melhores times do Leste. Mas mesmo que Rose retorne a tempo de disputar os playoffs, é difícil imaginar o time fazendo frente a Celtics e Heat, favoritos na conferência.

Principais contratações: Kirk Hinrich (armador) e o calouro Marquis Teague (armador)
Time base: Kirk Hinrich*, Richard Hamilton, Luol Deng, Carlos Boozer e Joakim Noah
Reservas: Derrick Rose*, Nate Robinson, Marquis Teague, Marco Belinelli, Jimmy Butler, Vladimir Radmanovic, Taj Gibson e Nazr Mohammed
*Rose seria titular, mas ainda se recupera de uma cirurgia no joelho e só deve voltar a partir de fevereiro
Técnico: Tom Thibodeau
Até onde pode chegar: para nos playoffs

CLEVELAND CAVALIERS

Getty Images
Recuperado de lesão, o brasileiro Anderson Varejão volta ao time titular do Cavaliers

Liderado pelo bom início de carreira do então novato armador Kyrie Irving, o Cavaliers chegou a namorar uma vaga nos playoffs na primeira metade da última temporada. Mas na reta final, especialmente após a contusão de Anderson Varejão, colecionou derrotas e se distanciou da briga. Para este campeonato, além de ter o pivô brasileiro saudável novamente, a única novidade relevante do time é o ala-armador Dion Waiters, selecionado na quarta posição do Draft. Ele deverá fazer uma dupla interessante com Irving, que pode render bons frutos ao Cavaliers no futuro. Por enquanto, é possível imaginar o time fazendo uma campanha bem melhor em relação às que teve nas últimas duas temporadas. Mas a vaga nos playoffs parece ainda distante.

Principais contratações: os calouros Dion Waiters (ala-armador) e Tyler Zeller (pivô)
Time base: Kyrie Irving, Dion Waiters, C.J. Miles, Tristan Thompson e Anderson Varejão
Reservas: Daniel Gibson, Jeremy Pargo, Donald Sloan, Alonzo Gee, Luke Harangody, Luke Walton, Omri Casspi, Samardo Samuels, Jon Leuer e Tyler Zeller
Técnico: Byron Scott
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

DALLAS MAVERICKS

AP
Dirk Nowitzki: ala-pivô é o principal jogador do Mavericks, campeão da NBA em 2011

Campeão da NBA em 2011, o Mavericks mostrou na última temporada que ficou para trás e não fazia mais parte do grupo dos times mais fortes da liga. A eliminação em quatro jogos diante do Oklahoma City Thunder logo na primeira fase dos playoffs deixou isso bem claro. Buscando voltar a brigar em condições de igualdade com as potências do Oeste, a equipe do Texas se movimentou bastante no mercado. Veteranos, o armador Jason Kidd e o ala-armador Jason Terry foram embora. Para seus lugares, chegaram Darren Collison e O.J. Mayo – jogadores que lutavam para se firmar entre os titulares do Indiana Pacers e do Memphis Grizzlies, respectivamente. A rotação do garrafão passa a contar com os experientes Elton Brand e Chris Kaman, que já estão em fase descendente da carreira. Se todas essas peças se ajustarem ao redor de Dirk Nowitzki, a classificação aos playoffs poderá ser confirmada sem sustos. Mas voltar a brigar pelo título ainda parece ser uma realidade distante para o Mavericks.

Principais contratações: Darren Collison (armador), O.J. Mayo (ala-armador), Elton Brand (ala-pivô), Chris Kaman (pivô) e o calouro Jared Cunningham (ala-armador)
Time base: Darren Collison, O.J. Mayo, Shawn Marion, Dirk Nowitzki e Chris Kaman
Reservas: Rodrigue Beaubois, Jared Cunningham, Dominique Jones, Vince Carter, Dahntay Jones, Jae Crowder, Elton Brand, Bernard James, Eddy Curry e Brendan Wright
Técnico: Rick Carlisle
Até onde pode chegar: para nos playoffs

DENVER NUGGETS

Getty Images
Andre Iguodala é a principal novidade do Nuggets

A chegada do ala-armador Andre Iguodala deixa o grupo do Nuggets mais forte para esta temporada. Campeão olímpico com a seleção norte-americana em Londres, Iguodala é um dos melhores defensores de perímetro da NBA. No ataque, junta-se ao armador Ty Lawson e ao ala Danilo Gallinari como boas opções para definir as jogadas. Outro ponto forte do Nuggets é o banco de reservas. Jogadores como o ala Wilson Chandler e o armador Andre Miller poderiam ser titulares em algumas outras equipes da liga. Todas essas armas deverão fazer do Nuggets um time bem difícil de ser batido e que pode passar da primeira rodada dos playoffs. Mas ainda falta um garrafão mais sólido para que a equipe possa sonhar com voos mais altos.

Principais contratações: Andre Iguodala (ala-armador) e o calouro Evan Fournier (ala-armador)
Time base: Ty Lawson, Andre Iguodala, Danilo Gallinari, Kenneth Faried e JaVale McGee
Reservas: Andre Miller, Evan Fournier, Julyan Stone, Jordan Hamilton, Wilson Chandler, Corey Brewer, Quincy Miller, Anthony Randolph, Kosta Koufos e Timofey Mozgov
Técnico: George Karl
Até onde pode chegar: para nos playoffs

DETROIT PISTONS

Getty Images
Greg Monroe, pivô promissor do Detroit Pistons

O primeiro ano de trabalho do técnico Lawrence Frank não mudou muita coisa no Pistons. Com a fraca campanha na última temporada, o time ficou sem a classificação para os playoffs pelo terceiro ano consecutivo – algo que não acontecia desde o início dos anos 1990. A situação não deverá mudar neste campeonato, visto que a direção deposita suas fichas nos jovens atletas do elenco para fazer a equipe voltar aos dias de glória. O principal deles é o pivô Greg Monroe, que teve desempenho animador nas duas primeiras temporadas da carreira e pode se consolidar como um dos melhores jogadores de garrafão da NBA se continuar mostrando evolução. Outra aposta é o armador Brandon Knight, que entrará no seu segundo ano como profisional na liga.

Principais contratações: Corey Maggette (ala) e o calouro Andre Drummond (pivô)
Time base: Brandon Knight, Rodney Stuckey, Tayshaun Prince, Austin Daye e Greg Monroe
Reservas: Will Bynum, Corey Maggette, Kim English, Khris Middleton, Jason Maxiell, Kyle Singler, Jonas Jerebko, Andre Drummond, Charlie Villanueva e Viacheslav Kravtsov
Técnico: Lawrence Frank
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

GOLDEN STATE WARRIORS

AP
Stephen Curry: armador é peça fundamental para o Golden State Warriors

O Warriors conta com peças no elenco boas o suficiente para disputar uma vaga nos playoffs. O armador Stephen Curry e o ala-pivô David Lee são jogadores que pontuam com facilidade. Outra arma interessante para o ataque é o promissor Klay Thompson, ala-armador que entrou bem no time durante sua temporada de estreia. O calouro Harrison Barnes mostrou ter talento durante o último campeonato universitário. Há ainda o pivô australiano Andrew Bogut, um dos melhores da NBA em sua posição quando está saudável. O problema da equipe é justamente esse: manter seus principais atletas longe do departamento médico. O próprio Bogut fraturou o tornozelo em janeiro e ainda não tem data para retornar, enquanto Curry esteve afastado de 40 jogos na última temporada. Se as contusões pararem de atrapalhar, o Warriors pode avançar aos playoffs pela segunda vez em 18 anos.

Principais contratações: Carl Landry (ala-pivô) e os calouros Harrison Barnes (ala) e Festus Ezeli (pivô)
Time base: Stephen Curry, Klay Thompson, Richard Jefferson, David Lee e Andrew Bogut
Reservas: Jarrett Jack, Charles Jenkins, Kent Bazemore, Brandon Rush, Draymond Green, Harrison Barnes, Carl Landry, Jeremy Tyler, Festus Ezeli e Andris Biendris
Técnico: Mark Jackson
Até onde pode chegar: disputa vaga nos playoffs

HOUSTON ROCKETS

Getty Images
James Harden: ala-armador chegou ao Rockets às vésperas do início da temporada

Muitas mudanças aconteceram no elenco do Rockets, tanto que nenhum jogador dos que eram titulares no último campeonato permaneceu. Entre as novidades do time estão o armador Jeremy Lin e o pivô turco Omer Asik. O primeiro foi a sensação da temporada 2011/12 atuando pelo New York Knicks e agora terá de provar que é capaz de continuar jogando em alto nível. Já o segundo se mostrou um ótimo defensor e, ao mesmo tempo, muito limitado no ataque durante a passagem de dois anos que teve pelo Chicago Bulls. Mas a principal aquisição do Rockets aconteceu às vésperas do início desta temporada. Trata-se do ala-armador James Harden, uma das peças fundamentais para o sucesso recente do Oklahoma City Thunder e que deve assumir o papel de líder em Houston. Além disso, há os jovens atletas que buscam conquistar espaço na NBA, como é o caso do armador brasileiro Scott Machado. As novidades animam, mas a falta de entrosamento entre elas deve ser um grande obstáculo para o Rockets na briga por vaga nos playoffs.

Principais contratações: James Harden (ala-armador), Jeremy Lin (armador), Omer Asik (pivô) e os calouros Royce White (ala-pivô), Terrence Jones (ala-pivô) e Scott Machado (armador)
Time base: Jeremy Lin, James Harden, Chandler Parsons, Patrick Patterson e Omer Asik
Reservas: Scott Machado, Toney Douglas, Daequan Cook, Carlos Delfino, Royce White, Marcus Morris, Terrence Jones, Greg Smith, Donatas Motiejunas e Cole Aldrich
Técnico: Kevin McHale
Até onde pode chegar: briga por vaga nos playoffs

INDIANA PACERS

Getty Images
Danny Granger: ala terá que mostrar que é um astro capaz de comandar o time em momentos decisivos

O time é praticamente o mesmo que chegou à semifinal da Conferência Leste e deu trabalho para o Miami Heat na última temporada. Saíram o armador Darren Collison e o ala-armador brasileiro Leandrinho, dois jogadores que eram utilizados como opções a partir do banco de reservas. O armador D. J. Augustin e o ala Sam Young, recém-chegados, poderão suprir bem essas baixas. Isso tudo deixa bem clara a intenção da direção da franquia: a de apostar na manutenção do elenco, que vem apresentando resultados cada vez melhores nos últimos campeonatos. Com uma boa dupla de garrafão, formada por Roy Hibbert e David West, o Pacers deverá se tornar um time ainda mais competitivo e brigará pelas primeiras posições do Leste. Mas a falta de uma grande estrela no elenco deixa a equipe um degrau abaixo de Miami Heat e Boston Celtics, principais candidatos ao título da conferência. Essa situação só deverá mudar se o ala Danny Granger acabar com as desconfianças e provar que é, de fato, um astro capaz de liderar a equipe nos momentos decisivos.

Principais contratações: D.J. Augustin (armador), Sam Young (ala) e o calouro Miles Plumlee (ala-pivô)
Time base: George Hill, Paul George, Danny Granger, David West e Roy Hibbert
Reservas: D.J. Augustin, Ben Hansbrough, Lance Stephenson, Orlando Johnson, Sam Young, Gerald Green, Jeff Pendergraph, Tyler Hansbrough, Miles Plumlee e Ian Mahinmi
Técnico: Frank Vogel
Até onde pode chegar: para nos playoffs

LOS ANGELES CLIPPERS

AP
Blake Griffin e Chris Paul, astros do Clippers

Em tese, poucos times contam com tantas boas opções no banco de reservas quanto o Clippers. Basta observar que dois dos novos contratados já conquistaram o prêmio de melhor reserva da liga recentemente: o ala-armador Jamal Crawford e o ala Lamar Odom. Além da dupla, o time foi buscar o veterano ala Grant Hill e conta com o retorno do armador Chauncey Billups, que perdeu a maior parte da última temporada devido a uma ruptura do tendão de Aquiles. Além de todas essas peças de apoio, o time vermelho de Los Angeles conta com a liderança do armador Chris Paul e do ala-pivô Blake Griffin, dois dos melhores jogadores da liga em suas respectivas posições. Como se percebe, talento não falta ao Clippers. O problema é o treinador Vinny Del Negro, que é visto com desconfiança desde os tempos em que comandava o Chicago Bulls. Se ele mostrar que é capaz de ter uma carreira de sucesso na NBA e conseguir ajustar todos esses bons valores que tem à disposição, a equipe pode ir longe.

Principais contratações: Jamal Crawford (ala-armador), Grant Hill e Lamar Odom (alas)
Time base: Chris Paul, Chauncey Billups, Caron Butler, Blake Griffin e DeAndre Jordan
Reservas: Eric Bledsoe, Wilie Green, Jamal Crawford, Matt Barnes, Grant Hill, Lamar Odom, Trey Thompkins, Ronny Turiaf e Ryan Hollins
Técnico: Vinny Del Negro
Até onde pode chegar: para nos playoffs

LOS ANGELES LAKERS

Getty Images
Dwight Howard: pivô trocou o Magic pelo Lakers

Não tem como não colocar o Lakers como um dos principais concorrentes ao título da NBA em 2013. O problema da armação foi resolvido com a chegada de Steve Nash, que continua registrando dois dígitos de média em pontos e em assistências apesar dos 38 anos de idade. Além disso, o time venceu a disputa pelo pivô Dwight Howard, fechou negócio com o Orlando Magic e adicionou ao elenco aquele que vem sendo o melhor jogador de garrafão da liga nos últimos anos. Desta maneira, é possível afirmar que o Lakers tem o quinteto inicial mais talentoso da NBA. Resta saber como o astro da equipe, o ala-armador Kobe Bryant, vai se adaptar à nova realidade do time, tendo que dividir mais o jogo. Se o treinador Mike Brown conseguir fazer todas essas peças se encaixarem durante a temporada, as chances do Lakers de chegar à mais uma decisão são bem grandes.

Principais contratações: Dwight Howard (pivô) e Steve Nash (armador)
Time base: Steve Nash, Kobe Bryant, Metta World Peace, Pau Gasol e Dwight Howard
Reservas: Chris Duhon, Darius Johnson-Odom, Steve Blake, Jodie Meeks, Darius Morris, Devin Ebanks, Antawn Jamison, Earl Clark, Jordan Hill e Robert Sacre
Técnico: Mike Brown
Até onde pode chegar: briga pelo título

MEMPHIS GRIZZLIES

AP
Rudy Gay, jovem estrela do Memphis Grizzlies

Presente nos playoffs nas duas últimas temporadas, o Grizzlies é mais uma equipe que aposta na manutenção da base para continuar em ascensão dentro da liga. A saída do ala-armador O.J. Mayo, peça importante do banco de reservas do time, poderá ser compensada com a chegada do também ala-armador Wayne Ellington. O quinteto inicial é forte e conta com vários elementos interessantes. Marc Gasol e Zach Randolph formam uma das melhores duplas de garrafão da liga. O perímetro conta ainda com um armador extremamente competente como Mike Conley, um ala-armador especialista em defesa como Tony Allen e uma jovem estrela com potencial de evoluir ainda mais como Rudy Gay. Se todos esses jogadores conseguirem permanecer saudáveis, o Grizzlies tem tudo para carimbar passagem para os playoffs com certa tranquilidade e brigar pelas quatro primeiras posições do Oeste.

Principais contratações: Wayne Ellington e o calouro Tony Wroten (alas-armadores)
Time base: Mike Conley, Tony Allen, Rudy Gay, Zach Randolph e Marc Gasol
Reservas: Josh Selby, Jerryd Bayless, Wayne Ellington, Quincy Pondexter, Tony Wroten, Darrell Arthur, Marreese Speights e Hamed Haddadi
Técnico: Lionel Hollins
Até onde pode chegar: para nos playoffs

MIAMI HEAT

AP
LeBron James e Dwyane Wade, campeões em 2012

Depois de bater na trave em 2011, o Heat conseguiu fazer sua equipe recheada de astros se encaixar e ficou com o título em 2012. A conquista teve como protagonista o ala LeBron James, que vive o melhor momento da carreira aos 27 anos. O ala-armador Dwyane Wade e o ala-pivô Chris Bosh foram bons escudeiros de James e também apareceram com destaque em momentos decisivos. E para repetir o feito e faturar o bicampeonato nesta temporada, o time da Flórida se fortaleceu ainda mais com a contratação do experiente ala-armador Ray Allen, um dos melhores arremessadores de três pontos da história da NBA. Além dele, outro especialista em chutes de longe que desembarcou em Miami é o ala Rashard Lewis. A chegada dos dois deixa o banco de reservas mais forte e amplia ainda mais o leque de opções que o técnico Erik Spoelstra terá à disposição para montar o ataque. Do outro lado da quadra, não há motivos para acreditar que o sistema defensivo será diferente das últimas temporadas, quando demonstrou bastante eficiência ao limitar as ações dos oponentes. É por isso tudo que o Heat entra neste campeonato como o time a ser batido e com grandes chances de conquistar mais um título.

Principais contratações: Ray Allen (ala-armador) e Rashard Lewis (ala)
Time base: Mario Chalmers, Dwyane Wade, LeBron James, Udonis Haslem e Chris Bosh
Reservas: Norris Cole, Terrel Harris, Ray Allen, Shane Battier, Mike Miller, James Jones, Rashard Lewis, Joel Anthony, Josh Harrellson, Dexter Pittman e Justin Hamilton
Técnico: Erik Spoelstra
Até onde pode chegar: briga pelo título

MILWAUKEE BUCKS

Getty Images
Brandon Jennings: postura do armador poderá influenciar nas chances de classificação do Bucks

Na teoria, o time conta com dois armadores extremamente atléticos e talentosos: Brandon Jennings e Monta Ellis. Ambos são bons pontuadores, mas não têm essa mesma facilidade para envolver os companheiros no jogo. As chances de classificação do Bucks para os playoffs passam pela resolução desse problema. Se isso acontecer, pode sobrar espaço para o ala-pivô Ersan Ilyasova se destacar. O turco evoluiu muito no último ano e tem condição de se tornar peça importante para o ataque da equipe, que ganha bastante defensivamente com a chegada do pivô Samuel Dalembert. Mas se o problema persistir, Jennings e Ellis vão continuar sendo o que sempre foram: cestinhas de times que não chegam a lugar nenhum.

Principais contratações: Samuel Dalembert (pivô), Marquis Daniels (ala-armador) e o calouro John Henson (ala-pivô)
Time base: Brandon Jennings, Monta Ellis, Luc Mbah a Moute, Ersan Ilyasova e Samuel Dalembert
Reservas: Beno Udrih, Doron Lamb, Marquis Daniels, Mike Dunleavy, Tobias Harris, Drew Gooden, John Henson, Larry Sanders, Ekpe Udoh e Joel Przybilla
Técnico: Scott Skiles
Até onde pode chegar: disputa vaga nos playoffs

MINNESOTA TIMBERWOLVES

AP
Ricky Rubio lesionou o joelho na última temporada

O Timberwolves não disputa os playoffs da NBA desde 2004, quando foi eliminado na final da Conferência Oeste pelo Los Angeles Lakers. Esse longo intervalo ausente da fase eliminatória pode chegar ao fim nesta temporada. O time já estava em curva ascendente na último campeonato, com o bom entrosamento entre o jovem armador espanhol Ricky Rubio e o ala-pivô Kevin Love. Em tese, o quinteto inicial fica consideravelmente mais forte com as contratações do ala Andrei Kirilenko e do ala-armador Brandon Roy, que largou a aposentadoria após um ano e volta a jogar. Resta saber, no entanto, se as lesões vão parar de atrapalhar a equipe. Rubio ainda se recupera de uma cirurgia no joelho que o deixou longe das quadras desde março. Love sofreu uma fratura na mão durante a pré-temporada e ficará fora de combate por pelo menos seis semanas. Já Roy, apesar de ter apenas 28 anos, tem o joelhos bastante debilitados após várias contusões ao longo da carreira.

Principais contratações: Brandon Roy, Alexey Shved (alas-armadores), Andrei Kirilenko (ala)
Time base: Luke Ridnour*, Brandon Roy, Andrei Kirilenko, Kevin Love e Nikola Pekovic
Reservas: Ricky Rubio*, J. J. Barea, Will Conroy, Malcom Lee, Alexey Shved, Derrick Williams, Chase Budinger, Dante Cunningham, Lou Amundson e Greg Stiemsma
*Rubio seria titular, mas ainda se recupera de uma cirurgia no joelho e só deve voltar no final de dezembro
Técnico: Rick Adelman
Até onde pode chegar: disputa vaga nos playoffs

NEW ORLEANS HORNETS

Getty Images
Anthony Davis foi o primeiro atleta a ser escolhido no Draft da NBA em 2012

Após a perda do armador Chris Paul em 2011, o Hornets viu-se obrigado a iniciar um processo de reformulação. Esse trabalho ficou mais fácil com a primeira escolha do Draft deste ano, que a equipe usou para selecionar o ala-pivô Anthony Davis – campeão da NCAA com Kentucky e integrante dos EUA na conquista da medalha de ouro olímpica nos Jogos de Londres. Outro calouro que deverá ser bastante utilizado pelo treinador Monty Williams é Austin Rivers, que atuou na liga universitária como ala-armador, mas que deverá ser utilizado como armador no time. Os dois calouros se juntam ao ala-armador Eric Gordon, principal pontuador da equipe e que atuou em apenas nove jogos da última temporada por causa de uma lesão no joelho. Essa combinação pode dar resultados em alguns anos. Até lá, o Hornets vai continuar aparecendo na parte de baixo da tabela de classificação do Oeste.

Principais contratações: Robin Lopez (pivô), Ryan Anderson (ala) e os calouros Anthony Davis (ala-pivô) e Austin Rivers (armador)
Time base: Austin Rivers, Eric Gordon, Ryan Anderson, Anthony Davis e Robin Lopez
Reservas: Brian Roberts, Roger Mason, Greivis Vasquez, Xavier Henry, Darius Miller, Lance Thomas, Hakim Warrick, Al-Farouq Aminu e Jason Smith
Técnico: Monty Williams
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

NEW YORK KNICKS

AP
Carmelo Anthony: ala é o principal jogador do Knicks

Experiência. Foi essa a aposta do Knicks para deixar o elenco mais competitivo nesta temporada. Afinal de contas, a equipe foi buscar cinco jogadores que beiram os 40 anos para compor o banco de reservas: os armadores Jason Kidd e Pablo Prigioni, o ala-pivô Rasheed Wallace e os pivôs Marcus Camby e Kurt Thomas. As exceções à essa regra são o armador Raymond Felton e o ala-armador Ronnie Brewer, que deverão fazer parte do quinteto inicial. Brewer ajudará o ala Iman Shumpert a dar maior consistência à defesa de perímetro do time. O ataque conta com o ala-pivô Amar’e Stoudemire e com o ala Carmelo Anthony, jogadores que têm facilidade de definição quando têm a bola nas mãos. O grande desafio do treinador Mike Woodson é fazer com que um não anule o outro, como aconteceu na última temporada. Esse ajuste será fundamental para definir o quanto a caminhada do Knicks no campeonato será longa.

Principais contratações: Jason Kidd, Raymond Felton, Pablo Prigioni (armadores) e Marcus Camby (pivô)
Time base: Raymond Felton, Ronnie Brewer, Carmelo Anthony, Amar’e Stoudemire e Tyson Chandler
Reservas: Jason Kidd, Pablo Prigioni, J.R. Smith, James White, Iman Shumpert, Chris Copeland, Steve Novak, Rasheed Wallace, Kurt Thomas e Marcus Camby
Técnico: Mike Woodson
Até onde pode chegar: para nos playoffs

OKLAHOMA CITY THUNDER

Getty Images
Kevin Durant é o líder do Thunder. Equipe aposta na continuação do desenvolvimento do jovem astro

O vice-campeonato neste ano comprova que o Thunder definitivamente passou de grupo promissor a uma das potências da NBA. A continuação do desenvolvimento das duas estrelas – o ala Kevin Durant e o armador Russell Westbrook – é a aposta da equipe para voltar a disputar a decisão. O problema é que os concorrentes da Conferência Oeste ficaram mais fortes. Além disso, o Thunder perdeu às vésperas do início desta temporada um jogador que vinha sendo importante para o sucesso do time: o ala-armador James Harden, que não chegou a um acordo sobre sua extensão contratual e acabou sendo negociado com o Houston Rockets. Em troca, vieram dois jogadores da mesma posição: o experiente Kevin Martin, que tem como característica a facilidade em pontuar, e o novato Jeremy Lamb. Se o técnico Scott Brooks conseguir encaixar essas novas peças e amenizar o impacto da saída de Harden, a equipe permencerá forte e em plenas condições de brigar de frente com Los Angeles Lakers e San Antonio Spurs pelo domínio do Oeste.

Principais contratações: Kevin Martin (ala-armador) e os calouros Jeremy Lamb (ala-armador) e Perry Jones (ala-pivô)
Time base: Russell Westbrook, Thabo Sefolosha, Kevin Durant, Serge Ibaka e Kendrick Perkins
Reservas: Eric Maynor, Walker Russell, Kevin Martin, Jeremy Lamb, Reggie Jackson, DeAndre Liggins, Perry Jones, Nick Collison e Hasheem Thabeet
Técnico: Scott Brooks
Até onde pode chegar: briga pelo título

ORLANDO MAGIC

Getty Images
Aaron Afflalo: ala-armador é uma das novidades do enfraquecido Orlando Magic

Nos últimos anos, o Magic se tornou presença constante nos playoffs e chegou a disputar a decisão em 2009, quando acabou sendo superado pelo Los Angeles Lakers. A realidade do time, ao que tudo indica, será bastante diferente nesta temporada. Os tempos são de mudança. Após meses de especulação, o pivô Dwight Howard, grande estrela da franquia, finalmente conseguiu o que queria e se mandou de Orlando. O treinador Stan Van Gundy também foi embora. Para o seu lugar, chegou Jacque Vaughn, um ex-armador que terá a primeira oportunidade como técnico. As principais novidades no elenco são o ala-armador Aaron Afflalo e o ala-pivô Nikola Vucevic. O primeiro veio do Denver Nuggets e é um dos defensores de elite da liga, além de ter um bom aproveitamento nos arremessos de três. O segundo mostrou potencial ofensivo e habilidade para pegar rebotes durante sua temporada de estreia, pelo Philadelphia 76ers. Mas isso tudo ainda não é suficiente para suprir a ausência de um astro como Howard. A tendência para esta temporada é que o Magic seja presa fácil para a maioria dos adversários.

Principais contratações: Aaron Afflalo (ala-armador), Nikola Vucevic (ala-pivô) e o calouro Andrew Nicholson (ala-pivô)
Time base: Jameer Nelson, Aaron Afflalo, Hedo Turkoglu, Glen Davis e Nikola Vucevic
Reservas: Ish Smith, E’Twaun Moore, J. J. Redick, DeQuan Jones, Moe Harkless, Al Harrington, Andrew Nicholson, Josh McRoberts, Kyle O’Quinn e Gustavo Ayon
Técnico: Jacque Vaughn
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

PHILADELPHIA 76ERS

Getty Images
Andrew Bynum: ex-pivô do Lakers é a principal aquisição do 76ers para a temporada

O 76ers mostrou grande evolução na temporada 2011/12, tanto que só foi eliminado no sétimo jogo da semifinal da Conferência Leste. A campanha bem sucedida teve como base a defesa sólida construída pelo técnico Doug Collins e o ataque bem organizado, que cometia poucos desperdícios de posse de bola. Do time que chegou longe no último campeonato, foram embora três peças que tinham participação importante na rotação: o ala-armador Andre Iguodala, o ala-pivô Elton Brand e o armador reserva Louis Williams. Por outro lado, as contratações animam e podem deixar o time ainda mais competitivo. De Los Angeles, chegou um dos melhores pivôs da liga: Andrew Bynum, que vai melhorar bastante o garrafão da equipe, sobretudo ofensivamente, se conseguir permanecer livre de lesões. Para o perímetro, a grande novidade é o experiente ala-armador Jason Richardson, ótima opção para definição de jogadas no ataque. Há ainda o armador Jrue Holiday e o ala Evan Turner, jovens que têm agradado nos últimos anos e podem evoluir ainda mais.

Principais contratações: Andrew Bynum (pivô), Jason Richardson (ala-armador) e o calouro Arnett Moultrie (ala-pivô)
Time base: Jrue Holiday, Jason Richardson, Evan Turner, Thaddeus Young e Andrew Bynum
Reservas: Maalik Wayns, Royal Ivey, Nick Young, Damien Wilkins, Dorell Wright, Arnett Moultrie, Lavoy Allen, Kwame Brown e Spencer Hawes
Técnico: Doug Collins
Até onde pode chegar: para nos playoffs

PHOENIX SUNS

Getty Images
Goran Dragic e Luis Scola, caras novas no Suns

A saída do armador Steve Nash simboliza o processo de reformulação pelo qual o Suns começa a passar. O elenco está bastante modificado em relação ao final da última temporada. Além de Nash, deixaram o time o veterano ala Grant Hill, o armador Aaron Brooks, o ala-pivô Hakim Warrick e o pivô Robin Lopez. Entre os que chegaram, destaca-se o ala-pivô argentino Luis Scola, que deverá formar uma dupla de garrafão eficiente no ataque com o pivô polonês Marcin Gortat. As novidades incluem ainda o armador esloveno Goran Dragic e o ala Michael Beasley. O primeiro melhorou bastante durante a passagem pelo Houston Rockets e parece preparado para comandar uma equipe. Já o segundo é talentoso, mas ainda não conseguiu se firmar na liga por causa dos problemas extra-quadra. O desafio do Suns será repetir a campanha de 50% de aproveitamento que teve na última temporada – o que deverá ser insuficiente para conseguir uma vaga nos playoffs.

Principais contratações: Luis Scola (ala-pivô), Michael Beasley (ala), Jermaine O’Neal (pivô), Goran Dragic (armador) e o calouro Kendall Marshall (armador)
Time base: Goran Dragic, Shannon Brown, Michael Beasley, Luis Scola e Marcin Gortat
Reservas: Kendall Marshall, Sebastian Telfair, Wesley Johnson, Jared Dudley, P. J. Tucker, Markieff Morris, Channing Frye, Luke Zeller e Jermaine O’Neal
Técnico: Alvin Gentry
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

PORTLAND TRAIL BLAZERS

Getty Images
LaMarcus Aldridge: ala-pivô é o destaque do Blazers

Pouca coisa mudou no elenco do Blazers em relação à última temporada, quando venceu apenas 28 dos 66 jogos que fez e passou longe de abocanhar uma vaga nos playoffs da Conferência Oeste. As principais novidades são os jogadores que chegaram através do Draft, especialmente o armador Damian Lillard. Selecionado na sexta escolha do recrutamento, é considerado um dos favoritos ao prêmio de melhor calouro do campeonato. Lillard se junta ao ala-armador Wesley Matthews e ao ala Nicolas Batum como boas opções de apoio para o ala-pivô LaMarcus Aldridge, que se consolidou como uma estrela e tem capacidade de evoluir ainda mais nos próximos anos. Contudo, o Blazers tem dois problemas que devem comprometer as chances de classificação para os playoffs. Um deles é a defesa, que ainda exige alguns ajustes. Além disso, o banco de reservas é um dos mais fracos da liga.

Principais contratações: os calouros Damian Lillard (armador), Meyers Leonard (pivô) e Victor Claver (ala)
Time base: Damian Lillard, Wesley Matthews, Nicolas Batum, LaMarcus Aldridge e J. J. Hickson
Reservas: Ronnie Price, Nolan Smith, Elliot Williams, Will Barton, Sasha Pavlovic, Victor Claver, Joel Freeland, Jared Jeffries, Luke Babbitt e Meyers Leonard
Técnico: Terry Stotts
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

SACRAMENTO KINGS

EFE
DeMarcus Cousins, uma das promessas do Kings

O Kings não disputa os playoffs desde 2006 e, muito provavelmente, não é nesta temporada que vai voltar a se classificar. O elenco conta com jogadores jovens e cheios de potencial, mas que ainda vão precisar de tempo para se transformarem em estrelas. O time está muito bem servido de pontuadores no perímetro. São os casos de Tyreke Evans, Marcus Thornton, Jimmer Fredette e Aaron Brooks – que retorna à NBA depois de ter passado o último ano no basquete chinês. O garrafão também conta com opções interessantes, em especial o pivô DeMarcus Cousins, que teve médias de 18,1 pontos e 11,0 rebotes por partida na temporada 2011/12. O problema é que todos esses jogadores têm dificuldade em dividir a bola com os companheiros, tanto é que o time foi o quinto entre os que menos deram assistências ao longo do último campeonato. Esse é um dos problemas que o técnico Keith Smart terá de corrigir para fazer o Kings voltar a brigar por um espaço entre os oito melhores do Oeste no futuro.

Principais contratações: Aaron Brooks (armador) e o calouro Thomas Robinson (ala-pivô)
Time base: Aaron Brooks, Marcus Thornton, Tyreke Evans, Jason Thompson e DeMarcus Cousins
Reservas: Jimmer Fredette, Isiah Thomas, Francisco Garcia, John Salmons, Tyler Honeycutt, James Johnson, Travis Outlaw, Thomas Robinson e Chuck Hayes
Técnico: Keith Smart
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

SAN ANTONIO SPURS

AP
Tim Duncan: veterano ala-pivô ainda é peça fundamental para o sucesso do Spurs

O time é praticamente o mesmo que engatou uma série de vitórias entre a reta final da última temporada regular e as duas primeiras fases dos playoffs, mas que caiu diante do Oklahoma City Thunder na final do Oeste. É verdade que os três principais jogadores do time – Tony Parker, Manu Ginobili e Tim Duncan – estão um ano mais velhos, mas o trio tem ao seu redor bons jovens jogadores em todas as posições. O ala Kawhi Leonard, por exemplo, agradou tanto em sua temporada como novato que se firmou entre os titulares. DeJuan Blair e o brasileiro Tiago Splitter são boas opções para a rotação do garrafão, bem como o especialista em tiros de três pontos Matt Bonner. Há ainda o ala-armador Nando De Colo, francês que foi escolhido pela franquia no Draft de 2009, mas que permaneceu no basquete espanhol nos últimos anos para amadurecer seu jogo e chega agora à NBA. O Spurs pode não estar repleto de astros como seus rivais, mas conta com um grupo muito forte, comandado por aquele que é para muitos o melhor treinador da atualidade: Gregg Popovich. Isso representa garantia de defesa eficiente e ataque equilibrado, itens que muitos times da liga ainda buscam encontrar.

Principais contratações: o calouro Nando De Colo (ala-armador)
Time base: Tony Parker, Manu Ginobili, Kawhi Leonard, Boris Diaw e Tim Duncan
Reservas: Patrick Mills, Cory Joseph, Gary Neal, Nando De Colo, Danny Green, Stephen Jackson, Tyler Wilkerson, Matt Bonner, DeJuan Blair e Tiago Splitter
Técnico: Gregg Popovich
Até onde pode chegar: briga pelo título

TORONTO RAPTORS

FIBA / Divulgação
Jonas Valanciunas: pivô chega da Lituânia para ajudar o Raptors a entrar na briga pelos playoffs

Saco de pancada nas últimas temporadas, o Raptors deverá ficar de fora dos playoffs mais uma vez, mas tem condição de dar um salto de qualidade neste campeonato. Especialista em defesa, o treinador Dwane Casey já conseguiu fazer o time melhorar bastante no setor em seu primeiro ano de trabalho. A tendência é que essa evolução tenha continuidade. De uma forma geral, dá pra dizer que o elenco ficou mais forte com as aquisições que fez. As chegadas de Kyle Lowry e John Lucas deixam a equipe bem servida na armação – que já conta com o espanhol Jose Calderon. Mas a principal novidade vem da Lituânia: o atlético e habilidoso pivô Jonas Valanciunas, escolhido pela franquia canadense no Draft de 2011 e que se junta ao time depois de um ano. Ao lado de Andrea Bargnani, tem tudo para formar uma boa dupla de garrafão, que deverá ser o ponto forte do Raptors.

Principais contratações: Kyle Lowry (armador), Landry Fields (ala) e os calouros Jonas Valanciunas (pivô) e Terrece Ross (ala-armador)
Time base: Kyle Lowry, DeMar DeRozan, Landry Fields, Andrea Bargnani e Jonas Valanciunas
Reservas: Jose Calderon, John Lucas, Alan Anderson, Terrence Ross, Quincy Acy, Linas Kleiza, Dominic McGuire, Amir Johnson, Ed Davis e Aaron Gray
Técnico: Dwane Casey
Até onde pode chegar: será figurante no campeonato

UTAH JAZZ

Getty Images
Al Jefferson: pivô é um dos pontos fortes do Jazz

De maneira surpreendente, o Jazz chegou aos playoffs no último campeonato sob o comando de Tyrone Corbin e tem tudo para se classificar novamente desta vez. O garrafão é um dos melhores da liga ofensivamente. Os titulares Al Jefferson e Paul Millsap e o reserva Enes Kanter sabem pontuar perto da cesta e são bons reboteiros. Os alas Gordon Hayward e Derrick Favors são jovens muito atléticos, habilidosos e que devem continuar se desenvolvendo nos próximos anos. O problema é no perímetro. O Jazz foi um dos piores times em arremessos de três pontos na temporada 2011/12. A defesa, que sofreu em média 99 pontos por partida, também precisa ser ajustada.

Principais contratações: Mo Williams (armador), Marvin Williams (ala)
Time base: Mo Williams, Alec Burks, Gordon Hayward, Paul Millsap e Al Jefferson
Reservas: Earl Watson, Jamaal Tinsley, Raja Bell, Randy Foye, Kevin Murphy, DeMarre Carroll, Marvin Williams, Derrick Favors, Jeremy Evans e Enes Kanter
Técnico: Tyrone Corbin
Até onde pode chegar: disputa vaga nos playoffs

WASHINGTON WIZARDS

Getty Images
John Wall: jovem armador é uma das esperanças de sucesso do Wizards

O time da capital norte-americana se movimentou bastante no mercado e melhorou o elenco para a disputa desta temporada. O brasileiro Nenê, que chegou no meio do último campeonato, ganhará a companhia perto da cesta do pivô Emeka Okafor. Os dois pivôs são versáteis o suficiente para jogarem juntos e formarem uma boa dupla de garrafão, eficiente nos dois lados da quadra. Outra novidade que deverá ajudar bastante a equipe é o ala Trevor Ariza, cuja especialidade é a defesa. No perímetro, o talentoso armador John Wall terá ao seu lado outro jovem promissor: o ala-armador calouro Bradley Beal, selecionado na terceira escolha do Draft e que tem facilidade para pontuar. De fato, o técnico Randy Wittman tem um elenco mais qualificado à disposição para esta temporada. Resta saber se todas as mudanças que foram feitas nos últimos meses serão capazes de fazer o Wizards voltar a disputar os playoffs.

Principais contratações: Trevor Ariza (ala), Emeka Okafor (pivô) e o calouro Bradley Beal (ala-armador)
Time base: John Wall, Bradley Beal, Trevor Ariza, Nenê e Emeka Okafor
Reservas: Jannero Pargo, A. J. Price, Jordan Crawford, Martell Webster, Cartier Martin, Chris Singleton, Trevor Booker, Jan Vesely, Earl Barron e Kevin Seraphin
Técnico: Randy Wittman
Até onde pode chegar: disputa vaga nos playoffs

    Para receber as notícias de Esportes envie igesportes para 49810 . 10 dias sem custos * * Após este período, custo de R$ 0,31 + imp. por mensagem recebida.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG