Australiano conseguiu superar Graham Rahal no minuto final do classificatório. Helio Castroneves, sétimo, foi o melhor brasileiro

Will Power, mais uma vez, deixou claro que é mesmo o rei dos circuitos mistos e de rua na Indy . Pela sétima vez em 2011, o australiano da Penske vai comandar o grid de largada. Em Baltimore, neste sábado (3), Power até encontrou certa dificuldade para bater Graham Rahal, mas, com uma volta voadora no minuto final da sessão, acabou com a esperança da Ganassi de partir na frente e, com a marca de 1min20s244, vai alinhar em primeiro neste domingo (4), às 15h45. Rahal será o segundo colocado, enquanto Ryan Briscoe colocou o carro 6 da Penske em terceiro.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Líder do campeonato, Dario Franchitti viveu um treino difícil, mas conseguiu se recuperar e vai começar o GP em Maryland na quarta colocação. Sébastien Bourdais foi o destaque da fase decisiva da classificação ao colocar a pequena Dale Coyne no quinto posto. Ryan Hunter-Reay fecha a terceira fila do grid.

Em sétimo, Helio Castroneves, que não conseguiu avançar para a disputa da pole, foi o melhor brasileiro na sessão. Tony Kanaan foi o 11º no classificatório, Vitor Meira conseguiu a 14º posição e Bia Figueiredo vai largar na 22ª colocação.

Saiba como foi a classificação da Indy em Baltimore neste sábado

Foi sob a ameaça de chuva que a sessão começou. Dario Franchitti foi o primeiro a virar um tempo competitivo, com 1min24s390. Danica Patrick e Marco Andretti apareceram logo em segundo e em terceiro, respectivamente.

Mas a marca ainda era alta e logo o escocês foi substituído na ponta por Ryan Briscoe. O australiano ainda melhoraria para 1min21s997. Apenas 0s098 atrás, Franchitti era o segundo e já trazia o companheiro de equipe Scott Dixon em terceiro. Briscoe foi, então, a 1min21s893, ampliando para dois décimos a diferença para Dario. Ryan Hunter-Reay, Alex Tagliani, Giorgio Pantano e Sébastien Bourdais completavam os seis melhores.

Mas o tempo do piloto do carro 6 da Penske acabou pulverizado por Pantano, que foi à ponta da tabela com 1min21s685, deixando Briscoe, Dixon e Franchitti no top-4. Mas a pista melhorou, e Pantano não conseguiu se manter no comando. Rapidamente, Dixon pulou para frente, com 1min21s219, e ainda melhorou um décimo logo em seguida, para liderar, enfim, o primeiro grupo. Além de Dixon, Briscoe, Graham Rahal, Bourdais, Hunter-Reay e Franchitti, que rodou no minuto final, acabaram classificados para o Q2.

A primeira parte do treino para o segundo grupo repetiu o que acontecera com o grupo inicial. Ou seja, Will Power, assim como fizera Franchitti, logo foi à pista e tratou de estabelecer a melhor marca da tabela, com 1min23s389. Tony Kanaan colocou a KV em segundo, mas com uma diferença de seis décimos para o escocês. Bia Figueiredo era a terceira colocada, à frente de Simona de Silvestro e Ernesto Viso. Sebastian Saavedra fechava o top-6.

Power, então, melhorou e cravou 1min21s007. Helio Castroneves acompanhou o colega de equipe e se posicionou em segundo, deixando Kanaan em terceiro. Vitor Meira apareceu em quarto, seguido por Mike Conway e Bia. Mas Conway vinha em uma sequência de voltas rápidas e logo surgiu em segundo, 0s276 atrás do vice-líder do campeonato. Quase que ao mesmo tempo Takuma Sato apareceu em terceiro, à frente de Viso e Kanaan. Castroneves era o sexto.

Sato, entretanto, acabou rodando na curva 3 e atrapalhou a volta de Tomas Scheckter. A bandeira amarela foi necessária, e o japonês acabou perdendo sua melhor marca na sessão, o que o tirou do Q2. O pano verde foi agitado novamente quando restavam menos de dois minutos para o fim. E aí Power, Conway, Viso, Kanaan, Castroneves e Simona garantiram passagem para o segunda fase da classificação.

Com um a menos para cada lado

O Q2 começou com a liderança da Penske de Ryan Briscoe. O australiano tinha 1min28s407 e comandava o top 5, que era formado por Ernesto Viso, Sébastien Bourdais, Graham Rahal e Mike Conway. Enquanto Briscoe já alcançava 1min21s367, Conway surgia em segundo, logo à frente de Helio Castroneves, Will Power e Scott Dixon.

E aí a fase intermediária do treino viu uma disputa intensa entre a Penske e a Ganassi, que se mostrava ávida em dar o troco na rival depois do domínio apresentado pelos rivais em Sonoma, há uma semana . Sendo assim, Dario Franchitti foi à pista para virar 1min21s126 e ocupar a ponta da tabela. Mas Power não deixou o adversário por muito tempo na frente.

Restando menos de dois minutos para o fim, Will cravou 1min20s047 e tirou Dario do topo. O escocês ainda acabou superado pelo parceiro de equipe Rahal. Briscoe também pulou para terceiro, trazendo junto Bourdais e Hunter-Reay. Franchitti precisou usar toda a experiência para se garantir no Fast Six. Já com cronômetro zerado, o atual campeão registrou 1min20s740 e assegurou o quarto lugar.

Power, Rahal, Bourdais, Briscoe e Hunter-Reay, além de Dario, acabaram por garantir presença na disputa da pole. Na briga Penske-Ganassi, cada uma foi com um homem a menos para a fase final. Castroneves e Dixon foram os desfalques.

Sempre ele

É bem verdade que Power encontrou em Graham Rahal um duro adversário no Q3, mas também é certo afirmar que o australiano se manteve firme entre os ponteiros durante quase todos os dez minutos finais da classificação. Rahal e Power se revezaram na ponta da tabela o tempo inteiro. Porém, no fim, o piloto da Penske mostrou a razão de tamanho domínio em circuitos mistos. Sem dificuldade, Power cravou 1min20s047 e impôs quase três décimos de vantagem em Rahal, assegurando, assim, a sétima pole da temporada.

Neste domingo, a largada para o 14° GP do campeonato está marcada para as 15h45, no horário de Brasília.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.