iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Basquete

18/06 - 02:33

Celtics massacram Lakers e quebram jejum de 22 anos
Foram 22 anos de espera, mas na noite desta terça-feira o Boston Celtics deu adeus ao jejum e voltou a levantar a taça de campeão da NBA. Paul Pierce, Kevin Garnett e Ray Allen, o reverenciado Big Three, e cia.

Gazeta Esportiva

bateram o Los Angeles Lakers por 131 a 92 (58 a 35 no primeiro tempo), fechando a série em 4 a 2 com a maior diferença da história em um placar decisivo.

Com o Banknorth Garden lotado, a franquia mais vitoriosa da história da Liga conquistou seu 17º título. Por ironia do destino, justamente sobre os Lakers responsáveis pela frustração na final de 1986-87, última da qual os Celtics haviam participado e um ano após o grupo de Boston ser campeão pela derradeira oportunidade.

A freguesia dos Lakers agora é de nove derrotas contra duas vitórias apenas em finais contra os Celtics. Dona da melhor campanha na fase regular (66 vitórias e 16 derrotas), a franquia comandada pelo técnico Doc Rivers bateu o Atlanta Hawks, o Cleveland Cavaliers e o Detroit Pistons para chegar à decisão. Na série decisiva, venceu os dois primeiros confrontos (98 e 88 e 108 a 102), foi surpreendido no terceiro (87 a 81), reagiu no quarto (97 a 91) com uma virada emocionante no último período (após desvantagem de 24 pontos), mas tropeçou mais uma vez no domingo (103 a 98).

O título desta noite teve sabor especial para Pierce que, depois de 63 jogos de playoff no currículo e dez anos de espera, finalmente conseguiu ser campeão. Garnett também ganhou um anel pela primeira vez em 12 temporadas como profissional.

Já o técnico Rivers estreou bem no primeiro playoff de sua carreira. Duelando contra a experiência do nove vezes campeão Phil Jackson, levou a melhor.

Na derrota decisiva, os Lakers têm de lamentar dobrado, depois de uma atuação abaixo do que era esperado. Cestinha da equipe com 22 pontos, Kobe Bryant foi o único jogador dos Lakers a chegar aos dois dígitos nos três primeiros quartos.

Derek Fisher, Pau Gasol e Lamar Odom, fundamentais na vitória de domingo, sumiram em quadra. Já os Celtics no mesmo período tinham 22 pontos de Garnett, 14 de Pierce e Allen, que ficou praticamente um quarto sem jogar, e 13 de Rajon Rondo. Garnett e Allen terminaram com 26 pontos, Garnett somando ainda 14 rebotes. Rondo contribuiu com outros 21 pontos e Pierce, com 17.

O domínio de Boston na defesa foi completo. Conseguiram 48 rebotes contra apenas 29 dos Lakers. Significativa também foi a diferença nos ofensivos (14 a 2), demonstrando a disposição de aproveitar cada oportunidade existente em quadra.

O jogo - A partida começou com os Lakers tentando manter o mesmo bom aproveitamento no primeiro tempo das duas últimas partidas. Mas desta vez, o jogo ficou centralizado em Bryant, responsável por 11 pontos do time na liderança por 13 a 12.

Mesmo sem Allen, que começou no quinteto tradicional dos Celtics, mas deixou a quadra pouco depois com problema no olho, a equipe da casa não demorou a reagir. Garnett converteu três cestas consecutivas e o Boston virou o marcador para 20 a 18.

Com o apoio da torcida, a equipe fechou o período em 24 a 20, com a defesa abafando as ações de Bryant, que não pontuou mais no quarto inicial. No segundo quarto, a reserva dos Celtics mostrou disposição. James Posey e Ed House foram fundamentais para o time disparar com 43 a 29.

Sem contar com a produtividade de Bryant, os Lakers tentaram acionar seus outros titulares, que haviam feito um primeiro quarto inexpressivo. Apesar da necessidade de vencer para adiar a decisão, o grupo da Califórnia estava longe de repetir o empenho da partida anterior.

Com exceção de Bryant, nenhum titular chegou a dois dígitos na pontuação do período. Não por acaso, os Lakers apanharam no período levando mais que o dobro de pontos (34 a 15) e entrando no vestiário em desvantagem por 58 a 35.

A desarticulação defensiva californiana não foi perdoada por Garnett, cestinha até então com 21 pontos, além de dez rebotes. A diferença passou a 28 (74 a 48) com pouco mais de 4 minutos por jogar sem resposta dos adversários.

Depois da surra da parcial anterior, os Lakers tentaram reagir. A pontuação melhorou, foram apenas seis pontos a menos na parcial (31 a 25), mas o prejuízo era grande demais e o grupo da casa foi com ampla diferença para o último período (89 a 60).

No quarto decisivo, o Boston passeou. Com 4min12 para o final, a diferença era de 34 pontos e os titulares, que ganharam um descanso, já começaram a comemorar o título contrastando com a apatia dos titulares dos Lakers, que assistiram ao final da partida do banco.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias