Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Curva do Café tem histórico de fortes batidas e óbitos

Gustavo Sondermann, que morreu neste domingo em Interlagos, não foi o primeiro piloto a perder a vida no local

iG São Paulo |

Divulgação
O carro de Sondermann após o acidente que tirou sua vida neste domingo, no Autódromo de Interlagos
O acidente que vitimou o piloto Gustavo Sondermann, neste domingo, durante a etapa de São Paulo da Copa Montana, aconteceu na região da Curva do Café. O trecho do Autódromo de Interlagos tem um histórico de fortes batidas – Sondermann não foi o primeiro a falecer no local.

Em 2007, Rafael Sperafico, que então disputava a etapa paulista da Stock Light, morreu após acidente semelhante ao deste domingo. Na época, Gustavo Sondermann era seu companheiro de equipe.

Em 2003, no fim de semana da Fórmula 1 em São Paulo, quem sofreu na curva foi o espanhol Fernando Alonso, que na época ainda corria pela Renault. O piloto não conseguiu desviar de um pneu que se soltou do carro do Mark Webber e também bateu forte no local. Alonso teve de ser levado ao hospital, mas não sofreu nenhum ferimento mais grave.

No ano passado, antes do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, a administração do Autódromo de Interlagos tentou minimizar o problema instalando um softwall no local. Trata-se de um muro utilizado nos circuitos americanos da IndyCar, cuja tecnologia ajuda a absorver o impacto em caso de colisões.

Assim que ficaram sabendo do acidente, os pilotos brasileiros Rubens Barrichello, Bruno Senna, Lucas di Grassi, Tony Kanaan e Helio Castroneves prestaram homenagens a Sondermann no Twitter.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG