Apesar da adoção de um discurso otimista, organizadores da etapa paulista admitem que categoria ainda não caiu no gosto do povo

Apesar da adoção de um discurso otimista, os organizadores da etapa de São Paulo da Fórmula Indy, que será realizada no domingo, no circuito de rua do Anhembi, admitem que a categoria ainda não caiu no gosto do torcedor brasileiro. Por isso, esperam evoluir nos próximos anos e conquistar o público, já que a cidade tem contrato firmado para sediar a prova até 2019.

Divulgação
Caio Carvalho (à esquerda) celebrou a internacional que a cidade de São Paulo terá com a Indy
"A Fórmula Indy está começando a sua carreira no Brasil, apesar de termos uma grande tradição, com vitórias nas 500 Milhas de Indianápolis, com Gil de Ferran, Emerson Fittipaldi e Hélio Castroneves, e também com alguns títulos", afirmou Marcelo Meira, vice-presidente do Grupo Bandeirantes, que promove a corrida de São Paulo da Fórmula Indy.

O executivo, porém, garante estar satisfeito com a atual situação da categoria no Brasil. "A gente acredita que vai alcançar grande sucesso de público. Mas o atual já é satisfatório", disse Marcelo Meira, evitando comparações com a F1. "É uma evolução, não pretendemos ultrapassar a Fórmula 1."

Os organizadores, inclusive, apostam que o público irá lotar o circuito no sábado e no domingo. "A expectativa de publico é de 40 mil. Já foi vendida boa parte (dos ingressos), teremos uma grande festa no sábado e no domingo", disse Frederico Nogueira, vice-presidente do Grupo Bandeirantes.

Como a Indy ainda não atingiu apelo popular no Brasil, o presidente da SPTuris, Caio Carvalho, ressaltou a importância para São Paulo da transmissão de uma prova na cidade para o mercado internacional. "A Indy tem um grande apelo para norte-americanos. São Paulo é a principal cidade visitada pelos norte-americanos no Brasil. É uma grande propaganda", comentou ele. "Ano passado foram captados R$ 80 milhões, alguns lamentaram por não ser R$ 130 milhões, mas foi ótimo."

O presidente da SPTuris aposta em um retorno financeiro maior com a realização da etapa de 2011 da Fórmula Indy em São Paulo. "Neste anos devemos chegar em até R$ 95 milhões", revelou Caio Carvalho. "No ano passado, cada torcedor brasileiro gastou em média R$ 1.850,00 em quase três dias de evento. O torcedor internacional deixou cerca de R$ 2 mil."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.