iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Basquete

09/06 - 17:37

Brasil estréia em busca de classificação para Pequim
A seleção brasileira feminina de basquete abre sua última chance de classificação para os Jogos Olímpicos de Pequim nesta terça-feira, às 12h15, enfrentando as Ilhas Fiji no Torneio Pré-olímpico Mundial, em Madri, Espanha. A competição define as cinco vagas restantes para o torneio olímpico e a ESPN Brasil transmite o jogo ao vivo.

Gazeta Esportiva

Com duas medalhas olímpicas na bagagem, o Brasil enfrenta uma seleção sem tradição na modalidade, com muitas jogadoras jovens e que nunca participou de Olimpíadas. O duelo é válido pelo grupo C e duas seleções de cada chave passam à etapa seguinte do Pré-olímpico.

Favorito absoluto no duelo, o Brasil conta com uma equipe em fase de transição, que luta pela classificação sem os tradicionais medalhões do ciclo anterior. Com a saída das experientes Janeth, Alessandra e Helen, o técnico Paulo Bassul tenta manter o novo grupo no mesmo patamar do anterior, que se despediu da seleção mantendo o time nacional na quarta colocação do ranking mundial.

Terceiro colocado no Pré-olímpico das Américas, o Brasil deposita suas confianças no talento da ala Iziane, principal nome do basquete nacional na atualidade, combinado à experiência de jogadoras como Kelly e Adrianinha, que fazem a ponte entre as duas gerações do grupo. 'Como Fiji é mais fraco tecnicamente, esse tipo de partida na estréia é bom para dar ritmo a todas as jogadoras. A equipe entra no ritmo de competição e ganha confiança para o próximo desafio', define a confiante Iziane. 'Mas não podemos dar bobeira. Precisamos manter a concentração o tempo todo, fazer uma boa defesa e partir para os contra-ataques, que é a principal característica do time. Vamos usar esse confronto para nos prepararmos para a Espanha e o jogo das quartas-de-final'.

Esta poderá ser sua segunda Olimpíada. Em Atenas-2004, ela foi cestinha do time com 120 pontos, mas voltou para casa sem medalha, na quarta colocação.

A pivô Kelly caminha para sua terceira participação olímpica. Foi bronze com o Brasil em Sydney-2000 e também atuou na Grécia. De volta ao grupo após ficar fora do Pré-olímpico continental, ela concorda com a análise de Iziane e destaca a necessidade de o grupo impor seu estilo desde o princípio.

'Todo adversário deve ser respeitado. Vamos colocar em prática tudo o que treinamos, mantendo a defesa forte. Temos que impor nosso ritmo forte desde o início, sem dar chance para o adversário. Esse jogo contra Fiji será bom para ganharmos confiança e chegarmos embaladas para o confronto contra a Espanha na quarta-feira. Estréia é sempre nervosa, mas estou sentindo o grupo muito tranqüilo e determinado para fazer um bom papel', explica.

Outra representante da nova geração, a ala Micaela está segura da capacidade de classificação brasileira. 'O primeiro jogo é o que nos garante na próxima fase. Por isso temos que fazer o nosso papel e ganhar a partida. Com certeza, vamos fazer uma boa apresentação, imprimindo o ritmo desde o começo'.

A confiança e o otimismo, contudo, não a impedem de fazer uma análise crítica dos dois amistosos disputados pelo grupo antes do torneio. O Brasil perdeu para a China (90 a 81), mas ganhou da frágil seleção de Taiwan por 88 a 65. 'O time pode até não ter tido uma boa atuação nos dois amistosos, mas é certo de que contra Fiji vamos nos sair muito bem. E já vamos entrar no clima para encarar a Espanha'.

A segunda rodada do Pré-olímpico começa às 7h45 com o confronto entre Cuba e Bielorrússia. Às 10 horas jogam Senegal e Japão, com Argentina e Angola fechando a programação às 14 horas.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias