iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Basquete

10/08 - 19:21

Motivada, Alessandra promete entrega em retorno à seleção

Campeã mundial na Austrália-1994, jogadora de 35 anos voltou ao time nacional animada após três anos de afastamento

Gazeta Esportiva

BARUERI - A seleção feminina abriu a semana com um reforço de peso em Barueri nesta segunda-feira. Campeã mundial na Austrália-1994, prata em Atlanta-1996 e bronze em Sidney-2000, a jogadora de 35 anos que defende o Bourges-FRA voltou ao time nacional animada após três anos de afastamento.

"Estou muito motivada para trabalhar na seleção. Quando entro em um projeto é de cabeça, corpo e alma, senão ficava em casa. A mistura de juventude e experiência é bem bacana. É interessante conviver com gerações diferentes. São outros valores, visão e estilo de vida que proporcionam uma interessante troca de experiências", disse.

A pivô vestiu a camisa da seleção pela última vez no Mundial de 2006, disputado no Brasil. Ela sofreu uma lesão no torneio e entrou com um processo contra a Confederação Brasileira de Basquete (CBB), alegando que não recebeu o seguro prometido pela entidade então presidida por Gerasime Grego Bozikis.

Com a ascensão de Carlos Nunes no lugar do antigo mandatário e a presença da ex-companheira Hortência como coordenadora do basquete feminino nacional, Alessandra resolveu aceitar a convocação para a Copa América, torneio que oferece vaga no Mundial-2010 e será realizado entre os dias 23 e 27 de setembro, em Cuiabá.

"Essa geração sabe mais do que eu sabia quando tinha meus 20, 25 anos. Na França, joguei com uma atleta de 15 anos. Tinha idade para ser minha filha e foi ótimo", disse a pivô. No Bourges, Alessandra foi campeã da Liga Francesa e da Copa da França. Ela não joga desde o dia 20 de maio, mas garante que está em forma.

"Estou acostumada a não ficar parada nas férias européias, que duram quase quatro meses. Para vir para a seleção, fiz um trabalho diferenciado, musculação e treino com bola com time masculino. Nunca começo uma temporada do zero, seja no clube ou na seleção. Por isso cheguei aos 35 jogando basquete de alto nível", explicou.

Ela seguiu as orientações de João Nunes, preparador físico da seleção, para se apresentar em forma ao treinador Paulo Bassul. Após apontar a falta de experiência do elenco como motivo para a decepção nos Jogos de Pequim, ele resolveu promover a volta de veteranas como Helen e a própria pivô.

"Alessandra é uma jogadora madura e vem para dar estabilidade ao grupo em uma competição de tiro rápido como a Copa América. Ela já estava fazendo um treinamento físico antes de se apresentar, o que facilita o trabalho da comissão técnica. Alessandra está em uma boa fase e, com certeza, será muito útil no garrafão brasileiro", disse.

Nesta semana, Bassul planeja trabalhar sistemas ofensivos contra defesa por zona e começar a intensificar as jogadas defensivas. "Assim, vamos construindo os sistemas defensivos para a Copa América. Treinar marcação exige mais e envolve mais desgaste físico. Por isso, a atleta tem que estar bem preparada para evitar lesões", explicou.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias